Tag Archive for: música em Santa Maria da Feira

Luthiers Pereira
Oficinas de instrumentos em Santa Maria da Feira

Construção e reparação de instrumentos

Luthiers Pereira

Luthiers Pereira é um ateliê de construção de guitarra clássica e violino de duas gerações situado em Mozelos.

Luthiers Pereira

Luthiers Pereira

Luthiers Pereira

Luthiers Pereira, José Pereira

Luthiers Pereira

Luthiers Pereira, P. Pereira

Concurso Nacional de Música Gilberta Paiva
Festivais em Santa Maria da Feira

Ciclos, encontros, concursos, temporadas e festivais de música e dança no Concelho

Concurso Nacional de Música Gilberta Paiva

A Academia de Música de Santa Maria da Feira organiza e promove em 2023 o VI Concurso Nacional de Música Gilberta Paiva na modalidade Música de Câmara nos níveis médio e superior (até sexteto), com o júri convidado Pedro Silva e Trevor McTait. As provas decorrem no dia 3 de junho, no auditório da Academia.

Concurso Nacional de Música Gilberta Paiva

Concurso Nacional de Música Gilberta Paiva

Ciclo de Órgão de Tubos de Santa Maria da Feira

Seis concertos únicos, em seis igrejas do concelho, com oito músicos de referência nacional e internacional, integram o programa da quarta edição do Ciclo de Órgão de Tubos de Santa Maria da Feira em 2022. Instrumentos musicais com sonoridades únicas, os seis órgãos de tubo em pleno funcionamento no território são obras de arte e contribuem para a afirmação da intemporalidade des­te instrumento secular.

Órgão da Igreja da Misericórdia de Santa Maria da Feira

Órgão da Igreja da Misericórdia de Santa Maria da Feira

Dies Festus in Terra Sancte

O Festival Dies Festus in Terra Sancte  decorreu na Igreja da Misericórdia de Santa Maria da Feira a 22, 23 e 24 de abril de 2022, integrando concertos e classes de aperfeiçoamento para diversos instrumentos e música de câmara.

Dies Festus in Terra Sancte, Santa Maria da Feira

Dies Festus in Terra Sancte, Santa Maria da Feira

Concurso Internacional Paços’ Premium

O Concurso Internacional Paços’ Premium (XV edição em 2022) é um concurso promovido pela Academia de Música de Paços de Brandão, concelho de Santa Maria da Feira, nas categorias de Oboé, Guitarra, Piano e Percussão.

Concurso Internacional Paços' Premium

Concurso Internacional Paços’ Premium

Festival Norte Dança

Sítio: festivalnortedanca.org

22ª edição a 19, 20 e 21 novembro de 2021, o Festival Norte Dança é o maior e o mais antigo festival de dança português. O FND Presencial é constituído por um concurso de dança, por uma mostra de dança e por uma seleção de workshops de dança. Todos os anos reúne mais de mil e quinhentas inscrições. A edição de 2021 realiza-se no Europarque. Recebe candidatos vindos de todos os pontos do país e estrangeiro para apresentarem coreografias em Dança Contemporânea, Dança Clássica, Dança Jazz, Street Dance (Hip-Hop, Locking, Popping), Danças Populares e Sapateado.

Festim – Festival Intermunicipal de Músicas do Mundo

Sítio: www.festim.pt

O Festim – Festival Intermunicipal de Músicas do Mundo é um evento organizado pela d’Orfeu Associação Cultural que acontece nos concelhos de Águeda, Albergaria-a-Velha, Estarreja, Ílhavo, Oliveira de Azeméis, Oliveira do Bairro, Ovar, Sever do Vouga e Santa Maria da Feira.

Festival Internacional de Música de Paços de Brandão

O Festival Internacional de Música de Paços de Brandão – 44ª edição em 2021 é um dos festivais de música erudita mais antigos do país. Sob a direção artística de Augusto Trindade, conta na sua história com grandes nomes do panorama nacional e internacional. Realiza-se no CiRAC, Europarque, Cineteato António Lamoso e outros locais do concelho de Santa Maria da Feira. O Festival inclui o Concurso Internacional Paços’ Premium (XIV edição em 2021).

Sítio: cirac.pt

Festival Internacional de Música de Paços de Brandão

Festival Internacional de Música de Paços de Brandão

Cardoso & Conceição - Instrumentos Musicais
Lojas de música e instrumentos em Santa Maria da Feira

Pesquisa, edição e publicação a 15 de outubro de 2021

BimotorDJ

Rua Circular do PERM, 660
4505-680 Santa Maria da Feira
Tel. (+00 351) 256 374 395
Sítio: bimotordj.com

Bimotor, Santa Maria da Feira

Bimotor, Santa Maria da Feira

Cardoso & Conceição – Instrumentos Musicais

R. Estr. Nacional, 1319
4520-158 Santa Maria da Feira
Tel. (+00 351) 256 333 876
Sítio: www.cardosoeconceicao.com

Cardoso & Conceição Lda é uma empresa especializada em instrumentos de sopro e percussão, sediada em Santa Maria da Feira, profundamente conhecedora do universo das Bandas de Música. Fundada em 1995 pelo casal Mário e Margarida Cardoso, abriu as portas ao público nesse ano, num espaço alugado com 50m2 onde permaneceu durante dez anos.

Cardoso & Conceição - Instrumentos Musicais

Cardoso & Conceição – Instrumentos Musicais

A empresa desenvolveu com as cerca de 800 bandas de Música que constituem o universo filarmónico português, uma relação de proximidade assente em plataformas de colaboração, cooperação e desenvolvimento que permitiu amplo crescimento do meio assim como da empresa.

Em 2005 mudou-se para novas instalações criadas de raiz com condições ímpares para o exercício da sua atividade, onde é hoje a sua sede. Pioneira e inovadora em diversas áreas no âmbito da filarmonia, destaca-se a organização do Festival “Filarmonia ao Mais Alto Nível” com 17 edições onde atuaram mais de 70 Bandas Filarmónicas assistidas por mais de 20 000 pessoas no grande auditório do Europarque.

Cardoso & Conceição dispõe de uma ampla gama de instrumentos musicais de sopro e percussão, com modelos desde a iniciação até modelos profissionais de marcas conceituadas mundialmente.

A loja-auditório Cardoso & Conceição possui uma área comercial superior a 400 metros, com um palco onde já atuaram mais de 3000 músicos desde 2005.

Guitar Custom

R. São Nicolau, 34
4520-248 Santa Maria da Feira
Tlm. (+00 351) 965 090 705
Sítio: guitarcustom.pt

Loja da Música – Canedo

R. Principal, 659
4525-189 Canedo
Tel. (+00 351) 227 836 393

Grupo de Cavaquinhos de Milheirós de Poiares - Musicoperapia
Grupos de Cavaquinhos de Santa Maria da Feira
  • Cultura em Cordas, Paços de Brandão
  • Grupo de Cavaquinhos Musicoterapia de Milheirós de Poiares
  • Grupo de Cavaquinhos e Cantares de Lourosa
  • Grupo de Cavaquinhos S. Salvador de Fornos
  • Grupo de Cordas da Universidade Sénior de Santa Maria da Feira

Fonte: Associação Cultural Museu do Cavaquinho

Grupo de Cavaquinhos de Milheirós de Poiares - Musicoperapia

Grupo de Cavaquinhos de Milheirós de Poiares – Musicoperapia

São Tiago A Rufar (Santiago de Lobão)
Grupos de bombos de Santa Maria da Feira

Zés Pereiras e outos grupos de percussão tradicional no Concelho

A exibição pública dos grupos de Bombos inclui o uso de fardamento próprio baseado em cores vivas, em correspondência com as cores dos instrumentos e também – no caso dos grupos do norte do país – acompanhados por “gigantones” e / ou “cabeçudos” . Os executantes tocam em pé e podem apresentar-se caminhando em formação linear ou parados, voltados uns para os outros, formando um círculo. (Bombo a Património, Tocá Rufar)

Fontes: Fontes: Tocá Rufar, portais municipais, páginas dos grupos

  • A Trupe Animação, Teatro de Rua, Percussão (Milheirós de Poiares)
  • Grupo de Bombos, Tambores e Gaitas de Santa Maria (Santa Maria da Feira)
  • Grupo de Percussão da Associação Pelo Prazer de Viver (Mozelos)
  • Grupo de Percussão JUV a Percutir da Juventude de Sanguedo
  • Grupo de Percussão Rufus & Circus (Santa Maria da Feira)
  • Grupo de Percussão Sempra Bombar (Santa Maria da Feira)
  • Grupo de Percussões Tradicionais da Associação Fórum Ambiente e Cidadania (Mosteirô)
  • Orquestra de Percussão Tukata (Santa Maria da Feira)
  • Saltimbancos Santa Maria (Paços de Brandão)
  • São Tiago A Rufar (Santiago de Lobão)
São Tiago A Rufar (Santiago de Lobão)

São Tiago A Rufar (Santiago de Lobão)

Academia de Música de Santa Maria da Feira
Escolas de Música em Santa Maria da Feira

Estabelecimentos do ensino de música no Concelho. Em geral, as bandas filarmónicas também possuem a sua escola de música: nos separadores ao fundo veja informação sobre as bandas de música do Concelho.

A.M.A.R.

R. Comendas, 28
Rio Meão
Tlm. (+00 351) 967 832 789

A.P.E.M.A. meio tom

R. Santa Maria da Feira, 159B
4520-294 Santa Maria da Feira
Tlm. (+00 351) 962 432 781

Academia de Música de Lamas

Tlm. (+00 351) 933 173 480
Correio eletrónico: arlindofp@gmail.com

Academia de Música de Paços de Brandão

R. Entre Avenidas, 125
Tel. (+00 351) 227 441 190
Sítio: acadmusicapb.com

Academia de Música de Paços de Brandão

Academia de Música de Paços de Brandão

Academia de Música de Santa Maria da Feira

R. António Castro Corte Real
4520-236 Santa Maria da Feira
Tel. (+00 351) 256 363 195
Sítio: www.academiamusicasmf.com

Academia de Música de Santa Maria da Feira

Academia de Música de Santa Maria da Feira

Academia Nacional de Jovens

Travessa do calvário, 14
Gião
Santa Maria da Feira
Tlm. (+00 351)  964 935 905
Correio eletrónico: academia.anj@gmail.com

Academia Talentus

Av. Cruzes, 732
4535-011 Lourosa
Tel. (+00 351) 227 457 080

Atelier de Bateria e Percussão

Rua de Macau, 37
4520-271 Santa Maria da Feira
Tlm. (+00 351) 912 691 133

Banda de Música de Arrifana

Largo Manuel Eduardo Rebelo
3700-515 Arrifana
Tlm. (+00 351) 967 239 230

Colégio de Música de Fiães

R. Padre Manuel Francisco Sá, 95
4505-369 Fiães
Tlm. (+00 351) 932 754 274
Página: colegiodemusicadefiaes.webnode.pt

Conservatório de Música Terras de Santa Maria

Rua do Ribeiro, 200
4520-320 Fornos
Sítio: www.conservatoriodemusica.pt

Conservatório de Música Terras de Santa Maria

Conservatório de Música Terras de Santa Maria

EMBA – Escola de Música da Banda de Arrifana

Largo Manuel Eduardo Gomes Rebelo
3700-515 Arrifana
Página: escola-de-musica-da-banda-de-arrifana.webnode.pt

Escola de Música das Caldas de São Jorge

Av. da Igreja, 147-29
4505-683 Caldas de São Jorge
Tlm. (+00 351) 962 556 257

Escola de Música de Romariz

R. São Domingos, 33
3700-894 Romariz Santa Maria da Feira

Escola de Música de Romariz

Escola de Música de Romariz

Fratermusic

Rua 1
Urb. Engenho Velho. Lote 87 nº 903
4535-506 São Paio de Oleiros
Tlm. (+00 351) 220 827 882

Grupo Musical Estrela de Argoncilhe

R. Grupo Musical Estrela de Argoncilhe, 81
4505-132 Argoncilhe
Tlm. (+00 351) 910 478 368

MADE – Dança, Música e Teatro

Rua 3 caminhos, 465
4535-110 Lourosa
Sítio: www.madeacb.com

Notas de Arte

Rua Bispo Dom Florentino Andrade e Silva, nº 83
Santa Maria da Feira
Portugal
Tlm. (+00 351) 935 227 863
Correio eletrónico: geralnotasdearte@gmail.com

Tuna Esperança de Santa Maria de Lamas

Rua do Eleito Local
4535-359 Santa Maria de Lamas
Tlm. (+00 351) 910 693 928
Correio eletrónico: tunaesperanca.escola@gmail.com

Tuna Esperança de Santa Maria de Lamas

A escola de música existe desde a fundação da Tuna, em 1877; em 2022 completou 145 anos de existência.

Tuna Esperança de Santa Maria de Lamas

Tuna Musical Mozelense

Alameda Alfredo Henriques, 44
4535-159 Moselos
Tlm. (+00 351) 969 800 216
Correio eletrónico: tunamusicalmozelense@gmail.com

Tuna Musical Mozelense

Tuna Musical Mozelense

Coretos de Santa Maria da Feira

Coreto de Souto
Coreto de Sanfins
Coreto de Caldas de São Jorge
Coreto do Vale

Caldas de São Jorge

Na área envolvente às Termas

Coreto das Caldas de São Jorge, Santa Maria da Feira

Coreto das Caldas de São Jorge, Santa Maria da Feira, créditos António José Ferreira

Coreto e ilha

Coreto das Caldas de São Jorge, Santa Maria da Feira, créditos António José Ferreira

Coreto das Caldas de São Jorge, Santa Maria da Feira, créditos António José Ferreira

FOI NOTÍCIA

No portal da Universidade de Aveiro

A Banda Marcial do Vale colaborou com o projeto de Ana Margarida Cardoso, estudante de doutoramento da Universidade de Aveiro e membro do INET-md, dando nova vida aos coretos do concelho de Santa Maria da Feira. Ao longo do mês de setembro de 2020, o recém-formado Quinteto de Sopros do Vale, da mesma banda, interpretaria obras de compositores portugueses como Frederico de Freitas, José dos Santos Pinto ou Joly Braga Santos em concertos comentados pela investigadora.

A obras a interpretar foram compostas para o Quinteto Nacional de Sopros, grupo de música de câmara da antiga Emissora Nacional que se manteve ativo entre 1950 e 1976 (aproximadamente). Este grupo foi fundado por Luiz Boulton (flautista, 1908-1994), e integrava os músicos José dos Santos Pinto (oboísta, 1917-2014), Carlos Saraiva (clarinetista, 1910-2001), Ângelo Pestana (fagotista, 1919-2002) e Adácio Pestana (trompista, 1925-2004). O projeto traz a público obras que foram pouco interpretadas após o fim da atividade do grupo de entre as quais se inclui uma provável primeira audição do manuscrito de Santos Pinto, uma vez que se desconhecem apresentações públicas do mesmo.

O Quinteto de Sopros do Vale é constituído por cinco jovens músicos da Banda Marcial do Vale, designadamente, Sara Silva (flauta), Beatriz Oliveira (oboé), Mariana Cardoso (clarinete), Cristiano Pinho (trompa) e Beatriz Cunha (fagote). O Quinteto realizaria quatro concertos, com a interpretação de obras de compositores portugueses como Frederico de Freitas, José dos Santos Pinto ou Joly Braga Santos.

O projeto “Descobrir a História e a Música nos coretos de Santa Maria da Feira” contou com o apoio do Município de Santa Maria da Feira, no âmbito do Programa de Apoio à Cultura, e do INET-md, sendo uma das ressonâncias do projeto “A nossa música, o nosso mundo: bandas filarmónicas, associações musicais e comunidades locais (1880-2018)” (PTDC/CPC-MMU/5720/2014) desenvolvido neste instituto.

Grupo de Danças e Cantares Regionais da Feira
Folclore de Santa Maria da Feira

Grupos etnográficos, tradições e atividades no Concelho

  • Douro Litoral (Douro Litoral Sul)
  • Distrito: Aveiro

13 grupos

  • Centro Cultural e Recreativo Os Malmequeres de Lourosa
  • Grupo de Danças e Cantares Regionais da Feira
  • Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão da Feira
  • Grupo Folclórico Danças e Cantares de São João de Vêr
  • Rancho Folclórico As Florinhas de Caldas de São Jorge
  • Rancho Folclórico de São Pedro de Canedo
  • Rancho Folclórico de São Tiago de Lobão
  • Rancho Folclórico e Etnográfico das Terras de Santa Maria
  • Rancho Folclórico Recreativo e Cultural As Florinhas de Rio Meão
  • Rancho Folclórico São Cristóvão de Nogueira da Regedoura
  • Rancho Regional da Vila de Lobão
  • Rancho Regional de Argoncilhe
  • Rancho Regional de São João de Vêr
Centro Cultural e Recreativo Os Malmequeres de Lourosa

O Centro Cultural e Recreativo Os Malmequeres de Lourosa é uma associação de natureza etnográfica do Concelho de Santa Maria da Feira. Além do Folclore tem danças latinas, salão, medievais; ginástica (zumba, fitness, aeróbica). Realiza eventos culturais, recreativos, de solidariedade. Aluga instalações mediante disponibilidade e condições.

CCRML

Centro Cultural e Recreativo Os Malmequeres de Lourosa

Centro Cultural e Recreativo Os Malmequeres de Lourosa

Grupo de Danças e Cantares Regionais da Feira

O Grupo de Danças e Cantares Regionais da Feira recolhe, salvaguarda e divulga os usos e costumes da Villa da Feira no final do séc. XIX e início do séc. XX

GDCRF

Grupo de Danças e Cantares Regionais da Feira

Grupo de Danças e Cantares Regionais da Feira

Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão da Feira

O Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão da Feira é um grupo que faz recolha, estudo, salvaguarda e divulgação do património folclórico-etnográfico da região.

Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão da Feira

Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão da Feira

Catarina Luz, diretora

Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão da Feira, Catarina Luz, créditos Abel M. Cunha

Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão da Feira, Catarina Luz, créditos Abel M. Cunha

Rancho Folclórico As Florinhas de Caldas de S. Jorge

O Rancho Folclórico “As Florinhas” de Caldas de S. Jorge tem-se dedicado à recolha das danças e cantares, usos e costumes, para além de outras tradições sociais e religiosas. Conta com representações em festivais, encontro de tradições, festas e romarias, no país e estrangeiro. Está filiado no INATEL. É sócio fundador da Federação das Coletividades de Cultura e Recreio de S. Maria da Feira e sócio efetivos da Federação de folclore Português.

RFFCSJ

Rancho Folclórico As Florinhas de Caldas de S. Jorge

Rancho Folclórico As Florinhas de Caldas de S. Jorge

Rancho Folclórico São Pedro de Canedo

O Rancho Folclórico São Pedro de Canedo foi fundado numa brincadeira de Carnaval a 2 de março de 1976. É constituído por cerca de 50 elementos. É de notar nas suas apresentações a pesquisa elaborada em tradições culturais das Terras de Santa Maria e da Região Douro Litoral.

Tem no seu currículo atuações de norte a sul do país, bem como no estrangeiro: em Espanha, Suíça e França. Esteve no programa televisivo “Olha a SIC”, fez três gravações comerciais e tem participado em diversos festivais de Folclore, festas e romarias.

É organizador de um festival Nacional e Internacional (32ª edição/2023).

Os trajes que o rancho utiliza são os lavradores ricos e médios, de campo, de ir à missa, de domingar, de peixeira, de leiteira, de pescador e de Ceifeira.

A tocata é composta por acordeão, concertina, violão, cavaquinho viola burguesa, bombo, ferrinhos e reque-reque.

Os números mais representativos são a rusga de Entrada, vira dos Barqueiros, vira dos Namorados, vira Velho, vira Valseado, vira da Senhora da Piedade, Verdegar, Fado, tirana e o Velho.

O Rancho Folclórico de São Pedro de Canedo tem contribuído para o engrandecimento e divulgação do Folclore das Terras de Santa Maria da Feira, levando bem longe o nome da terra. É associado do INATEL e da FecoFeira.

Rancho Folclórico de São Pedro de Canedo

Rancho Folclórico de São Pedro de Canedo

Rancho Folclórico de São Tiago de Lobão

Rancho Folclórico de São Tiago de Lobão foi fundado em 1960 e começou os seus ensaios num palheiro de um dos lugares da freguesia, a Caínha. Foi apadrinhado pelo rancho de Gulpilhares, Vila Nova de Gaia. Durante a Guerra de Ultramar, o rancho não conseguiu ultrapassar a falta de rapazes e em 1965 interrompeu a atividade até 1979. Nesse ano, ano internacional da criança, retomou a atividade com toda a força. Desde então, leva os seus usos e costumes a todo o país e estrangeiro.

Começando por dançar com um único trajo, o de domingueiro, evoluiu e conta atualmente com todos os trajos da região, desde o dos noivos, à das campesinas passando pelos da romaria e continuando com os domingueiros. Conta com cerca de 55 elementos.

Rancho Folclórico de São Tiago de Lobão

Rancho Folclórico de São Tiago de Lobão

Rancho Folclórico e Etnográfico das Terras de Santa Maria

O Rancho Folclórico e Etnográfico das Terras de Santa Maria é uma associação de natureza etnográfica sediada em Rio Meão, Santa Maria da Feira.

RFETSM

Rancho Folclórico e Etnográfico das Terras de Santa Maria

Rancho Folclórico e Etnográfico das Terras de Santa Maria

Rancho Folclórico Recreativo e Cultural As Florinhas de Rio Meão

O Rancho Folclórico Recreativo e Cultural As Florinhas de Rio Meão é uma associação de natureza etnográfica sediada em Rio Meão, Santa Maria da Feira.

Rancho Folclórico S. Cristóvão de Nogueira da Regedoura

O Rancho Folclórico S. Cristóvão de Nogueira da Regedoura é uma associação de natureza etnográfica sediada em Nogueira da Regedoura, Santa Maria da Feira.

Rancho Regional da Vila de Lobão

O Rancho Regional da Vila de Lobão é uma associação de natureza etnográfica sediada em Lobão, Santa Maria da Feira.

RRVL

Rancho Regional da Vila de Lobão

Rancho Regional da Vila de Lobão

Rancho Regional de Argoncilhe

O Rancho Regional de Argoncilhe é uma associação de natureza etnográfica sediada em Argoncilhe, Santa Maria da Feira.

RRA

Rancho Regional de Argoncilhe

Rancho Regional de Argoncilhe

Rancho Regional de São João de Vêr

O Rancho Regional de São João de Vêr é uma associação de natureza etnográfica sediada no lugar da Granja, freguesia de São João de Vêr, Concelho de Santa Maria da Feira, constituída a 27 de dezembro de 1984.

RRSJV

Rancho Regional de São João de Vêr

Rancho Regional de São João de Vêr

Banda Sinfónica de Jovens de Santa Maria da Feira
Filarmónicas de Santa Maria da Feira

Bandas filarmónicas, história e atividades no Concelho

  • Banda de Música de Arrifana
  • Banda Marcial do Vale
  • Banda Musical de Santiago de Lobão
  • Banda Musical de Souto
  • Banda Sinfónica de Jovens de Santa Maria da Feira
Banda de Música de Arrifana

A data oficial para a fundação da Banda de Música de Arrifana é de 19 de janeiro de 1803. Todavia, há um apontamento extraído da Junta de Freguesia de Arrifana, pelo Juiz Manuel Tavares da Costa que diz: «Pago a música de Arrifana, reis 3$00». O documento desapareceu e só existe a sua publicação e data 1770.

BMA

Banda de Música de Arrifana

Banda de Música de Arrifana

O primeiro regente conhecido foi Inácio de Azevedo, nascido em 26 de março de 1754 e falecido em 28 de janeiro de 1836. Na década de 1920, a Banda de Música de Arrifana prosperou e afirmou-se no panorama musical, tanto a nível regional como nacional. Em 1928 foi integrada nos Bombeiros, passando-se a designar por Banda de Música dos Bombeiros Voluntários de Arrifana. Embora integrada nos Bombeiros, as direções são diferentes.

A Banda ensaiou em casas alugadas até 1934, ano em que com o apoio de toda a população começou a construir a sua sede e sala de ensaios, inaugurada a 8 de janeiro de 1935. Em 1936 a banda contava com 32 executantes. Os primeiros estatutos oficiais datam de 25 de janeiro de 1975. Em 1985 a banda foi reconhecida como Instituição de Utilidade Pública. Em 2000, a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira concedeu a antiga Escola Gomes Rebelo, no lugar da Rua, na Vila de Arrifana, como novas instalações para salas de ensaio e escola de música.

De 1976 até 2004 a banda foi dirigida pelo maestro Belmiro Soares Ferreira, sucessor de um grande maestro e pessoa dedicada a esta Instituição de nome Roberto Nunes, que durante cerca de 50 anos esteve ao serviço como músico e maestro. Mais tarde foi dirigida pelo maestro Filipe Oliveira, sendo que atualmente o maestro Marcelo Alves é o responsável por toda a sua atividade artística, contando com um grupo de 60 músicos.

A Banda de Música tem sobre sua alçada uma Orquestra Ligeira, mais conhecida por OLBA, a Escola de Música onde é integrada a Banda Jovem. A Banda de Música de Arrifana, como é conhecida atualmente, tem vindo ao longo destes últimos anos a proporcionar inúmeras atividades de enriquecimento artístico como foi o caso de Cursos de Aperfeiçoamento de Direção que contou com a presença de 40 maestros dividido em duas sessões, orientado pelo maestro José Brito, maestro da Banda da PSP de Lisboa.

BMA

Banda de Música de Arrifana

Banda de Música de Arrifana

Outra das atividades passou pela organização de um curso onde a Banda teve a oportunidade de trabalhar com o maestro Délio Gonçalves, chefe da Banda da Armada Portuguesa. Recebeu num ensaio a presença do Major Jacinto Montezo, que realizou parte do ensaio e transmitiu alguns dos seus saberes ao grupo. Recebeu também na sua sede  Paulo Gaspar, um profissional da área do Jazz que esteve durante alguns dias a transmitir conhecimentos da área, para o desenvolvimento das linguagens musicais que se praticam no seio das bandas filarmónicas com a evolução constante que se tem sentido.

Banda Marcial do Vale

A Banda Marcial do Vale foi fundada em 1913 por António Gomes Oliveira. Foi conhecida como Banda do Leira, Música de Cedofeita, Música de Santa Ovaia, Banda de S. Vicente de Louredo e Banda Marcial do Vale. Todos estes nomes derivaram do lugar onde vivia o seu fundador ou do local em que a banda ensaiava.

Em 1980 foi oficializada com o nome de Associação de Cultura e Recreio da Banda Marcial do Vale – Santa Maria da Feira. O primeiro maestro da Banda foi Rodrigo Gomes de Oliveira (1889-1918), filho do fundador. Muitos outros se lhe seguiram: Sebastião Ferreira da Conceição (1913-1918), os maestros Rocha, Bernardo Pereira dos Reis e Minúncio (1918-1928), David Alves Ferreira (1928-1939), Justino Fernandes (1939-1944), Américo Pereira dos Reis e Sá (1945-1967 e 1978-1980), Maximino Moreira de Azevedo (1967 -1978 e 1983-1985), Tiago Tomáz (1978), Manuel Moreira de Azevedo (1981-1983), Fernando Sousa Alves (1984-2009), José Moreira Borges (2009-2011) e José Miguel da Silva Azevedo (2011-2014). Atualmente a Banda Marcial do Vale tem como maestro Bruno Miguel Paiva de Azevedo.

BMV

Banda Marcial do Vale

Banda Marcial do Vale

A Banda tem sede própria e é constituída por 68 elementos efetivos, alguns dos quais são naturais das freguesias do Vale e Louredo, salientando-se a juventude da maioria dos executantes. Possui  um coro e orquestra que presta serviço religioso. Na vertente da formação, a Associação tem uma Escola de Música, onde nasceram muitos dos atuais elementos da Banda, estando inscritos atualmente 58 alunos. Possui ainda uma Banda Juvenil com 59 elementos, a qual atua tanto em audições internas, como efetua concertos com as mais diversas temáticas, nos mais variados locais. Neste contexto, destacam-se a gravação de três discos (2000, 2002 e 2013) e a participação em 2014 no 5.º Concurso de Bandas “Ateneu Artístico Vilafranquense” onde conquistou o Prémio Tauromaquia na 3.ª Categoria.

Com a Banda Marcial do Vale trabalharam o maestro Frank De Vuyst da “La Armónica” de Buñol, em 2008, o compositor Jan Van Der Roost em 2008 e o trompetista John Aigi Hurn da Orquestra Sinfónica da Galiza participou num ensaio. Em 2013, o Maestro António Saiote realizou uma classe de aperfeiçoamento de Direção e o Maestro José Ignácio Petit realizou um Masterclass de Interpretação.

A Banda participou em diversos festivais: Filarmonia Aveirense, Comemoração dos 175 anos do Governo Civil de Aveiro em 2010 com cerca de 2.000 músicos; IV Edição, 1.º Ciclo e 2.º Ciclo da Filarmonia ao Mais Alto Nível no Europarque, em 2008 e em 2011, respetivamente; em 2012, participou no IV Festival da Sociedade de Instrução e Recreio de Paços da Serra em Gouveia; e participou no I Certamen Internacional de Bandas de Música “Armónico Zamora”, em 2014.

Em ano de centenário, a Direção da Banda Marcial do Vale elaborou um vasto programa com 40 Eventos Culturais, que se realizaram de Janeiro a Dezembro de 2013. As celebrações do centenário abrangeram vários géneros artísticos, destacando-se as presenças das bandas militares do Exército e da Força Aérea, Banda de Zamora (Espanha), Bandas Filarmónicas, Bandas Juvenis, Teatro, Tunas Musicais e Académicas, Ranchos Folclóricos, Grupos de Instrumentos, Música Ligeira, Coros e Canto Lírico, Workshops, Cursos de Direção e de Interpretação com figuras reconhecidas nacional e internacionalmente como Hugues Kesteman, António Saiote, Nuno Pinto (clarinete), José Ignácio Petit (Espanha), Capitão Alexandre Lopes Coelho que dirige a Banda Militar do Exército e o Tenente Coronel Élio Murcho que dirige a Banda de Música da Força Aérea. Nesta oferta cultural participaram 60 grupos envolvendo 4.150 artistas, obtendo-se uma assistência de 9.310 espectadores.

Em termos de registos sonoros, a Banda Marcial do Vale gravou o seu primeiro CD em 2008 com o título “Caminhos”.

Em 2015, participou no 2º Concurso Internacional de Bandas Filarmonia D’Ouro, realizado no Europarque, onde obteve o 1º lugar e 1º Prémio na 2ª Categoria da competição. Em 2016, participou no III Certamen Internacional de Bandas de Música “Armónico Toro (Zamora)”, no qual obteve o 2º prémio na 1ª categoria. Em 2016, participou no 3º Concurso de Bandas de Braga onde arrecadou o 5º lugar.

Banda Musical de Santiago de Lobão

A Banda Musical de Santiago de Lobão surgiu em 1916, facto comprovado pelos mais idosos e por vários documentos (diplomas de participação, e mérito). Foi registada em 1978 na Secretaria Notarial da Feira. Em tempos ensaiou em Lourosa, como o nome “Banda da Cadinha” devido à alcunha do mestre que a fundou. Por volta de 1920, sediou-se definitivamente em Lobão, o que originou a atual designação.

BMSL

Banda Musical de Santiago de Lobão

Banda Musical de Santiago de Lobão

Sem lugar onde pudesse ensaiar, a Banda esteve quatro anos inativa. Em 1940, por iniciativa de um emigrante no Brasil, foram criadas as condições necessárias para que a Banda iniciasse uma atividade regular. A partir de 1945, fixou-se no lugar da Igreja, numa casa alugada onde permaneceu até 1995, data na qual se transferiu para uma sede própria já com boas condições, o Centro Cultural de Lobão.

Participou em vários certames musicais e culturais, em programas televisivos o radiofónicos, em festivais de música popular da INATEL e nas maiores festas e romarias de Portugal. A Banda é constituída por cerca de 55 elementos, na sua maioria estudantes de Música. Tem uma orquestra de jovens que tocam instrumnão poderem ser utilizados em rua.

Banda Sinfónica de Jovens de Santa Maria da Feira

A Orquestra de Jovens de Santa Maria da Feira surgiu em 1994, como uma formação que reunia, anualmente, os jovens músicos de instrumentos de cordas do Concelho, para os então chamados “Estágios de Verão”. Em 1997, a formação adquiriu carácter permanente, resultado do esforço conjunto da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira e das escolas oficiais de música do Concelho, nomeadamente a Escola de Música do Coral de Fornos e as academias de Música de Santa Maria da Feira e de Paços de Brandão.

A direção artística deste projeto ficou entregue ao maestro Osvaldo Ferreira que, desde 1997 até 2004, foi o principal responsável pela implementação e desenvolvimento deste projeto musical. Foram convidados para dirigir a Orquestra de Jovens de Santa Maria da Feira maestros de renome nacional e internacional, como: Carlos Fontes, Leonardo Barros, Ivo Cruz, Sokhiev Tugan, Joana Carneiro, Cesário Costa.

BSJSMF

Banda Sinfónica de Jovens de Santa Maria da Feira

Banda Sinfónica de Jovens de Santa Maria da Feira

Em 1998, dado o elevado número de instrumentistas de sopro interessados num projeto de trabalho em conjunto, sentiu-se a necessidade de criar a Banda Sinfónica de Jovens de Santa Maria da Feira. Esta formação funciona em paralelo com a Orquestra de Jovens de Santa Maria da Feira e foi convidado para a direção desta formação o professor Paulo Martins que, desde 1998 até 2004, assumiu também a função de Maestro Assistente da Orquestra e Banda Sinfónica de Jovens de Santa Maria da Feira.

Atualmente, o projeto Orquestra e Banda Sinfónica de Jovens de Santa Maria da Feira é uma associação cultural, da qual fazem parte a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, a Escola de Música do Coral de Fornos, as academias de Música de Santa Maria da Feira e de Paços de Brandão e as bandas filarmónicas do Concelho. O propósito desta associação é o desenvolvimento da música no Concelho de Santa Maria da Feira e a gestão artística do projeto Orquestra e Banda Sinfónica de Jovens de Santa Maria da Feira. A direção artística do projeto é da responsabilidade de Paulo Martins.

A Orquestra e a Banda Sinfónica de Jovens de Santa Maria da Feira cumprem objetivos de índole social pedagógica e didática, proporcionando um convívio saudável e a partilha de experiências a todos os jovens executantes. Numa fase determinante da sua formação, os jovens têm a oportunidade de integrar um projeto musical, que poderá marcar definitivamente a sua carreira profissional, despertando o gosto por uma arte que, de outra forma, poderia não se manifestar.

Este projeto proporciona um reforço pedagógico na formação dos jovens músicos, em termos de repertório orquestral, uma vez que fazem parte de uma verdadeira orquestra e têm, permanentemente, ensaios de naipe com professores da especialidade. No final de cada período, os alunos têm a possibilidade de demonstrar os conhecimentos adquiridos, através dos concertos que executam. A Orquestra tem ainda a particularidade de, mediante o repertório escolhido, promover jovens solistas num concelho repleto de grandes talentos.

A atuação da Orquestra em vários pontos do Concelho permite o contacto com alguns nichos populacionais que, de outro modo, não teriam acesso a este tipo de espetáculos, assumindo assim, um papel de grande relevo cultural. A Orquestra atuou em diferentes pontos do País e no estrangeiro: Joué-Les-Turs, França, 1999, Geminação «L’Années Joués; Alicante, Ocãna e Aranjues, Espanha, 2000 – Alessandria, Génova e Asti, Itália, 2001; Valência, Espanha, 2002, 2º Lugar Certamen Internacional de Bandas de Valência; Targovishte, Bulgária, 2002, Geminação; Roma, Pontedera, Itália, 2003, Festival 7Sois 7Luas; Valência, Espanha, 2005, 3º Lugar Certamen Internacional de Bandas de Valência.

Banda Musical de Souto

S. Miguel de Souto, situa-se a Norte da Beira Litoral, Santa Maria da Feira de onde dista 5 km.  Já em 1659, havia em Souto as Charamelas (percursoras das filarmónicas) que animavam as festividades locais e as de terras limítrofes e se incorporavam na procissão. Em 1849 um notável grupo de 15 ilustres soutenses fundou a Banda de Música de Souto. À frente desse grupo destacou-se o Padre Francisco Leite de Andrade, que nasceu em 1823 e faleceu em 1889.

BMS

Banda Musical de Souto

Banda Musical de Souto

A atividade da Banda iniciou-se em 1850, com 16 executantes, tendo como maestro o próprio Padre Francisco. Desde sua fundação, ininterruptamente tem vindo a Banda a prestar inestimáveis serviços à sua terra, quer instruindo musicalmente muitos soutenses, quer levando bem longe o nome de Souto e a qualidade da sua música. Em 1950 comemorou o 1º centenário da sua fundação. Era então, dirigida pelo maestro Manuel Maria dos Santos Reis que para o evento criou uma marcha militar da sua autoria.

Em 1966, teve a Banda de Música uma das suas maiores contrariedades. Em dia de Festa em Maceda, Ovar, um dos carros que transportava alguns músicos, numa passagem de nível em Esmoriz, foi abalroado por um comboio, tendo falecido três músicos e ficado feridos outros três.

Em 1970, construiu a Sede.  Em 1999, celebrou o seu 150º Aniversário, com diversas atividades, entre as quais um ”Encontro de Bandas”, onde participaram sete filarmónicas.

A Banda de Música, atualmente com sessenta executantes, bastante jovens. Um dos grandes orgulhos da Banda, é a Escola de Música que funciona nas salas da sede. A finalidade tem sido mantida e, por isso, tem investido muito no ensino da música e orgulha-se de ter um grande grupo de músicos oriundos da sua Escola.

Em 2004 a Banda Musical de Souto participou nas comemorações dos 150 anos da Banda de Musica de Ribeira Seca, na Ilha de S. Jorge, tendo-nos sido proporcionado visitas com atuações nas Ilha do Pico, Faial e S. Miguel.

Em 2005 participou no “I Concurso Nacional de Bandas Filarmónicas Cidade de Aveiro” tendo conquistado um honroso 2.º lugar. Em 2006 participou no “XIII Certame de Bandas de Música de Galicia” realizado em Boqueixón. No mesmo ano gravou o 1.º CD intitulado “Capricho Varino”. Em 2007, a Banda esteve presente na abertura do Festival Internacional de Marionetas do Porto. Em 2009 participou na 5.ª Edição do “Festival de Bandas Filarmónicas ao mais alto nível”, realizada no Auditório do Europarque.

Em 2010 participou no Encontro de Bandas Filarmónicas, inserido no programa “Verão na Casa”, realizado na Casa da Música. Em 2011 terá sido a primeira banda portuguesa a participar no IX Festival Internacional Bandas de Música “Ciudad de Torrevieja”. No decorrer desse ano, juntamente com os coros da Freguesia de Souto, efetuou pela primeira vez, um concerto coral sinfónico, repetido em várias igrejas.

Em 2012, participou no I Festival Ibérico de Bandas que se realizou no Conservatório de Música do Porto, integrado no programa das comemorações dos 95 anos. No final de 2012, a Banda gravou o seu 2º CD intitulado “ Fidelidade Musical”. Em 2013 a convite da Agrupación Musical Banda de Música de Guardo, participou no I Festival Internacional de Bandas de Música, em Guardo, Palência. Participou também na Filarmonia ao mais alto nível, na 1ª edição do III Ciclo, no Europarque.

Desde 2004, tem como Maestro Manuel Luis Azevedo, que acumula desde 2014 o lugar de Presidente da Direção.

Guitarra Portuguesa em praça de Santa Maria da Feira

MÚSICA À VISTA

Sugestões de património edificado

para uma rota musicoturística no Concelho de Santa Maria da Feira

Santa Maria da Feira

Guitarra portuguesa

Guitarra Portuguesa em praça de Santa Maria da Feira

Guitarra Portuguesa em Santa Maria da Feira

Guitarra Portuguesa em praça de Santa Maria da Feira

Mozelos

Tuna Musical Mozelense

Memorial

Tuna Musical Mozelense, Mozelos

Tuna Musical Mozelense, Mozelos