Rancho Folclórico da Casa do Povo do Pego, Abrantes
Folclore em Abrantes

Grupos etnográficos, tradições e atividades no Concelho

  • Região: Ribatejo
  • Distrito: Santarém
  • Concelho: Abrantes

7 grupos

  • Grupo Etnográfico Os Esparteiros de Mouriscas
  • Grupo Folclórico e Etnográfico Os Camponeses de Vale das Mós
  • Rancho Folclórico da Casa do Povo de Pego
  • Rancho Folclórico da Casa do Povo de São Miguel do Rio Torto
  • Rancho Folclórico da Casa do Povo do Tramagal
  • Rancho Folclórico e Etnográfico de Casais de Revelhos
  • Rancho Folclórico e Etnográfico Os Peneireiros de Martinchel

RFCPP

Rancho Folclórico da Casa do Povo do Pego, Abrantes

Rancho Folclórico da Casa do Povo do Pego, Abrantes

RFCPT

Rancho Folclórico da Casa do Povo do Tramagal, Abrantes

Rancho Folclórico da Casa do Povo do Tramagal, Abrantes

RFECR

Rancho Folclórico e Etnográfico de Casais de Revelhos, Abrantes

Rancho Folclórico e Etnográfico de Casais de Revelhos, Abrantes

RFEPM

Rancho Folclórico e Etnográfico Os Peneireiros de Martinchel, Abrantes

Rancho Folclórico e Etnográfico Os Peneireiros de Martinchel, Abrantes

Rancho Folclórico da Casa do Povo de São Miguel do Rio Torto

O Rancho Folclórico da Casa do Povo de São Miguel do Rio Torto foi fundado em 1985. Teve origem numa marcha de São João que teve grande aceitação por parte do público, o que suscitou nos participantes a criação de um rancho folclórico. A partir de então iniciou-se uma sensibilização da população e procedeu-se a uma pesquisa exaustiva e cuidada, de porta em porta, de demonstrações e gravações pelas pessoas mais idosas da aldeia.

Pelos conhecimentos, objetos e trajes adquiridos, chegou-se à conclusão de que São Miguel do Rio Torto tem um património cultural muito rico e possui uma das mais características formas de vida ribatejana, não a das lezírias, mas o Ribatejo bairrista. Devido à sua posição geográfica, sofre influências beirãs e alentejanas. Os trajes e danças tentam reproduzir o mais fielmente possível as suas tradições.

Desde a sua fundação que o Rancho Folclórico da Casa do Povo de São Miguel do Rio Torto continua a sua permanente pesquisa dos usos e costumes, dançar, cantares e tradições da sua terra, tendo já atuado em variados festivais de folclore.

Rancho Folclórico da Casa do Povo do Pego

O Grupo Folclórico do Pego nasceu em 1953. Continua a preservar e a divulgar as músicas, as danças e os hábitos. Tem mais de 20 números, alguns conhecidos no Pego “desde sempre”, outros trazidos pelos pegachos migrantes das zonas onde trabalhavam, passando a dança-las na sua terra de acordo com o seu modo de sentir. O Rancho apresenta trajos que são cópias autênticas dos trajos originais pegachos do final do século XIX e princípios do século XX.

Em 2019, o Rancho Folclórico da Casa do Povo do Pego realizou em agosto o seu 41º Festival de Folclore ‘Aldeia das Casas Baixas’. O Festival contou com a atuação do Rancho Folclórico do Baixo Vouga (Eixo, Aveiro); Rancho Folclórico e Etnográfico de S. Pedro de Alva (Penacova); Rancho Folclórico e Etnográfico da Casa do Povo de Pontével (Cartaxo); Rancho Típico de Pombal; e o anfitrião, Rancho Folclórico da Casa do Povo do Pego (Abrantes).

Museu “Os Moleiros”

O Presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, e o Vereador Luís Dias, acompanhados pelo Presidente da Junta de Freguesia de Rio de Moinhos, Rui André, estiveram na inauguração do Museu “Os Moleiros” da Casa do Povo de Rio de Moinhos, em 11 de outubro de 2020. Manuel Jorge Valamatos felicitou esta iniciativa e destacou a importância das coletividades e do associativismo no desenvolvimento das comunidades.

“Esta é uma Casa verdadeiramente histórica”, salientou o Presidente da Câmara de Abrantes desejando que “este Museu seja uma forma de mostrar o que são as raízes e a história desta Coletividade”. Por sua vez, Rui André, Presidente da Junta de Freguesia de Rio de Moinhos, também destacou a concretização deste Museu, bem como a atual reconstrução do edifício da Sede da Casa do Povo e a dedicação dos voluntários e membros da Direção, a par com o apoio dado pela autarquia de Abrantes ao associativismo.

Neste Museu do Rancho Folclórico “Os Moleiros” da Casa do Povo de Rio de Moinhos, os visitantes podem ver espólios de várias atuações, instrumentos, utensílios, trajes e objetos diversos antigos. “A nossa preocupação foi homenagear as tradições e os nossos antepassados, perpetuar a história pelo presente e pelo futuro”, salientou Liliana Carvalho, Presidente da Direção da Casa do Povo de Rio de Moinhos.

Museu “Os Moleiros”

Museu "Os Moleiros", de Abrantes

Museu “Os Moleiros”, de Abrantes

Rancho Folclórico e Etnográfico de Casais de Revelhos
  • Ribatejo (Médio Tejo)
  • Distrito: Santarém
  • Concelho: Abrantes

O Rancho Folclórico e Etnográfico de Casais de Revelhos foi fundado a em 1985.

O objetivo deste grupo é a pesquisa, recolha, preservação e divulgação do património cultural (material e imaterial) do concelhos de Abrantes.

Retrata a época final do século XIX princípio do século XX através das modas que eram cantadas e bailadas nos campos, nas eiras, noa largos e nas denominadas “Casas de Fora”, onde se realizavam os bailes.

No que se refere a trajes apresenta três vertentes, os de Domingueiro, Ocasião e Trabalho. Tem uma escola de folclore o Grupo de modinhas, jogos e brincadeiras.

Em 2013 publicou o seu álbum “Modas dos Nossos Avós”.

Em 2014 inaugurou o Núcleo Etnográfico de Casais de Revelhos.

É membro efetivo da Federação do Folclore Português.

Para inserir um grupo ou historial em falta, envie para meloteca@meloteca.com: será inserido gratuitamente. A fotografia em destaque neste momento é aleatória. Para ter foto destaque, contactos atualizados e estar no topo durante um ano opte pelo “Destaque Musorbis” (10€). As receitas ajudarão a criar o mapa interativo da música em Portugal.