Coretos do Concelho de Alcochete

Edificados em largos e jardins centrais das cidades, vilas ou aldeias, muitas vezes junto à igreja matriz, os coretos são equipamentos musicais marcantes na vida cultural e social das populações. São utilizadas, geralmente pelas bandas filarmónicas. Em alguns casos, são propriedade da filarmónica que o mandou construir. Em tempos mais recentes, os coretos têm vindo a ser utilizados também por outro agrupamentos musicais.

Alcochete . Largo Gago Coutinho

Coreto

Coreto de Alcochete, Largo Gago Coutinho

Coreto de Alcochete, Largo Gago Coutinho

Do lado norte da Igreja Matriz, o jardim foi projetado por António Facco Viana Barreto. Situado no Largo Almirante Gago Coutinho, na sede do Concelho, o coreto foi inaugurado a 15 de janeiro de 1956, por ocasião dos 58 anos da restauração do concelho de Alcochete. É um equipamento de caráter popular, de planta exagonal e composição simples.

Samouco . Praça José Coelho

Coreto

Coreto do Samouco, Praça José Coelho

Coreto do Samouco, Praça José Coelho

O coreto existente na Praça José Coelho foi inaugurado a 26 de setembro de 1981. É um elemento artístico e decorativo de uma das praças emblemáticas da Vila e que é também um espaço de eleição de atuação da Banda de Música da Sociedade Filarmónica Progresso e Labor Samouquense.

No que se refere à arquitetura civil o núcleo urbano antigo de Samouco integra uma diversidade de edifícios, na sua maioria construções tradicionais, principalmente casas de habitação, algumas datadas do século XIX. Outros integrados nas antigas quintas agrícolas, nomeadamente a Quinta do Braga, atualmente ocupada pela Junta de Freguesia, ou a Quinta de S. Brás, que alberga uma unidade de turismo de habitação. Destaque ainda para a Casa do Mirante, edifício revivalista do princípio do século XX, que se desenvolve em torno de uma torre octogonal de quatro pisos, profusamente decorada com azulejos e ferros forjados.

No mesmo local figura também uma réplica do “Chafariz de Roda” mandado construir por ordem da Junta de Freguesia e Câmara Municipal de Alcochete em 1992, devolvendo à população um símbolo indissociável da história recente da Freguesia. Inaugurada em 1994 a Estátua do Cavador pretende homenagear os trabalhadores rurais que desde épocas recuadas viveram e exerceram a sua atividade na freguesia. Da autoria do mestre Romeu Correia a estátua do cavador está situada na Praça da Liberdade, defronte do edifício da Junta de Freguesia.

No capítulo do património religioso, destacam-se a igreja de S. Brás, cuja edificação remonta ao século XVI, e ostenta nas suas paredes interiores painéis pintados em azulejos com cena alusivas à vida do santo patrono, e a Ermida de Nossa Senhora da Conceição dos Matos, construída durante o século XVI, situada junto à estrada entre Alcochete e Samouco.