Cristina Branco, fadista, de Almeirim
Musicos naturais do Concelho de Almeirim

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

Cristina Branco

Cristina Branco, fadista, de Almeirim

Cristina Branco, fadista, de Almeirim

Custódio Castelo

Custódio Castelo, guitarra portuguesa, de Almeirim

Custódio Castelo, guitarra portuguesa, de Almeirim

José Marques

José Marques, violeiro, nasceu em Almeirim, distrito de Santarém, Portugal. Interessou-se desde tenra idade pela música, pelas guitarras e outros instrumentos de corda. No entanto, como era necessário para muitos em Portugal na época, aos 14 anos, José iniciou sua carreira como carpinteiro, que ele continuou por muitos anos com sucesso, ganhando muita experiência e habilidade neste campo.

Enquanto morava no Alentejo, Portugal, José teve a sorte de ser apresentado a um construtor de instrumentos tradicionais de cordas, o luthier Daniel Luz, e logo encontrou a felicidade de poder aprender a arte de fazer instrumentos. José Marques aprendeu durante dois anos com Daniel Luz a arte de construir guitarra portuguesa, viola campaniça, ukulele, guitarra clássico e vários outros instrumentos, tudo construído à mão.

Após esse período de aprendizagem com Daniel Luz, tomou a decisão de aumentar seu conhecimento e compreensão de vários violeiros do passado e do presente, estabelecidos e respeitados no mundo, aprendendo as suas técnicas e muito mais sobre materiais. Durante mais de 5 anos José morou no Reino Unido em Bury, St Edmunds – Suffolk, onde trabalhou na sua pequena oficina construindo guitarras de concerto e acústica corda de aço, e guitarras elétricas que desenvolveu segundo o seu próprio modelo e desenho.

Neste momento José Marques vive no Concelho de Almeirim, Portugal, mais focado na construção da guitarra clássica.

As principais influências de José na construção de guitarra clássica são os grandes mestres mais antigos e que constroem os modelos mais tradicionais mas também as novas vertentes dos chamados mais modernos, como é o caso das guitarra double top e lattice. Algumas das suas influências são: Antonio de Torres, José Romanillos, Hermann Hauser e Daniel Friederich, Matthias Dammann, Gernot Wagner, entre outros.