Banda Musical de Arouca
Filarmónicas de Arouca

Bandas de Música, história e atividades no Concelho

  • Associação da Banda Musical do Burgo
  • Banda Musical de Arouca
  • Banda Musical de Figueiredo
  • Sociedade Filarmónica Santa Cruz de Alvarenga
Associação da Banda Musical do Burgo

Na monografia dedicada ao concelho de Arouca, Simões Júnior refere que “… em 1898, dentro desta sociedade (Música da Vila), começou a haver uma certa efervescência nos elementos do Burgo, que orientados por Joaquim Fernandes Quintas, que já tinha pertencido à Banda de Figueiredo, fundaram uma nova Banda, com Sede no Burgo, que depois foi regida por Manuel Costa (“o Teto”), estabelecendo-se partidos entre as duas populações…”

A escritura da filarmónica data de 1901. O seu primeiro regente e fundador terá sido Manuel da Costa Oliveira, que terá recebido o apoio de seus irmãos. Manuel da Costa Oliveira era profundo conhecedor da música e chegou a compor algumas obras para a sua Banda que, ainda recentemente, foram executadas pela Banda Musical de Figueiredo.

A Banda Musical do Burgo viria a atingir o seu auge, a nível artístico, sob a regência de Adriano de Sousa Cavadinha. Como regente, revelou-se extremamente rigoroso e disciplinador o que fez com que o fruto do seu trabalho fosse, merecidamente, reconhecido na altura. Mais tarde, a Banda Musical do Burgo entrou numa fase de declínio. A emigração, a inexistência de uma escola de música e a falta de meios financeiros mostraram-se fatores decisivos para o seu desaparecimento na década de 1960.Foram ainda seus regentes Ardino Moreira de Sousa, Manuel de Sousa Fontes e Alberto Gomes dos Santos.

Renasceu como Associação da Banda Musical do Burgo Arouca (ABMBA) no dia 09 de outubro de 2008 no Cartório Notarial de Arouca. O impulso veio de António Manuel Brandão da Costa Oliveira (descendente dos fundadores da Banda Musical do Burgo).

A grande aposta da Banda Musical do Burgo – Arouca, centra-se na área pedagógica e do ensino da música, mas com a preocupação de chegar a todo o concelho, mesmo aos locais mais remotos. A grande inovação estará na versatilidade e variedade de instrumentos a ensinar que não se centrará apenas nos instrumentos de Banda, mas também nos instrumentos tradicionais e populares. Para este projeto a associação conta com uma equipa especializada e habilitada no ensino da música. Com importância similar, surge o trabalho de recriação da Banda de Música.

Banda Musical de Arouca

Banda Musical de Arouca, Associação Cultural e Artística, foi fundada no primeiro quartel do século XIX, por Bernardino Joaquim Soares, que também foi o seu primeiro regente, em data que não se pode precisar. Todavia, o ano de 1825 é o que se considera correcto, segundo consta em documentos existentes no Arquivo Distrital de Aveiro. Supõe-se que terá começado na condição de orquestra destinada a abrilhantar festividades religiosas nesta região, por influência das directrizes emanadas do Mosteiro de Santa Maria de Arouca. Este Mosteiro, aliás, afirmou-se como um enorme foco de religiosidade, onde se exercitava a música gregoriana, com acompanhamento do monumental órgão conventual, desde o século XVIII. Em Abril de 1877, com o então regente Miguel António Valente, músicos e associados, é celebrada uma escritura de reforma de outra, de obrigação e contrato, o que se pressupõe tratar-se de uma renovação da escritura anterior, pouco mais se sabendo sobre esse passado remoto. Por mais de um século passaram diversos mestres/regentes pela Banda Musical de Arouca, que emprestaram à nobre arte da interpretação musical elevada qualidade, gerando, em consequência, excelentes gerações de músicos executantes e solistas.

BMA

Banda Musical de Arouca

Banda Musical de Arouca

A implantação da Primeira República teve consequências generosas na renovação instrumentista e de conteúdo musical da Banda, fomentando um desenvolvimento na constituição da mesma, formando-se novos músicos e novas mentalidades de desenvolvimento cultural. Em 1980 foi renovada a Escola de Música, não só para dar resposta inequívoca ao desejo de muitos jovens, mas também para acorrer às necessidades de formação de novos músicos para a Banda. As necessidades educacionais de uma sociedade que se formava em consequência da dinâmica impulsionada pela revolução de Abril de 1974, levou a Banda Musical de Arouca a repensar as suas expectativas, adequando-as também às de uma juventude carente de civilidade adequada. Desta Escola, em contínuo movimento e de considerado nível de aproveitamento, têm saído muitos jovens, alguns deles hoje integrados em diversas instituições musicais do país. Actualmente, são cerca de 40 os alunos da Escola.

A 25 de Junho de 1985 foi a Banda Musical de Arouca oficializada juridicamente, através da outorga de escritura pública, que se acha registada nos organismos competentes. Foi-lhe também conferido, por Sua Excelência o Senhor Primeiro Ministro, o grau de Utilidade Pública, pelo muito que esta instituição tem feito em prol da causa musical. Também a Câmara Municipal de Arouca distinguiu esta Banda com a Medalha de Mérito Municipal – Grau Ouro. A 24 de Agosto de 1991 foi criada a Orquestra Ligeira da Banda, que conquistou grande sucesso entre a juventude componente e apreciadora, tendo esta terminado por falta de apoios. São, aliás, os jovens os que mais se têm empenhado nas várias iniciativas levadas a cabo pela Direcção da Banda Musical de Arouca. Em consequência directa do labor dos seus componentes, esta Banda conquistou o primeiro lugar no Concurso de Bandas Civis “Terras de Cambra”, em 19 de Setembro de 1993.

No ano de 2000, o Maestro Aristides Noites, depois de ter sido músico dos mais diversos instrumentos pelo período de 20 anos (1949/1969) e 30 anos como regente/maestro, entregou o cargo ao seu filho, Valdemar António Santos Pinho Noites, que em 2007 este passou a ser executante de clarinete ficando a Maestro, João Dias. Em 2000, a Banda Musical de Arouca festejou os seus 175 anos, tendo-se a Direção empenhado na organização de um pequeno encontro de bandas.

A Banda Musical de Arouca é composta por cerca de 77 elementos. Alguns dos elementos encontram-se integrados em bandas militares e orquestras do país.

Banda Musical de Figueiredo

Fundada em 1741, a Banda Musical de Figueiredo é a segunda mais antiga do Distrito de Aveiro, e uma das mais antigas do País. No lugar de Figueiredo existe uma capela onde se realizava e realiza uma festa dedicada ao Senhor da Boa Morte. Foi então que em 1741 o então padre da freguesia, Padre Mendes de Sousa , que era natural do lugar de Figueiredo, mais propriamente da “casa da fonte”, decidiu juntar um grupo de homens com habilidade para tocar alguns instrumentos, para abrilhantar a festa da terra. A este grupo de homens foi dado o nome de “Capela da Música”, que mais tarde deu origem a Banda Musical de Figueiredo.

A Banda chamou para si durante vários anos muitos músicos de toda a região de Arouca, e esteve em atividade constante abrilhantando festividades em todo o concelho de Arouca e concelhos vizinhos. O seu primeiro maestro foi o Padre Mendes, seguindo-se o Velho do Cabo, Vicente da Nogueira, Pato de Moldes, Vitorino da Nogueira, António do Paulo, Américo da Nogueira, Américo Fontes, Almerindo Pinheiro, Júlio Moreira, Fernando Araújo e sendo atualmente Fernando Alves.

Os elementos que compunham a Banda eram maioritariamente homens de Figueiredo, fazendo também parte alguns indivíduos da vila de Arouca, entre eles Miguel António Valente, mestre sapateiro, que com outros dissidentes da banda de Figueiredo fundaram no ano de 1820 a Banda Musical de Arouca.

BMF

Banda Musical de Figueiredo

Banda Musical de Figueiredo

Em 1910, um grupo de homens do Burgo abandonaram a banda de Figueiredo e formaram outra banda no Burgo que ficou a chamar-se Banda Musical do Burgo. A Banda de Figueiredo esteve sempre em atividade durante todos estes anos, até 1987, ano em que, por falta de dinheiro e músicos, parou a sua atividade. Em 1994 um grupo de jovens formou uma associação com fim a formar uma escola de música e mais tarde pôr de pé a Banda Musical de Figueiredo. Foi assim que em 1995 a escola de música com o professor e músico Almerindo Pinheiro e o maestro Américo Fontes, retomaram a atividade da Banda de Figueiredo.

Sociedade Filarmónica Santa Cruz de Alvarenga

A Sociedade Filarmónica Santa Cruz de Alvarenga foi fundada em 1902, com o nome de “Philarmonica Alvarenguense” com cerca de 20 elementos, por Adriano Telles, natural de Alvarenga. Conta atualmente com cerca de 50 elementos, dos quais 12 são do sexo feminino, que além dos seus empregos e/ou vida académica, se dedicam à música.

É regida desde 1996 pelo 1º Sargento António Manuel Barbosa da Silva. Através de uma Escola de música dirigida por ele, que conta também com auxílio de alguns jovens elementos que a par da sua vida académica, apoiam no ensino da música os cerca de 35 aprendizes. A Banda fez duas gravações, uma em 1997 e outra em 2003.

SFSCA

Sociedade Filarmónica Santa Cruz de Alvarenga

Sociedade Filarmónica Santa Cruz de Alvarenga