Rancho Folclórico “Podas e Vindimas”
Folclore em Arruda dos Vinhos

Grupos etnográficos, tradições e atividades

  • Rancho Folclórico “Podas e Vindimas”

O Rancho Folclórico Podas e Vindimas de Arruda dos Vinhos é uma associação de natureza etnográfica constituída em 19 de dezembro de 1980. Está sediado na Rua Heliodoro Salgado, na freguesia e concelho de Arruda dos Vinhos. A coletividade que é o único rancho do concelho, tem tido sempre altos e baixos, mas nos últimos anos a falta de elementos para compor direções ou mesmo para participar enquanto dançarinos tem sido mais difícil. Diogo Jaleco, presidente da direção, lembrou ao Jornal O Chafariz que a falta de novos elementos pode condicionar o futuro do rancho. Em causa está o facto de a coletividade não conseguir atrair jovens para a atividade. O rancho infantil era o “viveiro” da coletividade, mas acabou por volta de 2012. Também o rancho adulto está a passar dificuldades com falta de renovação. “Por isso estamos a tentar de todas as maneiras focar crianças tendo em vista o grupo infantil para darmos continuidade ao grupo dos mais velhos, porque neste momento não tem continuidade”.

O rancho de Arruda dos Vinhos não é um rancho federado. Isso não afeta as saídas nem a atividade do mesmo, já que segundo Diogo Jaleco, as saídas para fora do concelho vão aparecendo, e vinca mesmo que federar o rancho não é uma prioridade da direção que fornece a roupa e o calçado aos cerca dos seus 50 dançarinos.

Ainda assim a atividade do rancho podas e vindimas não se limita apenas ao folclore. Há 20 anos lançou uma secção de dança desportiva que tem trazido uma série de títulos para a coletividade. A secção que tem ainda o mesmo professor desde que começou, possui também uma quota-parte de responsabilidade no sucesso da coletividade. Com cerca de uma dezena de pares, a secção tem competido e levado para fora dos limites do concelho o nome de Arruda dos Vinhos.

RFPV

Rancho Folclórico “Podas e Vindimas”

Rancho Folclórico “Podas e Vindimas”

Para além da dança desportiva, a zumba, as sevilhanas e o karaté fazem também parte do leque de ofertas desta coletividade que luta pela sobrevivência, nomeadamente, da atividade principal, o folclore.

Fonte: Chafariz de Arruda

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *