Beja e os seus músicos

António Zambujo, cantor, de Beja
Música e Músicos do Concelho de Beja

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

  • Abel Viana (folclorista, 1896-1964)
  • Ana Paula Russo (soprano, 1959)
  • António Zambujo (cantor, 1975)
  • Buba Espinho (cantor)
  • Carlos Gonçalves (guitarrista, 1938)
  • João Segurado (organista, 1984)
  • José Domingos Brandão (violoncelista, 1904-1983)
  • Manuel Joaquim Delgado (folclorista, 1910-1910)
  • Tonicha (cantora, 1946)
Ana Paula Russo

Ana Paula Russo nasceu em Beja.

Completou o Curso Superior de Canto do Conservatório Nacional, estudou em Salzburg e Luzern com Elisabeth Grümmer e H. Diez e trabalhou com Gino Becchi, C. Thiolass, Regine Resnick e Marimi del Pozo. Licenciou-se em Canto pela Esc. Superior de Música de Lisboa.

Como solista tem actuado em inúmeros concertos de “Lied”, ópera e oratória, quer em Portugal, quer no estrangeiro (Espanha, França, Bélgica, País de Gales, Itália, Macau, Canadá, Estados Unidos). Destacam-se, nomeadamente, trabalhos para a Fundação Calouste Gulbenkian, RTP, RDP, a Europália-91 (em Bruxelas), espectáculos no âmbito de Lisboa 94 – Capital da Cultura e a participação, entre outros, nos Festivais de Música dos Capuchos, Leiria, Estoril, Algarve, Póvoa de Varzim, Figueira da Foz, Ischia e no Festival Internacional de Macau. Dos muitos concertos e recitais destacam-se obras como “O Livro dos Jardins Suspensos” de A. Schönberg, “Les Noces” de Stravinsky, “Les Illuminations” de Britten, a Cantata op.29 de Webern, obras de A. Chagas Rosa, os “Carmina Burana” de Orff e as Operetas “Monsieur Choufleuri.” e “Bataclan” de Offenbach.

Clique AQUI para ler a biografia completa.

Ana Paula Russo, soprano, de Beja

Ana Paula Russo, soprano, de Beja

António Zambujo

Ainda pequeno, António Zambujo (Beja, 19 de setembro, 1975-) apaixonou-se pelo Fado e pelas vozes de Amália Rodrigues, Maria Teresa de Noronha, Alfredo Marceneiro, João Ferreira Rosa, Max entre muitos outros. Estava habituado a cantar em família e entre amigos, e aos 16 anos chegou mesmo a ganhar um concurso de fado.

Cresceu a ouvir o cante alentejano. A harmonia das vozes, a cadência das frases e o tempo de cada andamento, foram para sempre uma influência. Nascido em Beja, em 1975, António Zambujo começou a estudar clarinete com 8 anos, estreando-se no Conservatório Regional do Baixo Alentejo.

Ainda pequeno, apaixonou-se pelo Fado e pelas vozes de Amália Rodrigues, Maria Teresa de Noronha, Alfredo Marceneiro, João Ferreira Rosa, Max entre muitos outros. Estava habituado a cantar em família e entre amigos, e aos 16 anos chegou mesmo a ganhar um concurso de fado.

Clique AQUI para ler a biografia completa.

António Zambujo, cantor, de Beja

António Zambujo, cantor, de Beja

Buba Espinho

Natural de Beja, Buba Espinho desde cedo vive e sente a música de raiz intensamente, pela mão do pai, também músico, que lhe transmitiu a importante missão de a preservar. A relação entre dois patrimónios culturais imateriais da humanidade, o Cante Alentejano e o Fado, sente-se quando o ouvimos e está bem presente no seu álbum de estreia.

Se o Cante Alentejano surgiu de pequeno com Buba, o Fado apareceu mais tarde, mas de forma natural, como a estética que percebeu que iria cruzar em perfeita harmonia as influências das suas raízes. Jovem, Buba tem já uma longa história na música, primeiro no Cante, onde integrou diversos grupos, os Adiafa, A Moda Mãe, Os Bubedanas, Mestre Cante e Há Lobos Sem Ser na Serra…

Um vasto caminho que chegado a 2016, e assumindo já o seu lugar como fadista, venceu a Grande Noite do Fado no Coliseu dos Recreios, tornando-se numa das mais aguardadas promessas da nova geração fadista. Aí decidiu iniciar uma carreira a solo. Fez os seus primeiros concertos a solo, explorou a composição e as suas primeiras canções foram gravadas. Desde então tem sido convidado regular em espetáculos de grandes nomes da música portuguesa: Rui Veloso, Ana Moura, António Zambujo, Celina da Piedade, Júlio Resende, entre muitos outros.

Buba Espinho, cantor, de Beja

Buba Espinho, cantor, de Beja

De Beja partiu para Lisboa, com passagem pelas mais icónicas casas de Fado da cidade, do Faia a Casa de Linhares, do Clube de Fado à Adega Machado, e daqui para os principais palcos nacionais, com marcantes atuações no Festival NOS Alive, no Coliseu de Lisboa, Coliseu do Porto, Casa da Música, CCB, Ovibeja, e muitos mais. Para além de Portugal, Buba, trilha ainda uma carreira que se prevê também de sucesso internacional, passando já por países como Inglaterra, Timor, Canadá, Espanha, Áustria, Suíça, França…

2020 trouxe o seu primeiro disco de estúdio, e a difícil harmonia entre a juventude e a tradição, entre o interior e o litoral, o legado de gerações da música de raiz portuguesa com a coragem e determinação de arriscar e inovar. O álbum inclui “Roubei-te um Beijo”, o primeiro single, que conta com a participação de António Zambujo no single e no vídeo. Foi escrito por Armando Torrão, cantador e autor do Cancioneiro Modas Populares do Concelho de Serpa.

Buba Espinho e António Zambujo são da mesma terra rural, onde poucos são os que arriscam, e ao ver uma personalidade como o Zambujo, a arriscar e a alcançar o sucesso, as gerações mais novas, vindas do mesmo meio, acreditem em alcançar outros e novos objetivos que não serão possíveis no interior.

Destaque ainda neste álbum para o segundo single “Olhos de Mel” e participações de Tiago Nacarato e Diogo Brito e Faro, no tema “Zefa” e de Raquel Tavares na canção “O Verão, O Alentejo e os Homens”. “Jardim Paraíso”, outra canção deste álbum, tem letra de João Monge e música de António Zambujo.

Carlos Gonçalves
Carlos Gonçalves, de seu nome completo Carlos dos Santos Gonçalves, nasceu em Beja, no dia 3 de junho de 1938. Morreu no dia 23 de março de 2020, com 81 anos, em Lisboa.

Influenciado pelo pai, que tocava bandolim, cedo começou a interessar-se por música tendo para o efeito aprendido solfejo. Chegou mesmo a tocar clarinete na Banda Capricho, em Beja, mas a sua paixão era a guitarra portuguesa, que se habituou a ouvir nos programas emitidos pela Emissora Nacional, através dos mestres José Nunes e Raul Nery, suas referências fundamentais.

Oriundo de uma família modesta, não dispunha de rádio e era numa taberna próxima que, ainda jovem, ia ouvir religiosamente os programas semanais de 20 minutos de fados e guitarradas. Com excelente ouvido e memória musicais, captava os sons que ouvia e, de seguida, corria para casa, pegava na guitarra que lhe haviam emprestado e tentava reproduzir, dentro dos moldes possíveis e à sua maneira, o que ouvira na rádio. Foi desta forma, quase autodidata, que conseguiu aprender a tocar guitarra portuguesa, revelando simultaneamente uma enorme destreza técnica.

Leia AQUI a biografia completa.

João Segurado

João Segurado nasceu em Beja, em 1984. Iniciou os estudos musicais no Conservatório local, onde estudou piano e órgão.

É licenciado em órgão pela Escola Superior de Música de Lisboa, onde estudou sob a orientação de António Esteireiro (órgão e improvisação).

Concluiu o III Curso Nacional de Musica Sacra, na vertente de órgão, realizado em Fátima, entre 2003 e 2006. Frequentou classes de aperfeiçoamento com Franz Josef Stoiber, Hans-Ola Ericsson, João Vaz, José Uriol entre outros.

Participou nos ciclos “Jovens Organistas em Aveiro” e “Jovens Organistas em Lisboa” assim como nos recentes Festivais Internacionais de órgão de Lisboa.

Leia AQUI a biografia completa.

Tonicha

Antónia de Jesus Montes Tonicha Viegas, mais conhecida como Tonicha (Beja, 8 de março de 1946) é uma cantora portuguesa.

Tonicha, cantora, de Beja

Tonicha, cantora, de Beja

Queres destacar-te? Clica AQUI.

Destaca-te no Musorbis

Destaca-te no Musorbis