Élio Anes Leal, maestro, do Bombarral
Músicos naturais do Concelho do Bombarral

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

  • Élio Anes Leal (maestro)
Élio Anes Leal, maestro, do Bombarral

Élio Anes Leal, maestro, do Bombarral

Élio Anes Leal nasceu no Bombarral em 1986 e iniciou os estudos musicais com onze anos de idade na Escola de Música do Círculo de Cultura Musical Bombarralense. Frequentou o Conservatório de Música de Caldas da Rainha e, posteriormente, a Escola de Música Nossa Senhora do Cabo, onde concluiu o Ensino Complementar de Música na variante de Trompete. Iniciou os estudos de Direção Musical em 2003, tendo desde então trabalhado com os maestros Jean-Marc Burfin, Jean-Sébastien Béreau, Jo Conjearts, Timothy Reynush, Mark Heron, Johannes Schlaefli e Scott Sandmeier. Estudou, ainda, Direção Coral e Reportório Operático com Enza Ferrari e Giovanni Andreoli.

Em diferentes contextos, teve a oportunidade de dirigir os seguintes agrupamentos: Orquestra Sinfónica do Chipre, Orquestra Ibérica, Orquestra do Algarve, Orquestra de Cascais e Oeiras, Orquestra Promenade, Orquestra Académica Metropolitana, Orquestra de Câmara do Luxemburgo, Orquestra Clássica do Sul, Orquestra de Reportório da ESML e Percussões da Metropolitana, entre outros. Desde 2005, é maestro da West Europe Orchestra, orquestra de jovens que fundou e com a qual foi vencedor nacional na 1.ª edição do Prémio Carlos Magno para a Juventude, em 2008, tendo sido distinguido pelo então Presidente do Parlamento Europeu, Hans-Gert Pottering, e pela chanceler alemã, Angela Merkel. Em 2010, foi convidado para dirigir um concerto para o então Presidente da República Aníbal Cavaco Silva, aquando do seu roteiro das comunidades locais inovadoras no Oeste.

Ainda com a West Europe Orchestra, gravou um CD dedicado à música portuguesa, a convite da editora Lusitanus Edições e, em 2012, fez uma digressão à Grécia. Em 2013, recebeu a distinção de «Profissional do Ano» pelo Rotary Club do Bombarral e foi um dos onze finalistas do Concurso Internacional de Direção Solon Michaelides, entre 180 candidaturas de todo o mundo. Em 2016, foi um dos doze jovens maestros portugueses selecionados para participar na categoria de Direção de Orquestra da 30.ª Edição do Prémio Jovens Músicos, onde teve a oportunidade de dirigir a Orquestra Sinfónica Portuguesa. Tem dirigido diferentes formações orquestrais, acompanhando em concerto músicos solistas de diversos estilos, tais como Sofia Escobar, Barbara Barradas, Marco Alves dos Santos, Luís Gomes, Carlos Guilherme, Jorge Palma, Luís Represas, Deolinda, Paulo de Carvalho, Rita Guerra, Vitorino Salomé, João Só, Mafalda Arnauth, Anabela, André Sardet, Tim, Mafalda Veiga, 3 Bairros, Sissi Martins, Rúben Madureira, Ana Bacalhau, Carlão, Gisela João e FF (Fernando Fernandes).

Apresentou-se em concerto acompanhando o pianista Artur Pizarro e dirigiu, em estreia absoluta, O Pequeno Príncipe do compositor Sérgio Azevedo, baseado na obra de Antoine de Saint-Éxupéry e d’As Fábulas de La Fontaine, uma encomenda da Metropolitana ao compositor Lino Guerreiro no âmbito da inauguração do LU.CA – Teatro Luís de Camões, a convite da Câmara Municipal de Lisboa. Em 2019 participou na série da SIC Notícias «As empresas são como orquestras?» em parceria com a Deloitte Portugal. Colabora regularmente na redação de notas de programa para a temporada de música da Fundação Calouste Gulbenkian e assina crónicas de âmbito musical no Jornal Região Oeste.

Élio Anes Leal é licenciado em Direção de Orquestra pela Academia Nacional Superior de Orquestra, onde estudou sob a orientação do maestro Jean-Marc Burfin. É professor no Conservatório de Música da Metropolitana, diretor artístico da Orquestra Juvenil Metropolitana e encontra-se a concluir o mestrado em Direção de Orquestra na Escola Superior de Música de Lisboa.