Teatro Municipal de Bragança

AUDITÓRIOS DO CONCELHO

TEATRO MUNICIPAL DE BRAGANÇA

O Teatro Municipal de Bragança, da autoria do arquiteto Filipe Oliveira Dias, é o mais emblemático do Concelho e do Distrito. O foyer assume um papel fundamental neste projeto pois é o primeiro espaço interior do edifício ao qual o público tem acesso. A grande boca de cena que constitui a parede envidraçada do foyer com pé direito de cerca de 6m permite ter uma visibilidade total da Praça Professor Cavaleiro de Ferreira e ser visto a partir desta. Lateralmente de ambos os lados e à mesma cota encontram-se duas praças que permitem a extensão do foyer.

Do foyer às entradas da sala de espetáculos acede-se a partir de 4 caixas de escadas ou ainda por um elevador. A sala é constituída por plateia sem coxia central com uma capacidade para aproximadamente 400 pessoas. A sua forma é o resultado de um diálogo entre o desenho conceptual de arquitetura e o comportamento acústico. O edifício do Teatro Municipal de Bragança, apesar da sua modernidade, contém a imagem da própria cidade: austera, branca e limpa.

O TMB permite conjugar um plano de elevada requalificação urbanística do centro da cidade, com uma surpreendente solução arquitetónica, moderna e arrojada, plena de opções originais que garantem o mais elevado índice de satisfação de todos os utentes, os que criam e os que desfrutam o espetáculo. A arquitetura e integração urbana, as técnicas de sala, a organização interna e as vertentes estéticas e tecnológicas, contêm aspetos muito salientes. Três configurações de sala foram conseguidas com sucesso: Concerto, Teatro e Ópera. A construção do Teatro foi um projeto que a autarquia assumiu no âmbito dos principais objetivos estratégicos no que diz respeito à política cultural, procurando deste modo responder aos anseios mais antigos e profundos dos agentes culturais, da população em geral, da cidade e da região.

Filipe Oliveira Dias (Porto, 16 de outubro de 1963 – Porto, 15 de outubro de 2014), é autor dos teatros de Bragança, Vila Real e Helena Sá e Costa, no Porto, entre outras obras. Licenciado em 1989 pela Escola Superior Artística do Porto e doutorado pela Universidade de Sevilha, Filipe Oliveira Dias foi também autor do projeto de reabilitação do cinema de São João da Madeira. O arquiteto do Porto ficou conhecido por ter concebido as cadeiras instaladas na renovada sala de imprensa da Casa Branca, “casa oficial” do presidente dos Estados Unidos. A obra de Filipe Oliveira Dias está documentada em dois livros editados pela Campo das Letras: 15 Anos de Obra Pública (2004) e Odyssey – Architectural and Design Exploration (2007).

CONTACTOS

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *