Cascais e os seus festivais

Festival Estoril Lisboa
Festivais de música em Cascais

Ciclos, encontros, temporadas e festivais de música no Concelho

EDP Cool Jazz

Sítio: www.edpcooljazz.com

A edição do EDP Cool Jazz agendada para 2020 e mais tarde para 2021, acabou ser adiada para 2022 devido à pandemia. De acordo com os organizadores, “os bilhetes de 2020 e 2021 serão válidos para os mesmos concertos de 2022 não sendo necessário efetuar a troca”. Em 2022, será a 17ª edição do Festival.

Festas do Mar

Promovidas pela Câmara Municipal de Cascais, as Festas do Mar são o maior evento do ano em Cascais. Realizam-se em agosto, na Baía de Cascais. O festival conta com uma década de existência, tendo sido interrompido pela pandemia.

Festival Estoril Lisboa

O festival foi fundado em 1975 no seio da então Junta de Turismo da Costa do Sol com o nome Festival de Música da Costa do Sol, sob proposta do guitarrista Piñeiro Nagy e o aval do compositor Fernando Lopes-Graça, do musicólogo João de Freitas Branco e da pianista Helena de Sá e Costa, em complemento dos Cursos Internacionais de Música, que esta entidade tinha criado em 1962. Em 1981 foi assinado o protocolo que confere a organização e gestão do festival à Associação Internacional de Música da Costa do Estoril, criada exclusivamente para esse efeito, e altera o nome para Festival de Música da Costa do Estoril.

O contributo do festival à difusão de novos valores e de criações recentes, tem-se manifestado através de mais de trezentas obras apresentadas pela primeira vez em Portugal, muitas das quais em estreias mundiais.

Entre mais de um milhar de artistas presentes no festival, destacam-se nomes do maior prestígio mundial, muitos dos quais atuaram pela primeira vez em Portugal.

O festival tem decorrido em monumentos nacionais e salas históricas como Palácio da Cidadela de Cascais, Museu dos Condes de Castro Guimarães (Cascais), Museu da Música Portuguesa, Igrejas de Carcavelos, Estoril, Cascais, São Domingos de Rana e Escola Salesiana, Centro de Congressos do Estoril, Centro Cultural de Cascais, Auditório Senhora da Boa Nova, Salão Atlântico (Hotel Palácio do Estoril) e outras.

Em 1983 o Festival foi admitido na European Festivals Association, máximo organismo mundial da especialidade. Em 1997, Piñeiro Nagy, Director do FMCE, foi eleito para o Executive Board da EFA e reeleito sucessivamente até 2002. Em 1999 foi eleito para a Comissão de Relações com a Comissão Europeia e em 2001 para a Administração da Asbl Eurofestivals, com sede em Bruxelas, criada após a extinção desta. Em 2008 foi novamente eleito para o Executive Board e reeleito em 2011 e 2017, ano em que o festival prepara o, de novo, acolhimento da AG da EFA em 2019 e, pela primeira vez em Portugal, em simultâneo com o 3º Arts Festivals Summit. No decorrer desta cimeira foi nomeado Membro Honorário da EFA.

A partir de 2001 foram criadas as Semanas de Música do Estoril, e alterou o nome para Festival do Estoril. Em 2002 criou o projecto Mare Nostrum, dedicado à cultura do Mediterrâneo, inspirando o futuro projeto europeu MusMA (Music Masters on Air) criado pela EFA em 2009. A participação ativa do projecto Mare Nostrum no Ano Europeu do Diálogo Intercultural e no Ano Europeu da Inovação e Criatividade de 2008 e 2009, respetivamente, trouxe o reconhecimento da Comissão Europeia através da concessão do FestLabPass ao Festival do Estoril pelo seu valioso contributo. Em 2012 promoveu no seio da EFA a criação da plataforma europeia Europe for Festivals-Festivals for Europe (EFFE), projeto apoiado pela Comissão Europeia.

Em 2005, o Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio, assistiu à comemoração do 30º aniversário da sua fundação e concedeu a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique a Piñeiro Nagy, seu director artístico.

Em 2013, após a adesão da Câmara Municipal de Lisboa à sua estrutura, alterou o título para Festival Estoril Lisboa. Ao mesmo tempo criou o conceito Festival com Património através de ciclos de música em palácios, igrejas, teatros e auditórios, associando o rico património material à singularidade do património imaterial.

Festival Estoril Lisboa

Festival Estoril Lisboa

Festival Montepio Fado Cascais

O Festival Montepio Fado Cascais conta com a presença de alguns dos maiores nomes do panorama musical português. Nasceu de uma vontade de trazer às ruas aquilo que é tão nosso, de trazer às gargantas do povo o trinado das guitarras e mostrar às gentes quem somos e o melhor que fazemos; de mostrar a história do Fado, como nasceu e porque foi elevado a Património Mundial da Humanidade.

Festival Musa Cascais

Organizado de forma independente pela CRIATIVA, por todos e para todos em regime de voluntariado e sem quaisquer fins lucrativos, o Festival Musa Cascais é já uma referência no que diz respeito à sustentabilidade e à música.

A CRIATIVA é uma associação sem fins lucrativos, baseada no voluntariado que está sediada em Carcavelos. Ao longo dos anos consolidou uma comunidade de jovens que acredita ser possível fazer algo diferente, melhor e que aspira a um modo de vida sustentável. É intenção do Festival promover uma sociedade mais consciente dos desafios globais, aliando música e criatividade numa experiência de cidadania global.

Dentro desse espírito, a CRIATIVA decidiu em 2006 que o conceito do MUSA deveria deixar-se inspirar por uma causa de alcance global. No ano de 2007, em que cumpria 9 edições, o MUSA CASCAIS consolidava a sua identidade e o seu conceito, associado à sustentabilidade, ao aquecimento global e às alterações climáticas.

Flower Power Fest

A maior festa de música dos anos 60 a 80, a Flower Power Fest, mudou-se para Cascais. Em 2017, na 4ª edição prometia reunir em agosto, na praia de Carcavelos, as mais emblemáticas bandas daquele período do pop/rock. Com o apoio da Câmara Municipal de Cascais, Beach Boys Band, Ten Years After seriam algumas das icónicas bandas que transformariam Cascais no ambiente Woodstockiano.

ID_NO LIMITS

Sítio: www.id-nolimits.com

ID_NOLIMITS – Contemporary Sounds é um festival com uma programação avant-garde – música eletrónica e cultura urbana. Com uma programação focada no que de mais contemporâneo e intemporal existe no espectro da música eletrónica e urbana, o ID tem por objetivo anual fazer zoom no que de mais relevante existe no campo das artes, sem limites, fronteiras ou rótulos estáticos. Utilizando vários espaços do Centro de Congressos do Estoril, desde o tradicional Auditório com cadeiras, às salas de conferências que se tornam pistas de dança, o ID contraria o estabelecido, o espectável, ao apresentar uma nova visão do que pode acontecer num espaço institucional.

Música no Parque

Sítio: www.musicanoparque.pt

Música no Parque é um festival de verão realizado em Cascais no Parque Marechal Carmona e o Hipódromo Manuel Possolo. Localizados no Cascais Museum Distric, com uma forte ligação à cultura, à natureza e ao património histórico, estes espaços refletem o ADN do festival, garantindo a máxima segurança para a realização de concertos únicos e noites de verão memoráveis.