Castelo Branco e os seus festivais

FESTINS – Festival do Associativismo de Alcains
Festivais de Música em Castelo Branco

Ciclos, encontros, temporadas e festivais de música no Concelho

Encontro de Cantadores de Viradas e Saias

O I Encontro de Cantadores de Viradas e Saias de Castelo Branco foi agendado para 4 de dezembro de 2021, no Teatro Avenida em Castelo Branco.

Encontro de Cantadores de Viradas e Saias

Encontro de Cantadores de Viradas e Saias

FESTINS – Festival do Associativismo de Alcains

Facebook: www.facebook.com/Alzine.alcains

O FESTINS – Festival do Associativismo de Alcains é o evento que marca a ALZINE e leva o nome da região a todo o país sendo já uma referência cultural. Ao longo destas 10 edições, o FESTINS apostou sempre em bons nomes e uma oferta musical eclética, mas com bom gosto dentro do panorama nacional.

A ALZINE procura implantar o festival e conferir-lhe uma característica mais que regional. Pretende que o nome e o evento FESTINS cimente a sua posição dentro da oferta que são os inúmeros festivais de verão realizados no país. A assunção e reconhecimento de uma iniciativa que se iniciou em 2007, bem como o devido reconhecimento do trabalho desenvolvido ao longo das nove primeiras edições leva a ambicionar novos caminhos. Leva a que o FESTINS se assuma como um evento de referência no interior do País.

FESTINS – Festival do Associativismo de Alcains

FESTINS – Festival do Associativismo de Alcains

Festival de Guitarra de Castelo Branco

O Festival de Guitarra de Castelo Branco contava 3 edições em 2015, tendo a 4ª edição sido agenda para fevereiro de 2016.

Facebook: www.facebook.com/guitarfestival.cb

Festival de Guitarra de Castelo Branco

Festival de Guitarra de Castelo Branco

Festival Internacional de Clarinete de Castelo Branco

Em 2021, a cidade acolheu de 1 a 3 de novembro, o Festival Internacional de Clarinete de Castelo Branco que homenageou António Saiote. Carlos Alves é o diretor artístico do Festival. Além de solista da Orquestra Sinfónica do Porto da Casa da Música, o também professor na Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco, ajudou a criar, crescer e consolidar o projeto de valorização do clarinete no interior do país. Pode dizer-se que é da sua responsabilidade a mudança do panorama do clarinete em Castelo Branco e no interior.

O evento pretende “promover o clarinete como instrumento de arte, por forma a desenvolver o acesso à cultura, quer na perspetiva da fruição, formação de públicos e valorização dos recursos artísticos profissionais, quer na perspetiva da preservação e valorização da prática musical, bem como por forma a projetar e valorizar a imagem criativa da cidade de Castelo Branco para o exterior”.

Durante o Festival, decorrem classes de aperfeiçoamento.  Tal como aconteceu em novembro de 2014, aquando da 1ª Masterclass Internacional de Clarinetes de Castelo Branco, durante o Festival estarão a decorreram em permanência exposições e ateliers, com possibilidade de experimentar e adquirir materiais, com as marcas Buffet Crampon, Vandoren, Companhia dos Sopros e Américo Nogueira.