Património musical dos concelhos. Encontre rapidamente o que procura, digitando, por exemplo, “Lisboa e os seus órgãos de tubos”.

Teatro-cinema de Ponte de Sor
Rota Musical em Ponte de Sor

Edifícios e monumentos à música no Concelho

Teatro-Cinema

O Teatro-Cinema é um edifício mandado construir pelo proprietário e benemérito local José Nogueira Vaz Monteiro, que destinou o seu rendimento à Santa Casa da Misericórdia de Ponte de Sor. Foi inaugurado a 16 de fevereiro de 1936, com uma conhecida comédia do dramaturgo D. João da Câmara, intitulada «Os Velhos», representada pela Companhia Rey Colaço – Robles Monteiro, do Teatro Nacional D. Maria II.

Teatro-cinema de Ponte de Sor

Teatro-cinema de Ponte de Sor

Monumento à Música

A tempo – Monumento à música

Pedra mármore de Lagoa e aço corten

Autor/Escultor: Cristina Maria 2016

A tempo - Monumento à música, de Cristina Faria, 2016

A tempo – Monumento à música, de Cristina Maria, 2016

A tempo - Monumento à música, de Cristina Faria, 2016

A tempo – Monumento à música, de Cristina Maria, 2016

Horácio Dias de Abreu
Músicos de Montemor-o-Velho

Profissionais da música no Concelho

  • Horácio Dias de Abreu (construtor de harmónios)
  • Pedro Janela (produtor, pianista, compositor, artista digital)
Horácio Dias de Abreu

Horácio Dias de Abreu, avô de Pedro Janela, iniciou os estudos musicais na Sociedade Instrução, Recreio e Beneficência Tentugalense de que o seu pai foi um dos sócios fundadores. Em 1920 abriu a Fábrica Nacional dos Harmónios que esteve ativa a construir e reparar harmónios durante seis décadas.

Horácio Dias de Abreu

Horácio Dias de Abreu, fabricante de harmónios

Pedro Janela

Produtor, compositor, pianista e artista digital, Pedro Janela é quase um one-man-show das novas linguagens musicais, mestre na arte de inventar janelas sonoras para horizontes nunca dantes escutados. Natural de Coimbra, reside em Montemor-o-Velho.

Pedro Janela, produtor, compositor, pianista e artista digital

Pedro Janela, produtor, compositor, pianista e artista digital

Associação Cultural e Solidariedade Social Raquel Lombardi
Associações musicais do Funchal

Neste artigo constam associações promotoras de música e dança que não constam nos artigos de Escolas, Filarmónicas, Coros e Ranchos Folclóricos do Concelho.

Associação Cultural e Solidariedade Social Raquel Lombardi

A Associação Cultural e Solidariedade Social Raquel Lombardi, teve a sua génese em 2015, com o projeto “Unidos”, promovido pela atual presidente Raquel Lombardi. Nessa altura, realizava o tratamento de quimioterapia no combate a um cancro de mama que lhe tinha mudado a vida. Pretendia promover a solidariedade através das artes. Com o intuito de transmitir uma mensagem de esperança a todos os doentes oncológicos, começou a realizar concertos solidários. Em 2016, a Associação foi registada, e, em 2020 foi reconhecida como utilidade pública pela Vice-presidência do Governo Regional da RAM. Em 2021 foi reconhecida a nível nacional como utilidade publica no âmbito da cultura. A associação debruça-se sobre 3 áreas de atuação: Saúde e Inclusão / Educação e Cultura / Solidariedade.

Promove a Madeira como destino artístico e organiza vários eventos de importância relevante no âmbito saúde, cultura e educação, inclusão.

É responsável pela organização do Festival Internacional de Guitarras da Madeira, um evento de alta qualidade artística, que tem recebido críticas muito positivas de artistas estrangeiros e nacionais.

A partir deste evento internacional tem sido divulgado o destino da ilha da Madeira a outros Festivais internacionais nomeadamente Festival Via del Grano (Eboli- Itália), Festival Internacional de Guitarras Rust (Áustria) Art Street Festival (Búlgaria) e MUC Festival (Madrid). Estes eventos dá oportunidade a jovens talentos e promovem a cultura artística da Pérola do Atlântico num contexto primoroso, notável e globalizante.

Participa em projetos europeus mostrando a cultura e tradições madeirenses. Proporciona ocasiões aos jovens em intercâmbios europeus de interesse para a sua formação profissional e pessoal. Organiza ainda, intercâmbios na nossa ilha, dando a conhecer a mais de 100 parceiros estrangeiros o destino ”Madeira”. Neste momento a ACSSRL coordena 4 projetos europeus e é parceira em 3.

Participa num projeto nacional financiado pela Gulbenkian que se debruça sobre a inclusão a partir das artes intitulado «É como É». Este projeto é desenvolvido e coordenado pela ACSSRL a nível regional e aplicado em 8 escolas da RAM.

Patrocina jovens e crianças a conseguir o seu sonho artístico, financiando instrumentos, aulas e participação em festivais internacionais.

Cria concursos literários infantis e publica livros, promovendo a escrita criativa nas camadas mais jovens.

Tem diversas iniciativas no âmbito da saúde, inclusão e realidade virtual.

Associação Cultural e Solidariedade Social Raquel Lombardi

Associação Cultural e Solidariedade Social Raquel Lombardi

Associação de Jazz da Madeira – Melro Preto (AJMMP)

A Associação de Jazz da Madeira – Melro Preto (AJMMP) nasceu a partir de um sonho antigo de pessoas ligadas ao Jazz na Madeira. Tem como objeto social:

Promover e divulgar a música jazz na Ilha da Madeira;
Defender os interesses da comunidade jazzística na Madeira;
Melhorar as infraestruturas associadas à música jazz na Madeira;
Promover projetos e espetáculos relacionados com o jazz;
Promover o jazz madeirense fora da Madeira;
Apoiar e dinamizar a formação de jazz para jovens (masterclasses, workshops, etc);
Auxiliar e proteger as iniciativas dos associados, pessoas singulares ou coletivas que, subordinando-se aos estatutos e regulamentos internos, tendam a desenvolver as finalidades da associação.

Associação de Jazz da Madeira – Melro Preto (AJMMP)

Associação de Jazz da Madeira – Melro Preto (AJMMP)

Égide - Associação Portuguesa das Artes
Associações Musicais de Lisboa

Neste artigo constam associações promotoras de música e dança que não constam nos artigos de Escolas, Filarmónicas, Coros e Ranchos Folclóricos do Concelho.

Égide – Associação Portuguesa das Artes

Fundada em 2022, a Égide visa o apoio a iniciativas de natureza artística, educativa e social.

Rua Ivens, 42, 1º andar, escritório 123
Lisbon, Portugal

Correio eletrónico: info@egideartes.pt

Égide - Associação Portuguesa das Artes

Égide – Associação Portuguesa das Artes

Coro Encostatamim
Coros de Coruche

Agrupamentos vocais no concelho

Coro Encostatamim

O Coro Encostatamim é um coro formado por senhoras que são sócias de uma associação de apoio ao doente oncológico. Tem como padrinho da ideia o cantor Jorge Palma daí o nome, que até faz algum sentido. Tem este coro como objetivo angariar fundos para a associação Encostatamim. Existe desde 2012 e tem atuado em diversos palcos e também em interpretações sacras quando solicitado. Já teve cerca de 20 elementos e em 2020 tem 15. Canta melodias populares com arranjo próprio e também originais. Publicou um CD com gravação arranjos de Joaquim Nunes, gravação do Estúdio Ediraia e edição de Mastercd, Produção de Cuportes Multimédia. A produção foi vendida na totalidade.

Coro Encostatamim

Coro Encostatamim, Coruche

Coro Encostatamim

Coro Encostatamim

Bienal Internacional de Música do Mosteiro de Lorvão
Festivais em Penacova

Festivais, ciclos e encontros de música no Concelho

Bienal Internacional de Música do Mosteiro de Lorvão

A Câmara Municipal de Penacova promoveu, em outubro de 2022, a 1.ª edição da Bienal Internacional de Música do Mosteiro de Lorvão. Contou com as participações do artista italiano Silvano Rodi, os organistas Liliana Duarte e Sérgio Silva, professores da Escola de Artes de Penacova, alunos dos conservatórios de música de Coimbra e de Aveiro e da Escola de Artes de Penacova.

O Encontro Internacional de Coros contou com as presenças do Coral Divo Canto (anfitrião), Coral Polifónica San Mamede de Zamans (Galiza, Espanha), Coral Hora Ludens (Madrid, Espanha), Coral Polifónica de Bergantiños (Corunha, Espanha), Orfeão de Portalegre (Portugal) e Orfeão de Castelo Branco (Portugal).

  • O programa da bienal termina, dia 30, às 17h, com a Filarmónica Boa Vontade Lorvanense.
Bienal Internacional de Música do Mosteiro de Lorvão

Bienal Internacional de Música do Mosteiro de Lorvão

Associação Cultural Museu da Música de Coimbra
Museus de Música em Coimbra

A Associação Cultural Museu da Música de Coimbra tem como objectivo oferecer à cidade um equipamento cultural que visa a reunião, preservação e divulgação de elementos patrimoniais materiais e imateriais relacionados com a história da música de Coimbra, do país e do mundo.

Sítio: musmus.cbr.pt
Correio eletrónico: mus.mus.cbr@gmail.com

Associação Cultural Museu da Música de Coimbra

Associação Cultural Museu da Música de Coimbra

Festivais de Grândola

Encontros, cursos, ciclos de música e dança no Concelho

Encontro da Canção de Protesto

O Encontro da Canção de Protesto é um evento que se realiza no âmbito da atividade do Observatório da Canção de Protesto.

O Observatório da Canção de Protesto (OCP) é um organismo resultante da parceria entre o Município de Grândola, entidade promotora, a Associação José Afonso, a Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense, e os institutos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM), Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança (INET-md), e Instituto de História Contemporânea (IHC). Os seus objectivos são o estudo, a salvaguarda e a divulgação do património musical tangível e intangível da canção de protesto produzido durante os séculos XX e XXI, através da realização de iniciativas culturais diversas.

Encontro da Canção de Protesto

Festivais em Alcácer do Sal

Festivais, encontros, ciclos, cursos e concursos de música e dança no Concelho

Festival de Percussão de Alcácer do Sal

O Município de Alcácer do Sal e a Bolsa D’Originais Associação Cultural levam a palco, em parceria, o I Festival de Percussão de Alcácer do Sal, nos dias 2, 3 e 4 de setembro de 2022. Promovido e patrocinado pelo Município de Alcácer do Sal, com a produção e organização da Bolsa D’Originais, esta iniciativa está sob a Direção Artística de Vasco Ramalho e Duarte Molha. Ao longo de 3 dias, a celebração da música e dos instrumentos de percussão podem ser vivenciados por todo o Concelho de Alcácer do Sal, com vários concertos, workshops e masterclasses, todos de entrada livre ao público em geral. O Festival apresenta um leque variado de artistas consagrados no mundo da música e da percussão em particular, e irá contar ainda com a colaboração e presença de outras associações musicais alcacerenses.

Festival de Percussão de Alcácer do Sal

Clique AQUI para fazer a inscrição nos workshops e masterclasses:

Contactos:

Tlm. 914804507 / 964815120

Correio eletrónico: associacaobolsadoriginais@gmail.com

Coreto do Palácio de Cristal, Porto, créditos Nuno Vidal
Coretos do Porto

Em desenvolvimento

  • Cordoaria
  • Jardim de Arca d’Água
  • Jardim de São Lázaro
  • Jardim do Marquês de Pombal
  • Passeio Alegre
  • Palácio de Cristal
Coreto do Jardim de São Lázaro

Oficialmente Jardim Marques de Oliveira, o Jardim de São Lázaro é o mais antigo jardim municipal da cidade do Porto.

Coreto do Jardim de São Lázaro

Coreto do Jardim de São Lázaro, Porto, créditos AJF

Coreto do (antigo) Palácio de Cristal

por Nuno Vidal

Coreto do Palácio de Cristal, Porto, créditos Nuno Vidal

Coreto do Palácio de Cristal, Porto, créditos Nuno Vidal

“Na Avenida das Tílias foi construído, nos anos 80 do século XIX, com base num projecto do arquiteto Tomás Augusto Soller, um coreto em pedra, com concha acústica, que permite viabilizar programas musicais ao ar livre, protegendo o palco e a amplificando a emissão de sons, debruado a bronze fundido com uma lira ao cimo, símbolo da música, tendo em baixo duas esculturas de figuras femininas, uma egípcia e uma negra, provenientes da Fundição de Val’ D’Osne.

Mais abaixo, numa placa, está a inscrição ‘Fundição de Massarelos’, indicando o local de produção do restante bronze. Para esse já não se recorreu às fundições francesas como no caso das esculturas. A inauguração do ‘teatro-coreto’, como lhe chamava ‘O Primeiro de Janeiro’, foi feita em 10 de Junho de 1886 e, ainda segundo o jornal, o cenário foi pintado por Guilherme de Lima e o pano de boca apresentava o Terreiro do Paço, em Lisboa. Má escolha, contudo. Na realidade, apresentavam-se aí peças de teatro e recitais de música, havendo dias marcados para a actuação de Bandas Filarmónicas.”

Nuno Vidal

O programa Coretos em Festa, realizado em 2017 e 2018, pelo menos, organizado pela PortoLazer, faz parte do programa municipal Verão é no Porto. Aberto a participantes de todas as idades (maiores de 3 anos), inclui oficinas, concertos por bandas e coros, e animação com DJs.