Silva Pereira, maestro, de Celorico da Beira
Músicos naturais do Concelho de Celorico da Beira

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

  • Durval Moreirinhas (violista, 1937-2017)
  • Silva Pereira (diretor de orquestra, 1912-1992)

Durval Moreirinhas

Durval Moreirinhas, violista, de Celorico da Beira

Durval Moreirinhas, violista, de Celorico da Beira

Silva Pereira

Silva Pereira, maestro, de Celorico da Beira

Silva Pereira, maestro, de Celorico da Beira

Durval Moreirinhas

A agência Lusa, os jornais Público, Blitz, Diário de Notícias, Sol e Correio da Manhã, noticiaram a morte de Durval Moreirinhas.

O instrumentista e compositor Durval Moreirinhas, de 80 anos, que acompanhou à viola nomes como Amália Rodrigues ou José Afonso, considerado um dos históricos da canção de Coimbra, morreu aos 80 anos. O funeral deverá realizar-se-ia na quinta-feira em Oliveira do Hospital.

Nascido em Celorico de Basto, em 1937, Durval Moreirinhas foi morar para Coimbra aos dez anos e entrou aos 15 para a Tuna Académica, tendo vindo a tornar-se um dos mais prestigiados violistas de Coimbra, com uma carreira de mais de meio século.

“A sua viola fez-se ouvir em várias partes do mundo, do Olympia de Paris ao Lincoln Center de Nova Iorque, passando pela Suécia, Espanha, Alemanha, Brasil, Argentina, Canadá, Japão, Angola, Cabo Verde, Itália, Macau e Hong Kong”, lembrou Fernando Machado Soares quando Durval Moreirinhas recebeu, em 2006, o Prémio Amália Música de Coimbra, ex-aequo com o guitarrista Jorge Tuna, com quem preparava o lançamento de um novo álbum e que foi seu parceiro num dos duos mais perenes e marcantes da música instrumental coimbrã. (Público)

De António Menano a Amália Rodrigues, o violista participou na gravação de mais de três dezenas de discos, colaborando com nomes como Luiz Goes, José Afonso, Adriano Correia de Oliveira ou Fernando Machado Soares, entre muitos outros. Com o compositor José Niza, gravou em 1961 as primeiras baladas de José Afonso, exclusivamente acompanhadas à viola: Balada Aleixo e Minha mãe. E com António Portugal, Eduardo Melo e Jorge Moutinho, participou também no primeiro disco de Adriano Correia de Oliveira. Durval Moreirinhas é ainda autor de vários fados e baladas de Coimbra.

FESTIVAIS

Celorico Jazz e Blues Fest

Celorico Jazz e Blues Fest é um festival realizado em Celorico da Beira. Em 2019, o castelo de Celorico da Beira, foi o espaço escolhido, para receber o 1º Festival Internacional de Jazz e Blues de Celorico da Beira, de 9 a 11 de agosto.  A abertura do festival em 2019 coube ao grupo Low Bay Hot Band, Seguidamente, subiria ao palco a artista espanhola, Diana Tarin. A música continua pela noite dentro, com a arte e criatividade do DJ Joe Zagallo. O segundo dia seria da responsabilidade da banda portuguesa Minnemann Blues Band. O DJ Bóinas prolongararia o momento musical para os mais resistentes. O cantor e compositor brasileiro, André Rio, encerrararia o festival, a 11 de agosto, com o reportório de música pernambucana que tem vindo a difundir pela europa.

O jazz e o blues, são ritmos musicais provenientes de África mas, é o continente americano o responsável pela sua projeção no mundo. O jazz e o blues foram os responsáveis pela revolução musical que se operou no séc. XX, no continente americano e, posteriormente, no resto do mundo. Pela pulsação do seu ritmo e pela irreverência das suas guitarras, este género musical tem vindo a granjear adeptos por todo o mundo.