Filarmónica União Taveirense
Filarmónicas de Coimbra

Bandas de Música, História e Atividades no Concelho

Filarmónica União Taveirense

A FUT foi fundada em1869, no que era então uma pequena aldeia rural dos arredores de Coimbra, na margem esquerda do Rio Mondego. Tem pautado por manter-se fiel aos objetivos definidos pelos seus fundadores, Padre João Pessoa Godinho e D. Duarte de Mello (Visconde de Taveiro), “ … o ensino e a divulgação da música e promover e incentivar outras actividades culturais…”.

Foi titulada, no reinado de D. Manuel II, de Real Philarmónica União Taveirense. É desde 1969 membro honorário da Comenda de Ordem de Benemerência (atribuída pela Presidência da República). Recebeu a Medalha de Mérito Cultural da Câmara Municipal de Coimbra (25 Abril 1995). É também desde 1997 reconhecida como Instituição de Utilidade Pública (Presidência do Conselho de Ministros).

Após vários regentes e maestros, Sílvio Rajado (pai), mantendo a Escola de Música em pleno funcionamento, formou os elementos que vieram a rejuvenescer e a valorizar a Banda, nos anos 60, 70 e 80. A FUT tem sido o alfobre de centenas de executantes, que têm prosseguido os estudos em conservatórios e/ou escolas superiores. Estes músicos continuam maioritariamente na banda, sendo alguns Professores de Música e/ou Instrumentistas de prestigiados agrupamentos.

Mais tarde, o Maestro Sílvio Rajado (pai) “passou” o testemunho ao seu filho Sílvio Rajado, que deu uma excelente continuidade ao trabalho feito por seu pai, alargando os horizontes e criando novos objetivos e motivações, conferindo à Banda uma qualidade invejável na Região. O tempo foi decorrendo e novos desafios se colocaram a esta centenária instituição, a criação de uma Orquestra Ligeira; posteriormente de uma Big Band; a formação de uma Banda Juvenil; o aperfeiçoamento do grau de execução dos músicos; a elevação do nível artístico; o melhoramento do repertório e do tipo de apresentações públicas, foram alguns dos pontos que mereceram a atenção das diversas direções, que recorreram a credenciados Maestros, (Sargento Ajudante Agante Ferreira, 1.º Sargento Jorge Pereira e Tenente João Oliveira – Chefe de Banda de Música do Exército), e a novos métodos de trabalho.

Já sob a orientação do Maestro João Paulo Fernandes, em 2005, participou no 1.º Concurso Nacional de Bandas – Cidade de Aveiro, arrebatando o 1.º Lugar.

Em 2005 “nasceu” o primeiro CD intitulado Futsuite, que apresenta uma escolha cuidada de repertório, sendo na sua maioria composto por obras escritas originalmente para este tipo de formação.

“ …É um trabalho bem pensado, com uma estética e uma estruturação rara nas bandas portuguesas.”

“Em relação à qualidade da Banda fiquei muito surpreendido! É excelente para uma banda não profissional. Não tenho dúvidas de que foi o CD de Banda não militar que mais gostei de ouvir” (Jorge Salgueiro, compositor).

“ …O CD da Filarmónica União Taveirense está realmente bem produzido e tem uma apresentação musical excelente.” (Dr James W. Hebert – Maestro e fundador da Pennsylvania Pops Orchestra (EUA) e presidente/director executivo da Music Maestro Please Festivals & Tours.)

Hoje em dia a Banda dispõe de um invejável potencial humano-artístico, com grande formação e currículo musical, maioritariamente jovem, que permite, para além das tradicionais procissões e desfiles, apresentar outro tipo de trabalhos mais elaborados e exigentes. As centenas de atuações, nos mais diversos pontos do país (incluindo Açores e Madeira) e no estrangeiro (Espanha, Luxemburgo, Brasil) com grande aceitação e brio, são a prova da sua qualidade, que muito honra não só a Freguesia, o Concelho e o Distrito mas também o País.

As centenas de atuações, nos mais diversos pontos do país (incluindo Açores e Madeira) e no estrangeiro (Espanha, Luxemburgo, Brasil) com grande aceitação e brio, são a prova da sua qualidade, que muito honra não só a Freguesia, o Concelho e o Distrito mas também o País.

A coletividade tem desenvolvido um trabalho louvável em prol da juventude e da população em geral, não só da freguesia mas também das localidades vizinhas, ocupando e valorizando os tempos livres dos jovens, promovendo vários estágios e classes de aperfeiçoamento; renovando e valorizando constantemente o repertório da Banda e Banda Juvenil; apurando o nível artístico dos seus elementos e sensibilizando as populações para o trabalho meritório e esforçado deste tipo de coletividades