Grupo Folclórico de Coimbra
Folclore em Coimbra

Grupos etnográficos, tradições e atividades no Concelho

  • Região: Beira Litoral (Gândara, Bairrada e Mondego)
  • Distrito: Coimbra
  • Concelho: Coimbra

06 grupos

  • Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra
  • Grupo Etnográfico da Região de Coimbra (GERC)
  • Grupo Folclórico de Coimbra
  • Grupo Folclórico e Etnográfico de Arzila
  • Rancho Folclórico As Tricanas de Coimbra
  • Rancho Folclórico de Taveiro
Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra

O Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra (GEFAC) foi fundado como Organismo Autónomo da Academia de Coimbra em 1966. Desde a fundação tem vindo a desenvolver um exaustivo trabalho de recolha, tratamento e divulgação do património imaterial português. A nossa atividade tem-se assim desdobrado em diversas vertentes: recolha e pesquisa, tratamento e divulgação das manifestações tradicionais, formação, e concepção de espetáculos originais.

Utiliza as manifestações populares numa perspetiva criativa, principalmente nos ajustamentos aos aspetos cénicos, que permitem produzir um espetáculo globalizante, não tanto empenhado em demarcar regiões, mas sim em acentuar o sentir que provocou o aparecimento das manifestações.

Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra (GEFAC)

Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra (GEFAC)

A 25 de maio de 2021 o Público noticiou que o Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra foi distinguido com o Prémio Europa Nostra 2021.

Grupo Etnográfico da Região de Coimbra (GERC)

O Grupo Etnográfico da Região de Coimbra (GERC) é uma associação de natureza etnográfica sediada no Pátio do Castilho – Almedina 3000-123 Coimbra.

Foi fundado em 1997, e pretende manter viva a tradição autenticidade dos trajos, danças, cantares, usos e costumes da cidade de Coimbra e arrabaldes.

O grupo considerado de interesse cultural pela Câmara Municipal de Coimbra é membro efetivo da Federação do Folclore Português e associado do INATEL.

Situada na margem direita do rio Mondego e dispondo-se em anfiteatro sobre as margens deste, surge Coimbra, cidade antiga e de seculares tradições, sempre ligadas à boémia estudantil e às suas musas inspiradoras – as mulheres de Coimbra, designadas tradicionalmente por “Tricanas”.

É desta relação entre tricanas, estudantes, Universidade e o rio Mondego que falam muitas das tradições Coimbrãs, da maneira de estar, de ser e sentir do seu povo.

Na tentativa de retratar esse quadro humano, bem como o seu contexto histórico e sócio-económico, o Grupo Etnográfico
da Região de Coimbra apresenta uma variedade de trajos identificativos do povo de Coimbra e arrabaldes em meados e finais do séc. XIX.

O repertório do grupo inclui velhas modas de roda, assim como viras ou outras modas com marcações, muitas delas efetuadas ao som do mandador.

O Folclore de Coimbra, pela sua riqueza etno-folclórica, pela variedade de ritmos e coreografias tradicionais, representa só por si uma fonte de riqueza cultural que necessita de ser preservada, recuperada e devolvida novamente ao domínio público através da participação do Grupo Etnográfico da Região de Coimbra em festas de folclore, feiras tradicionais e romarias.

Grupo Etnográfico da Região de Coimbra (GERC)

Grupo Etnográfico da Região de Coimbra (GERC)

Grupo Folclórico de Coimbra

O Grupo Folclórico de Coimbra foi fundado em 8 de Janeiro de 1986. O seu repertório inclui cerca de 150 temas entre cantigas e danças. O seu diretor artístico é o Professor Doutor Nelson Correia Borges.

Grupo Folclórico de Coimbra

Grupo Folclórico de Coimbra, Pedro Miguel Fotografia

Grupo Folclórico e Etnográfico de Arzila
Grupo Folclórico e Etnográfico de Arzila

Fundado em 24 de fevereiro de 1974, o Grupo Folclórico e Etnográfico de Arzila, procura transmitir as tradições do povo da sua terra e da sua região. A sua ação de defesa do património tem ido desde a recolha de elementos etnográficos, à realização de debates, jornadas culturais, exposições, recuperação de festas, de jogos e outras tradições que estavam a desaparecer. Tem sido também sua preocupação a defesa do artesanato, na qual as “esteiras” de Arzila, assumem papel de destaque. É considerado “Grupo de Interesse Folclórico” pelo Departamento de Cultura da Câmara Municipal de Coimbra, é filiado na Federação do Folclore Português, na Associação de Folclore e Etnografia da Região do Mondego e INATEL e foi declarado Coletividade de Utilidade Pública, em 1990. Em 2003, foi-lhe atribuída pela Câmara Municipal de Coimbra, a “medalha de mérito cultural”.

Rancho Folclórico e Etnográfico de Arzila

Grupo Folclórico e Etnográfico de Arzila

Orquestra Típica e Rancho da Secção de Fado da AAC

Grupo composto por estudantes universitários, pretende representar e defender o folclore da região de Coimbra. Este grupo, que nasceu em 1981, elaborou na região uma recolha cuidada dos trajes típicos da época. Para além dos grandes símbolos da zona, a tricana e o estudante, também constam trajes de trabalho, o caso da lavadeira e aguadeira, e de festa como é o exemplo dos noivos e das romarias pobre e rica.

As músicas regionais foram também recuperadas e fazem parte do repertório apresentado nos seus espetáculos, sendo a mais conhecida, o célebre “Vira de Coimbra”, mas onde se podem encontrar músicas como: “Encadeia”, “Ao Toque da Música”, “Vira de Quatro”, “Fogueiras de S. João” e “Josézito”. Todas os temas interpretados pela OTR podem ser encontrados no CD, editado pela SF/AAC, intitulado “Bate co’a Chinela”.

A OTR conta com 22 edições de Encontro Nacional de Etnografia e Folclore e tem levado as tradições coimbrãs a vários países, em festivais internacionais de Folclore e da Juventude, tendo já atuado em vários pontos da Europa (Roménia, Alemanha, Grécia, Luxemburgo, Polónia, Bélgica, Itália, Espanha, Irlanda e Hungria). Tem realizado espetáculos em todo o território nacional.

Rancho Folclórico As Tricanas de Coimbra

O Rancho Folclórico As Tricanas de Coimbra é uma associação de natureza etnográfica com 8 décadas de existência.

Rancho Folclórico As Tricanas de Coimbra

Rancho Folclórico As Tricanas de Coimbra

Rancho Folclórico de Taveiro

Fundado em 18 de outubro de 1975 com a designação de Rancho Folclórico Juventude de Taveiro, o Grupo Folclórico de Taveiro é uma associação de natureza etnográfica que interpreta as danças e cantares da Região de Coimbra.

Rancho Folclórico de Taveiro

Rancho Folclórico de Taveiro

Fontes do Musorbis Folclore:

A “Lista dos Ranchos Folclóricos” disponível na Meloteca e a informação nesta plataforma resultam de uma pesquisa aturada no Google e da nossa proximidade nas redes sociais. Foram revistos todos os historiais de grupos etnográficos de modo a facilitar a leitura.