Banda de Música da Cidade de Espinho
Filarmónicas de Espinho

Bandas de Música, história e atividades no Concelho

  • Banda de Música da Cidade de Espinho
  • Banda Musical de S. Tiago de Silvalde
  • Banda União Musical Paramense
Banda de Música da Cidade de Espinho

Fundada em 1839 no lugar da Vergada, freguesia de Argoncilhe, a Banda deve o seu nascimento ao dinamismo, empenho e coragem de Joaquim Alves de Sousa Neves. Inicialmente conhecida por “Banda do Soqueiro”, devido à atividade industrial do seu fundador, passou a denominar-se Banda de Música de Espinho após integração na cidade.

Do século XIX, destaca-se a presença na inauguração da ponte D. Maria Pia em 1877. Em 1908 participou na comemoração da chegada do primeiro comboio a vapor da linha do vale do Vouga. Este último acontecimento contou com a presença do rei D. Manuel II em Espinho.

Nos anos subsequentes a Banda ganha projeção. Foi convidada para festividades e romarias importantes, por exemplo, nas festas em honra a S. Sebastião dos Olivais, em Lisboa, em 1927. Neste período, foi integrada na corporação dos Bombeiros Voluntários de Espinho, em 1926, conforme noticiado pelo jornal “O Comércio do Porto”, vinculação que se manteve até 1994.

BMCE

Banda de Música da Cidade de Espinho

Banda de Música da Cidade de Espinho

Nos anos 50, teve uma fase conturbada com o falecimento precoce de Fausto Neves, sobrinho do conhecido compositor espinhense, que iria ocupar o lugar de maestro. Destacam-se na época os beneméritos Guilherme Faria que deu o seu nome à Escola de Música. Esta funciona com cerca de 30 alunos. Francisco Gomes de Castro destacou-se pela dinamização e divulgação da coletividade. João Sá destacou-se pelos 75 anos de executante.

Ao longo da sua história, foram maestros: Joaquim Neves, Ilídio Neves, Joaquim Teixeira, António Martins, Manuel Gomes, António Gomes, João Baltazar, Daniel Farrapa, Boaventura Moreira, Manuel Pleno, José Gonçalves, Fernando Baptista, Rodolfo Campos e Jaime Rego.

Neste momento assume os desígnios da Banda de Espinho, o maestro Hélder Tavares que conta com 62 músicos sob a sua direção e, realça-se também uma orquestra ligeira, no seio da Banda, composta por 25 elementos que participa com regularidade em concertos de solidariedade, temáticos e diversas animações, executando um repertório alargado, com incidência em obras imortalizadas pelas Big Bands de New Orleans.

Refira-se ainda a organização conjunta com a Junta de Freguesia de Espinho do I Festival Ibérico de Bandas Filarmónicas em 2006, a participação no “Festival Hispano-Luso de Bandas de Musica e Ensembles de Viento” em Zamora e a participação no Concurso Nacional de Bandas Filarmónicas Cidade de Aveiro.

Dos projetos atuais contam-se um CD  com repertório de compositores portugueses, contrastando com o CD gravado em 2001, a participação no “II Filarmónica ao mais alto nível”, a realizar-se no grande auditório do Europarque, o Concurso de Vila Franca, e nova participação no Festival de Zamora, para além da habitual atividade de concertos e romarias, levando a todo o país e a Espanha a divulgação musical e o nome da Cidade de Espinho.

Banda Musical de São Tiago de Silvalde

A Banda Musical de São Tiago de Silvalde teve origem na Tuna Orfeão de Silvalde. Foi das primeiras do país a permitir a entrada de mulheres como instrumentistas. Oficialmente, a primeira direção da Banda Musical remonta ao ano de 1960. Desde Sebastião Ribeiro, ainda no tempo da Tuna, a Hugo Marinheiro, o atual, vários foram os maestros que contribuíram para o desenvolvimento da coletividade. André Serrano foi o primeiro maestro após a transformação da tuna em banda e dirigiu-a por cerca de duas décadas.

Das atividades que a Banda tem desenvolvido há a realçar a participação nas festas da freguesia e da paróquia, através de concertos e atividades dirigidas à comunidade silvaldense, com especial destaque para o Concerto de Natal e Concerto de Abertura de Época.

É convidada todos os anos para participar nas festas de cariz religioso em várias localidades do país. Participou nas festas da Corunha (Espanha) e da Vila de Castelneau de Medoc, situada na zona de Bordéus (França). Em 2010 participou no Festival de Bandas – Filarmonia ao mais alto nível, II Ciclo, 2ª Edição, realizado no EUROPARQUE, em Santa Maria da Feira, tendo sido convidada pela organização do festival a voltar ao mesmo palco, em 2013.

A convite da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República a Banda aderiu à iniciativa – Bandas em Uníssono, em 2010, tendo executado o Hino Nacional em frente à sua sede.

Do seu registo discográfico, constam 3 CD, gravados em 2000, 2007 e 2012, afirmando a vontade em divulgar o bom trabalho que se tem vindo a desenvolver ao longo dos anos.

Ao trazer crianças para a sua escola, a Banda Musical de São Tiago de Silvalde tem assegurada a sua continuidade. Até 2010, a instrução passava por um sistema de monitorização dos músicos mais velhos para os mais novos. Desde então, com a criação de turmas de Formação Musical e classes de instrumento, a Escola de Música aproximou-se dos modelos de ensino oficiais com níveis de aprendizagem progressivos. O trabalho desenvolvido ao longo de cada ano letivo é apresentado individualmente nas festas de encerramento de cada período e coletivamente pela Orquestra Juvenil que teve a sua primeira apresentação em 2012. No ano letivo de 2017, a Orquestra Juvenil alterou o seu modo de trabalho uma vez que a faixa etária da escola é cada vez mais baixa. Assim sendo, optou por iniciar um projeto novo, orientado para crianças que estão a dar os primeiros passos no instrumento (com recurso ao método Yamaha).

Banda Musical de São Tiago de Silvalde

Banda Musical de São Tiago de Silvalde

Da participação no 4º Concurso Internacional de Banda, realizado no Ateneu Artístico Vilafranquense em 2012, resultou uma pontuação de 88.2 pontos que serviu de alavanca para balizar um espírito de confiança e desejo de mais trabalho e evolução musical.

Banda União Musical Paramense

Herdeira da Primeira Estudantina de Paramos, a Banda União Musical Paramense foi fundada em 1933. Teve como primeiro Regente Manuel de Matos, natural da freguesia de Pardilhó, concelho de Estarreja e hoje conta com a direção artística de Manuel Joaquim Mendes da Silva à frente de 70 músicos.

Nas Bodas de Diamante, foi a Banda Filarmónica galardoada pela Junta de Freguesia de Paramos, com a Medalha de Ouro da freguesia, manifestando desta forma a Autarquia que representa a população paramense, a importância desta agremiação cultural. A entrega foi feita, acompanhada com o visionamento de um filme mandado realizar pela Junta de Freguesia, sobre os 75 anos da Coletividade, em sessão solene na sede da Banda, no dia 14 de junho de 2008.

Atuou no festival “Filarmonia ao mais alto nível”, concerto no Centro Multimeios de Espinho. Participou no Concurso Internacional Filarmónica De Ouro em 2014 obtendo o 3º lugar; em 2015 no Festival Hispano-Luso de Bandas de Musica y Ensambles de Viento de Zamora; em 2016 no Concurso Internacional de Bandas Filarmónicas de Braga (4º Lugar – 3º entre Bandas Nacionais). Em 2017, no ClarMeet Porto, acompanhou os solistas Carlos Alves, Carlos Ferreira e Giovanni Punzi. Em 2018, tocou no concerto de encerramento do Concurso Terras de La Salette e no V Concurso Internacional de Bandas Filarmónicas de Braga, obtendo o 2º Lugar. Em 2019, obteve o 4º Lugar no 133º Certamen de Internacional de Bandas da Cidade de Valência (2019).

Além dos palcos nacionais, a Banda apresentou-se em Burnoy, Draveil, Castelnau, em França e outros.

Representando ao momento perto de 500 sócios, a Banda União Musical Paramense, colegialmente dirigida por um corpo de 13 elementos, tem em Pedro Camboa, Presidente, a garantia de empenho, determinação e dedicação à sua causa.

Gravou uma cassete, nas comemorações dos seus 50 anos de vida, um CD, em 2004. Em 2014, gravou o CD “Reflexos”.

Dotada da Escola de Música Joaquim Guimarães Banda de Paramos com 40 alunos, proporciona às nossas crianças e jovens, a possibilidade de aprender música. Criada em 2008, a Orquestra Juvenil, já atuou em eventos na freguesia e não só, onde os mais novos, vão iniciando e demonstrando as suas aptidões musicais, preparando-se para o ingresso na Banda Filarmónica.

BMUP

Banda União Musical Paramense

Banda União Musical Paramense

De carácter vincadamente popular e aberta às novas tendências musicais, é a Banda União Musical Paramense associada de pleno direito da Federação Portuguesa de Bandas Civis, da Associação de Bandas Filarmónicas do Distrito de Aveiro e encontra-se inscrita na INATEL. Ostenta como emblema uma lira prateada, abraçada por um ramo de loureiro à sua esquerda e um de oliveira à direita, enlaçados na base a vermelho sangue.