Banda Visconde de Salreu, Estarreja

Filarmónicas de Estarreja

Bandas de música, história e atividades no Concelho

[ No que se refere às filarmónicas, o projeto Musorbis está apenas a começar, sendo previsível que até ao final do ano todas as bandas possam estar na plataforma. O processo pode ser acelerado com a cooperação dos interessados no que se refere a historiais e fotografias em falta. ]

Banda Bingre Canelense

A Banda Bingre Canelense foi fundada a 26 de março de 1865, com o nome de Sociedade Musical União Canelense, que manteve até 1932, passando depois a denominar-se Banda Bingre Canelense, homenageando o poeta Francisco Joaquim Bingre, conhecido por ” O Cisne do Vouga”, nascido em Canelas. A 6 de outubro de 1967, com a aprovação dos seus estatutos, adotou a denominação “Sociedade Recreativa e Musical Bingre Canelense”. Reconhecida como Instituição de Utilidade Pública, vem proporcionando à comunidade de Canelas e do concelho de Estarreja, o ensino da música a todos aqueles que a desejem aprender.

BBC

Banda Bingre Canelense, de Estarreja

Banda Bingre Canelense, de Estarreja

Mantém em funcionamento regular, há mais de 30 anos, a sua escola de música, frequentada por alunos nos vários níveis. A Escola de Música Francisco Bingre prepara e forma novos músicos para a Banda. Das fileiras da Banda de Música saíram elementos que se inseriram em Bandas Militares das Forças Armadas, em orquestras e outras formações musicais de grande relevo no contexto nacional. Outros músicos da Banda Bingre Canelense tornaram-se professores de música em conservatórios, universidades ou maestros. Alguns continuam dedicadamente integrados na “sua” Banda. É a mais antiga coletividade do Concelho de Estarreja e uma das mais antigas do Distrito de Aveiro.

Tem participado em diversos festivais de Bandas, sendo de destacar a sua participação em 2003, no XXI Festival de Bandas da Ilha da Madeira, realizado na Ribeira Brava, assim como a atuação da sua Orquestra Juvenil, em setembro de 2004, em La Riche, França. Organizou pela primeira vez, no ano de 2017, o Festival Internacional de Música Filarmónica Francisco Bingre, certame que conta com um estágio dirigido a jovens músicos e diversos concertos realizados por diversas bandas participantes. O sucesso da 1ª edição do FIMFAB levou a que o projeto tivesse continuidade e se viesse a realizar o FIMFAB 2018, em abril. Conta com seis dezenas de músicos no seu quadro permanente.

Fernando Artur Rainho Valente, maestro

Fernando Artur Rainho Valente, maestro

Fernando Artur Rainho Valente foi Maestro da Banda Bingre Canelense, durante muitos anos. Foi o Professor de uma geração de músicos, na Escola de Música da Banda e no Conservatório de Música de Aveiro de Calouste Gulbenkian.

Banda Visconde de Salreu

A Banda Visconde de Salreu foi fundada a 1 de outubro de 1925, embora o “sonho” de constituir uma Banda Filarmónica remonte a finais do séc. XIX.  Em maio de 1927, a Banda apresenta-se em público pela primeira vez. Pedro Calado foi seu primeiro regente. Obteve em 1939 e 1958, primeiros prémios em concursos de bandas no Distrito de Aveiro e no Município da Maia, respetivamente. Além das festas religiosas, participa em encontros de bandas de Norte a Sul do país, e em Espanha.

BVS

Banda Visconde de Salreu, Estarreja

Banda Visconde de Salreu, Estarreja

Fora do contexto filarmónico, tem no seu currículo a apresentação de concertos barrocos (integrando a dança e a poesia), um dos quais apresentado na Quinta do Visconde de Salreu, concertos românticos, festivais da canção, tributos ao fado, concertos de variedades, concertos corais, espetáculos com o tenor Carlos Guilherme e musicais, destacando-se a comédia musical “A Padeira de Aljubarrota” estreada no Cine-Teatro de Estarreja e representada no Porto.

Do seu curriculum consta ainda um Concerto Coral Sinfónico apresentado no Parque Municipal do Antuã com 8 corais e com a presença do Grupo de Motards os Samaritanos, envolvendo cerca de 400 pessoas. Todos os arranjos e originais foram compostos pelo maestro Afonso Alves. Em 2015, e a convite da Ordem Soberana e Militar de Malta, executaram-se os hinos propostos para receber, no mosteiro de Leça do Balio, o Príncipe e Grão-Mestre da Ordem Matthew Fating e a maior parte da realeza europeia.

Possui uma Escola de Música com seis dezenas de alunos que ainda não integram a Banda, organizada com 11 monitores.  Tem a Banda sede própria, fruto da generosidade de muitos emigrantes, mas a um estará eternamente grata: ao grande mentor e concretizador da obra: António Zagala. Recebeu a Medalha de Mérito Municipal de Estarreja em 2005. Com uma atividade e projetos culturais inovadores, é seu objetivo atingir patamares de qualidade cada vez mais elevados. O maestro e compositor Afonso Alves é o diretor artístico da BVS e do Orfeão por si fundado em 2011, que conta com 32 coralistas.

Banda Club Pardilhoense

A Banda Club Pardilhoense foi constituída a 4 de novembro de 1874, com o nome de “Filarmónica União Pardilhoense”. Foi o seu principal fundador e grande protetor o Padre António Joaquim Silva Vigário e Matos, conhecido por Padre Cura, auxiliado pelo Mestre Régio Padre José Lopes Ramos e por António Joaquim da Silva Vigário, seu principal instrutor, entre outros. Manuel Almeida, um dos fundadores, foi quem assumiu a regência da banda, mas pouco tempo depois passou o testemunho a Rodrigo António Fidalgo, ficando como contramestre e regente da orquestra. O primeiro local de ensaio foi a residência do Padre Vigário e Matos.

BCP

Banda Clube Pardilhoense, Estarreja

Banda Clube Pardilhoense, Estarreja

Quando, em 1926, a Filarmónica União se integrou no Club Pardilhoense passou a designar-se por “Banda Club Pardilhoense”, sendo mais conhecida por Banda Velha de Pardilhó, uma vez que, entretanto, tinha sido constituída uma outra Banda na freguesia, conhecida por Banda Nova, que já não existe. Foi José Lopes, falecido em 2003, quem procedeu a uma grande renovação e valorização da banda, tendo para tal criado uma Escola de Música, onde são ministradas aulas gratuitas a crianças e jovens que pretendam integrar a Banda Club Pardilhoense. Desde 2009, a Direção Artística da Banda ficou a cargo do Maestro Martinho Rodrigues, natural de Pardilhó, que iniciou a sua formação musical na Banda Club Pardilhoense.

A Escola de Música conta atualmente com cerca de 50 alunos, sendo a sua formação assegurada por elementos da Banda e por professores credenciados. A Escola funciona neste momento em dois módulos, “Iniciação” e “Avançado”, permitindo assim que a partir dos 5 anos de idade os alunos possam já ter contacto com a música. A Banda Club Pardilhoense tem sido convidada a participar em algumas das mais reputadas romarias do país. A gravação do primeiro CD da história da Banda aconteceu em 2014.

A Banda Club Pardilhoense executa os mais diversos números musicais, desde a música clássica, passando pela religiosa e popular, com um vasto reportório. Constituída por 65 elementos, realizam entre 30 a 40 atuações durante o ano. Saíram da Banda Club Pardilhoense grandes músicos, destacando-se o Major Aurélio da Silva e Pinho, antigo Maestro da Banda da Força Aérea.

Fontes:

A informação relativa a Paulo Bandeira, Angelina Rodrigues, Ricardo Silva, Pedro Silva, Samuel Marques, Renata Oliveira, Luzia Vieira, Miguel Valente, Inês Pinto, Ricardo Rosas foi dada por Ricardo Antão.

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *