Orfeão Tomaz Alcaide
Coros de Estremoz

Grupos e atividades corais no Concelho

Orfeão Tomaz Alcaide

O Orfeão Tomás Alcaide foi criado para promover a arte, a cultura e a filantropia sem aceção de ideias, credos, políticas e classes sociais. “Em 1927 e 1928 já os jornais locais o referiam como aspiração, principalmente do maestro da banda da Sociedade Filarmónica Artística Estremocense, mais conhecida e reconhecida por Banda Municipal ou “União”.

O ilustre maestro José António de Lima chegou a tentar, em 1928, organizar uma agremiação deste género, e sob o pretexto de ser construído um Salão de Festas, apresentou no Teatro Bernardim Ribeiro não só uma récita de amadores da sociedade de Estremoz mas também algumas comédias e monólogos. No entanto, os apoios de que parecia usufruir acabaram por defraudá-lo e a organização de um orfeão na cidade branca ficaria adiada.

No ano de 1930, com a chegada à presidência da Sociedade Filarmónica Artística Estremocense de Artur Augusto Assunção, tudo mudou. Uniu-se então ao Maestro José António de Lima que desde logo manifestou a sua inteira disponibilidade para colaborar como regente do Orfeão de Estremoz. Em 16 de março desse ano, numa reunião organizada para o efeito, tudo ficou oficializado com a óbvia anuência de todos os sócios da Sociedade Filarmónica Artística Estremocense presentes. Nesse mesmo encontro foi apresentada por Artur Augusto Assunção, a primeira Direcção do Orfeão de Estremoz que foi aprovada pelos sócios e que era composta por Joaquim Andrade Pimenta, Joaquim António Chouriço e Prudêncio Pimentão Ruivo.

Os ensaios para a sua apresentação ao público estremocense iniciaram-se quase de seguida. No entanto, como o espetáculo tinha sido idealizado com a apresentação de alguns atos de variedades, tornou-se imprescindível a criação de uma Comissão Artística que trabalhasse a parte cénica.

OTA

Orfeão Tomaz Alcaide

Orfeão Tomaz Alcaide

Encontro Internacional de Coros de Estremoz

Em 2019, a Igreja dos Congregados recebeu, no dia 26 de outubro, o 29.º Encontro Internacional de Coros de Estremoz. Integrado no 89.º Aniversário do Orfeão Tomaz Alcaide, o evento contou com a atuação do coro anfitrião, Orfeão de Estremoz Tomaz Alcaide e com os convidados, Coral e Santa Cecília (Espanha) e o Coro do Município de Benavente. A iniciativa foi uma organização do Orfeão Tomaz Alcaide, com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz, da União das Freguesias de Estremoz (Santa Maria e Santo André), da Paróquia de Santo André de Estremoz e de várias empresas locais.

Encontro de Grupos de Cantares de Academias e Universidades Seniores

Em 2019, o Parque de Feira e Exposições de Estremoz, tinha recebido 23 de março, sábado, mais uma edição do Encontro de Grupos de Cantares de Academias e Universidades Seniores. Centenas de pessoas deslocaram-se aquele espaço para assistir à atuação da Tuna Sénior de Estremoz e de mais duas tunas seniores convidadas, transformando assim este evento num “um intercâmbio entre a Tuna Sénior de Estremoz e as Tunas do Barreiro e de Montemor, não é a primeira vez que acontece um encontro deste género, estes encontros são realizados noutras localidades organizados por outras tunas, e portanto estamos muito contentes por este ano organizarmos aqui no concelho de Estremoz”, explicou a Vereadora do Município de Estremoz, Márcia Oliveira. A autarca acrescentou ainda que

“é mais uma das muitas iniciativas que a Academia Sénior de Estremoz vai dinamizando e tenho sempre oportunidade para referir, que a nossa academia é uma das mais dinâmicas do país, temos 20 disciplinas, vamos desde a barrística, passamos pelo Yoga, Alemão, temos Revista à Portuguesa, dois grupos de Cantares, portanto estamos todos contentes com a dinâmica que a academia tem, é uma dinâmica crescente e este encontro é prova disso.”

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *