Rancho Folclórico de Varziela
Folclore no em Felgueiras

Tradições, grupos etnográficos e atividades

  • Rancho Folclórico das Lavradeiras da Lixa
  • Rancho Folclórico de Santa Luzia de Airães
  • Rancho Folclórico de Santa Maria de Pombeiro
  • Rancho Folclórico de Santo André de Friande
  • Rancho Folclórico S. Martinho de Penacova
Rancho Folclórico das Lavradeiras da Lixa

O Grupo Folclórico das Lavradeiras da Lixa foi fundado a 24 de agosto de 1990. Pertence ao Concelho de Felgueiras, distrito do Porto, Região Etnográfica de Entre Douro e Minho. Conta com representações nacionais, de Norte a Sul do País, e representações internacionais a Espanha. É associado da Federação do Folclore Português e INATEL.

No artesanato, destacam-se os bordados manuais, confecionados em pontos cruz ou em ponte cheio, em ponto matizado ou em rechelieu, bordados que enfeitam muitos lares de Portugal e do Estrangeiro. Elaborados por experientes e apaixonadas mulheres da Lixa, estes bordados são característicos da região entre Douro e Minho. Neste contexto de enraizadas tradições, destaca-se na Lixa, o Rancho Folclórico das Lavradeiras da Lixa.

A sua legalização oficial aconteceu por escritura pública, efetuada no Cartório Notarial de Felgueiras, a 24 de Agosto de 1990. Com o distinto objetivo de enaltecer a sua terra, as suas tradições e cultura popular, o Rancho Folclórico das Lavradeiras da Lixa, pretende apresentar por todo o Portugal e Estrangeiro, os usos e costumes da região entre Douro e Minho, nomeadamente da Lixa. Mercê de uma recolha minuciosa de informação acerca da vida quotidiana dos seus antepassados, conseguiu, principalmente através das pessoas mais idosas da Lixa e das freguesias circundantes, material suficiente que lhe permitiu elaborar um cancioneiro digno de destaque, e o seu guarda-fato.

Rancho Folclórico das Lavradeiras da Lixa

Rancho Folclórico das Lavradeiras da Lixa

As danças e os cantares que integram o reportório do Rancho eram, nos tempos passados, executados nos grandes arraiais das festas das redondezas, nas desfolhadas, nas espadeladas, nas arraigas do linho, nas eiras, nas vindimas. As coreografias e músicas, reportam-nos à vida quotidiana de outros tempos, onde a tertúlia era o modo de descompressão do árduo trabalho. Os modos de trajar e os acessórios usados pelos elementos do Rancho, foram também eles, objeto de recolha. Alguns dos trajes pertencem aos finais do século XIX e princípio do século XX, sendo de destacar o traje de festa, de domingar, de lavradeira rica e de campo. Os tradicionais lenços das componentes femininas, são ainda usados na região. Os acessórios de trabalho utilizados pelo Rancho enriquecem o seu espólio e espetáculos. Deste conjunto fazem parte, a roca e o fuso, a dobadoura, o sarilho.

A tocata do rancho, que fornece o som para as danças e os cantares, é composta por concertinas, violas braguesas, cavaquinhos, violão, tambor, e os ferrinhos. Os instrumentos de corda ainda se fabricam, no concelho de Felgueiras.

Rancho Folclórico de Santa Luzia de Airães

O Rancho Folclórico de Santa Luzia de Airães iniciou a sua atividade em 1977, divulgando desde então a música, traje e dança da região de entre Douro e Minho. É membro efetivo da Federação de Folclore Português.

RFSLA

Rancho Folclórico de Santa Luzia de Airães

Rancho Folclórico de Santa Luzia de Airães

Rancho Folclórico de Santo André de Friande

O Rancho Folclórico de Santo André de Friande nasceu em 1977 no lugar de Santo André, junto à capelinha com o mesmo nome que pertence à freguesia de Friande, concelho de Felgueiras. Por esta ocasião um grupo de pessoas do mesmo lugar organizou uma festada, como era tradição em todos os lugares da freguesia, para abrilhantar as festas em honra de São Tomé padroeiro da freguesia. Estas festas realizam-se todos os anos no dia 4 de julho.

Após este evento o mesmo grupo deu continuidade a esta festada dando origem ao Rancho Folclórico de Santo André de Friande. Em 1984 este rancho foi formalizado oficialmente por escritura pública sendo regido por estatutos, passando a ser uma associação cultural, recreativa, desportiva e educativa. Durante os anos 80 teve bons momentos sendo solicitado para animar várias festividades e festivais folclóricos, e sofreu um interregno no início dos anos 90 por falta de componentes. Em 1997 instalou-se uma nova comissão administradora que de imediato angariou novos sócios e organizou eleições das quais saiu uma nova direção, que organizou uma recolha cultural junto das pessoas mais idosas da freguesia, pesquisando os costumes, danças, cantares e vestimentas tradicionais da época.

RFSAF

Rancho Folclórico de Santo André de Friande

Rancho Folclórico de Santo André de Friande

A informação recolhida permitiu confecionar trajes mais fiéis da época que pretendem representar, assim como aperfeiçoar as danças e cantares. Todo este esforço culminou com a sua apresentação oficial em público, no dia 16 de maio 1999, sendo na mesma ocasião “batizado” e apadrinhado com missa solene na igreja paroquial de Friande pelo Rancho Regional de Paredes.

Rancho Folclórico de S. Martinho de Penacova

O Rancho Folclórico de S. Martinho de Penacova é um grupo etnográfico da freguesia de São Martinho de Penacova, concelho de Felgueiras, distrito do Porto.

RFSMP

Rancho Folclórico S. Martinho de Penacova

Rancho Folclórico S. Martinho de Penacova

Rancho Folclórico de Varziela

O Rancho Folclórico de Varziela é um grupo etnográfico da região de Entre Douro e Minho, concelho de Felgueiras, distrito do Porto.

Traje de Senhora Rica

Rancho Folclórico de Varziela

Rancho Folclórico de Varziela