Sociedade Filarmónica Goleganense 1º Janeiro
Músicos naturais do Concelho da Golegã

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

  • António Curvelo (divulgador, 1947)
  • Fernanda Corte-Real (cantora lírica, 1900-1983)
  • Mário Guia (baterista, 1944)

Fernanda Côrte-Real

Fernanda Côrte-Real, cantora lírica, da Golegã

Fernanda Côrte-Real, cantora lírica, da Golegã

Natural da Golegã, Fernanda Côrte-Real estreou-se como cantora de ópera em 6 de janeiro de 1923, no papel de “Micaela” da Carmen, de Georges Bizet, no Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa. Ainda nesse ano foi “Princesa Xenia” na ópera Boris Gordunov. Atuou ao lado de ilustres figuras como Tomás de Alcaide e Alves da Silva. O seu último concerto realizou-se no dia 9 de junho de 1940.

BANDAS FILARMÓNICAS

Sociedade Filarmónica Goleganense 1º Janeiro

A SFG1J teve origem na extinta Sociedade Filarmónica União e Recreio que apenas existiu durante alguns meses. No dia 8 de outubro de 1932, foram aprovados os estatutos da Sociedade filarmónica 1º de Janeiro, cuja banda percorreu pela primeira vez as ruas da Golegã no dia 1 de janeiro de 1933. Em 1993, a sociedade atravessou uma grande crise, tendo ficado inativa e chegando quase à sua dissolução. Em 1995, um grupo de sócios e amantes da filarmónica fê-la ressurgir. Atualmente a sociedade atravessa ainda grandes dificuldades, mostrando no entanto pequenas melhorias, graças aos esforços de uma direção que se recusa a desistir e ao maestro Filipe Pinheiro, que tem vindo, com esforço, a tentar revitalizar a Escola de Música.

SFG1M

Sociedade Filarmónica Goleganense 1º Janeiro

Sociedade Filarmónica Goleganense 1º Janeiro

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *