Guimarães e os seus festivais

Jornadas do Órgão Histórico da Oliveira, 2021
Festivais de música em Guimarães

Festivais, ciclos e encontros de música no Concelho

Jornadas do Órgão Histórico da Oliveira

A 2ª edição das «Jornadas do Órgão Histórico da Oliveira» decorrem de 1 a 8 de Dezembro de 2021, comemorativas do 8º Aniversário do Restauro do grande órgão histórico da Colegiada de Guimarães. Englobam visitas Guiadas Musicais até ao órgão histórico partindo do Museu Alberto Sampaio; Meditações Musicais com 20 minutos de meditação e música de órgão: dias úteis às 12h; Liturgias Solenizadas com Órgão: Missas Feriais às 19h & Missa da Solenidade da Imaculada Conceição dia 8 às 12h; Concertos de Órgão e Coro, em parceria com o Coro Vilancico da Sociedade Musical de Guimarães: dias 5 e 8 às 16h.

Nas «Visitas Guiadas Musicais» apresenta-se o papel da Música na vida da Colegiada; o público contacta de perto com o órgão histórico: além de conhecer a história da sua construção e restauro, escuta os diferentes registos sonoros, vê o funcionamento da máquina. A visita parte do Museu e realiza um itinerário até chegar às “entranhas” do órgão.

É director artístico do festival Nuno Mimoso, músico sacro, docente e investigador, diplomado pela Escola Superior de Música Sacra de Ratisbona na Alemanha, consultor da DSBC da DRCN, director científico dos Estudos Musicológico e Organológico (no prelo) da Igreja do Mosteiro de Santa Clara do Porto e fiscal do restauro dos órgãos históricos.

Jornadas do Órgão Histórico da Oliveira, 2021

Jornadas do Órgão Histórico da Oliveira, 2021

Barco Rock Fest

Facebook: www.facebook.com/barcorockfest

A primeira edição do Barco Rock Fest realizou-se em 2006, numa iniciativa do Movimento Artístico das Taipas (MAT) e da Junta de Freguesia de Barco. O objetivo era dar uma outra vida à freguesia e à sua praia fluvial com um festival de rock. Depois de uma primeira edição experimental, com bandas da região, o anúncio de Guimarães como Capital Europeia da Cultura futura deu novo fôlego à vontade de continuar a aventura. Desde então muitas bandas tocaram na praia de Barco, cada vez mais público, local e nacional, começou a interessar-me por este festival. Em 2016 completou 10 anos de história.

Guimarães Jazz

O Guimarães Jazz comemora 30 anos de existência em 2021. Considerado pela crítica como um festival de referência, tem-se afirmado como um dos mais sólidos e consistentes festivais de jazz do país, ocupando um lugar de topo no panorama nacional e internacional. Na sua 30ª edição apresenta um cartaz coeso de propostas em que pontificam alguns dos nomes essenciais do jazz global contemporâneo. Música de origem planetária e multidisciplinar, numa diversidade estilística e geracional, vertida de 11 a 20 de novembro, ao longo de 12 concertos.

Sítio: www.guimaraesjazz.pt

Guimarães Jazz

Guimarães Jazz

Guimarães Clarinet Days

Os Guimarães Clarinet Days são uma festa dedicada ao clarinete constituída por concertos, workshops, masterclasses, conferências e residências artísticas (3ª edição em 2021, de 4 a 6 de novembro).

Festival de Canto Lírico de Guimarães

O Festival de Canto Lírico de Guimarães é um festival de música de origem e genealogia operática, que visa o culto e o desenvolvimento da voz e da composição musical líricas, “tendo em vista não só um público musicalmente culto, mas a totalidade dos públicos motivados pela fruição e conhecimento culturais, no pressuposto de que a tradição operática lírica constitui do melhor que a cultura humana construiu e continua a construir, aumentando os horizontes cognitivos e culturais da humanidade”, explica a Associação de Socorros Mútuos Artística Vimaranense (ASMAV) responsável pela organização do evento com o apoio do Município de Guimarães. A terceira edição decorreu nos dias 18 e 19 de setembro de 2021, subordinado ao tema “Descobrindo uma cidade escondida, património da Humanidade”.

Festival de Canto Lírico de Guimarães

Festival de Canto Lírico de Guimarães

Festival Guimarães Clássico

O Festival Guimarães Clássico é um projeto conjunto do Quarteto de Cordas de Guimarães e da Câmara Municipal de Guimarães, cujo intuito é o de promover a música de câmara, tendo como base os membros do Quarteto de Cordas de Guimarães e ilustres convidados (líderes da Royal Opera House em Londres) que, durante uma semana, partilham o palco e as salas de aula com talentosos jovens músicos em princípio de carreira.

Entre 18 e 21 de agosto de 2021, Guimarães tornou-se numa plataforma onde a música de câmara é partilhada pelos artistas e alunos com o público em geral, através de uma oferta muito variada de concertos em diferentes pontos da cidade.

O Quarteto de Cordas de Guimarães continua, desta forma, a dinamização da sua área de interesse, a música de câmara para cordas, e espera atrair para Guimarães os melhores artistas e os mais talentosos jovens músicos.
Em 2021, o festival foi adaptado à realidade da pandemia, com muito menos carga académica e com uma duração mais curta.

Festival Internacional de Guitarra de Guimarães

O Festival Internacional de Guitarra de Guimarães é membro da Eurostrings, iniciativa criada em 2017 com o apoio do programa Europa Criativa, da União Europeia, o FIGG é organizado pela Sociedade Musical de Guimarães, tendo direção artística de Nuno Cachada. Tem ainda o apoio da Câmara Municipal de Guimarães. Tem em 2021 a sua 7ª edição, com regresso de classes de aperfeiçoamento e Concurso Internacional de Guitarra “Cidade de Guimarães.

Festival Internacional de Guitarra de Guimarães

Festival Internacional de Guitarra de Guimarães

Festival Internacional de Música Religiosa de Guimarães

O Festival Internacional de Música Religiosa de Guimarães, V edição em 2021, é um evento que tem a direção artística de Elisabete Matos e Augusto Alvarez. Em virtude das circunstâncias provocadas pela pandemia e em conformidade com as orientações emanadas pela Direção Geral de Saúde, a edição de 2021 apresentou-se ao público apenas em formato digital.

Festival Manta

O Festival Manta voltou em 2021 a convidar o público a sentar-se e viajar no relvado do jardim do Centro Cultural Vila Flor naquela que seria a sua 14ª edição, após o interregno do ano anterior induzido pela pandemia. Assente nas suas raízes e a partir da entrega dos artistas em palco e da sua tradicionalmente calorosa relação com o público, os vértices do Manta – artistas, público, natureza, arquiteturas, cidade histórica no horizonte – resultam numa receita de fruição e descontração.

Festival Vai-m’à Banda

Organizado pela Revolve e a Câmara de Guimarães, o Festival Vai-m’à Banda voltou a Guimarães em 2021 e contou com a presença de vários artistas (Filipe Sambado, Chinaskee, Maria Reis e Fumo Ninja). A quarta edição do festival, ao invés de juntar público e artistas à mesa de tascas de Guimarães, em “encontros de malgas de vinho e caldo verde”, aconteceu em locais ao ar livre.

Guimarães Allegro – Festival da Música Erudita

O Guimarães Allegro é organizado pelo Município de Guimarães, com o apoio do SMG – Conservatório de Guimarães, Paço dos Duques, Museu de Alberto Sampaio, Direção Regional de Cultura do Norte, Instituto de Design de Guimarães e Irmandade de Nossa Senhora do Carmo da Penha. Em 2021, nos três dias de certame, apresentaram-se ao público a Orquestra de Guimarães, os Jovens Solistas do Conservatório de Guimarães, o Quarteto de Cordas de Guimarães, o Quarteto de Metais da Banda Filarmónica de Moreira de Cónegos, o Ensemble de Trompetes da Banda Musical de Caldas das Taipas,os  Jovens Cantores de Guimarães, o Ensemble de Clarinetes da Universidade do Minho, o Ensemble de Trombones – Slide Bones Symbiosis e o Simant Duo.

Guimarães Cinema Som

“Guimarães Cinema Som” é o nome do 1º Festival Internacional de Cinema de Guimarães cuja programação decorreria em 2016, entre o Centro Cultural Vila Flor e a Black Box da Plataforma das Artes. O evento, que perspetiva o som como elemento estrutural de um filme considerando-o para além da música, apresenta uma estrutura tripartida que compreende uma mostra de filmes não competitiva, diversificada oferta formativa e também uma secção de filmes internacionais em competição atendendo ao tratamento artístico do som.

O festival proporcionaria estreias nacionais de obras orquestrais especificamente compostas para determinados filmes, oportunidades também para ouvir ao vivo a Orquestra de Guimarães e a Orquestra do Norte. A convite do festival, a Academia de Música Valentim Moreira de Sá aceitou o repto de criar Molduras Sonoras (incluindo liberdade na criação de efeitos sonoros) para um filme de Chaplin.

Com Sonoras Qualidades, o festival propunha uma seleção de obras em que o som se revela determinante na construção de cada filme. O cinema sonoro é considerado desde a fase incipiente até aos nossos dias, constituindo-se um espaço recheado de inovações e marcado por filmes fundamentais da cinematografia mundial.