Banda de Música de Lousada
Filarmónicas de Lousada

Bandas de música, história e atividades no Concelho

  • Banda Musical de Lousada

A Banda de Música de Lousada foi fundada em 1855 por Joaquim Carneiro da Silva Pinto. Desde a sua criação até à implantação da 1ª República, ficou conhecida Banda Velha. Em 1910, divergência políticas determinaram a sua divisão em duas, que felizmente durou pouco tempo, voltando a ser uma única banda, Banda Nova, a atual Banda de Música de Lousada.

Sucederam-se na regência da Banda, de 1910 a 1965, notáveis e consagrados maestros: Serafim Nunes Chamusca, Joaquim da Costa Chicória, Luís Lourenço Pestana, José Francisco Biscaia, entre outros. Entretanto, os principais agentes da preservação e do assinalável êxito alcançado pela banda foram: a família Nunes Chamusca, a família Carvalheiras na pessoa de Joaquim Carvalheiras, que se tornou o pai da música em Lousada. Enquanto a Banda não esteve legalizada como Instituição, este, com grande entusiasmo contratava as festas para as quais era contactado. Assumiu o comando da mesma, recebia as verbas combinadas que depois das atuações distribuía por todos os músicos tendo em conta a responsabilidade e qualidade de cada um.

Outra família que muito se destacou pela sua grande dedicação foi a família Fernandes na pessoa do Pai, Rodrigo Fernandes, cuja obra “A marcha A Lousadense” ficou imortal para o povo de Lousada, sendo exibida sempre em qualquer concerto comemorativo e outros. Os filhos destes ilustres lousadenses, bastante motivados pelo ideal de seus pais tornaram-se músicos da Banda com grande dedicação.

Em 1974, a conjuntura sócio-política colocava em causa a existência da Banda Musical de Lousada. Preocupados com a situação, alguns lousadenses constituíram por Escritura Pública (12 de abril de 1975) a Associação de Cultura Musical de Lousada. Para esta reorganização muito contribuiu com entusiasmo o sempre dinâmico Paulo Afonso da Cunha, filho do já citado Joaquim Carvalheiras, que motivou o então músico Narciso Ribeiro da Mota a encabeçar uma lista para criar por Escritura Pública a Associação de Cultura Musical de Lousada, sendo seus vice-presidentes Paulo Afonso da Cunha e Clemente Ribeiro de Bessa.

Em 1975, Salvador Vieira Fernandes, filho do Rodrigo Fernandes, foi reconduzido como Maestro e principal responsável artístico da Banda de Música da Associação de Cultura Musical de Lousada. Em 1978 foi substituído por Alberto dos Santos Vieira.

Em 1979, representou Portugal no Dia do Emigrante, em França. Em 1980 e 1981, por convite de S.E.C., organizou e participou no 1º e 2º Festival de Bandas Civis em S. Torcato Guimarães sendo o seu principal responsável, Paulo Afonso da Cunha. Em 1983 obteve o 3º lugar no Concurso Nacional da R.T.P “ Sol de Verão”. Em 1985, na Alemanha, venceu o Prémio Absoluto entre 220 Bandas de todo o Mundo. Em 1991, deslocou-se novamente à Alemanha, onde fez o Festival de Promoção do Vinho do Porto, e na Cidade do Porto participou no Festival dos Barcos Rebelos. Em 1993 deslocou-se à Suíça para representar Portugal no dia 10 de Junho – Dia das Comunidades.

A Associação foi distinguida pela S.E.C., com a atribuição da “Medalha de Mérito Cultural”. Para todos estes grandes êxitos, além dos concertos pelo País, muito contribuiu o Maestro Alberto dos Santos Vieira que, após 25 anos como regente, por iniciativa própria quis abandonar o leme da Banda. Em cerimónia solene fez questão de entregar a sua batuta ao jovem músico integrado na Banda de Música da ACML, Romeu Barbosa da Silva que com grande entusiasmo se empenhou na manutenção da qualidade.