Grupo Folclórico da Casa do Povo de São Caetano
Folclore na Madalena do Pico

Grupos Etnográficos, Tradições e Atividades no Concelho

  • Região: Região Autónoma dos Açores
  • Ilha: Pico
  • Concelho: Madalena

03 grupos

  • Grupo Folclórico da Casa do Povo da Candelária
  • Grupo Folclórico de Casa do Povo da Criação Velha
  • Grupo Folclórico da Casa do Povo de São Caetano
Grupo Folclórico da Casa do Povo da Candelária

O Grupo Folclórico da Casa do Povo da Candelária é uma associação de natureza etnográfica com sede na Candelária, Madalena. Fundado em 22 de maio de 1949 apresentou-se nos Açores, Continente Português e EUA

Contactos:
Morada: Largo D. José da Costa Nunes
9950-126 Candelária – Madalena
Telefone: 292622112

Grupo Folclórico da Casa do Povo de São Caetano

O Grupo Folclórico da Casa do Povo de São Caetano apresentou-se ao público, pela primeira vez, a 1 de maio de 1983 (Dia do Trabalhador) para homenagear um exemplar emigrante e destacado empreendedor, filho da terra, António Fonte, por ocasião da inauguração, no centro da freguesia, de um largo com o seu nome. A partir daí, procurando manter sempre a máxima fidelidade às raízes e tradições do povo, o Grupo Folclórico da Casa do Povo de São Caetano, através de pesquisa direta, junto das pessoas mais antigas, repôs publicamente muitos dos velhos bailhos, já esquecidos.

A reconstituição das modas velhas da zona mais a sul do concelho veio valorizar muito o repositório folclórico local, uma vez que se corporizaram bailhos que continuam a ser, ainda, exclusivamente apresentados pelo grupo: Pezinho, Sapateia, Tirana, Praia, Rola, Chiu-Chiu, Joanita, Maria Tomásia e Chamarrita.

Grupo Folclórico da Casa do Povo de São Caetano

Grupo Folclórico da Casa do Povo de São Caetano

Grupo Folclórico de Casa do Povo da Criação Velha

O Grupo Folclórico de Casa do Povo da Criação Velha foi fundado em 1992 sendo um dos mais recentes grupos do género criados na ilha do Pico.

O seu repertório e trajes fundamentam-se nas mais antigas tradições da zona da Fronteira que, ao longo dos séculos, em virtude da natureza dos solos e da sua situação geográfica, fronteira e próxima da ilha do Faial, desenvolveu características muito próprias e claramente expressas nas diversas manifestações de cariz popular.

O Grupo tem atuado em diversas ilhas dos Açores e noutras regiões do país.

Atualmente o Grupo é composto por cerca de 37 elementos e o seu repertório engloba bailhos e cantares típicos da denominada zona da Fronteira, apresentando em exclusivo a moda do Preto, número bastante localizado dentro desta micro região.

Os outros bailhos mais conhecidos são o Pezinho do Pico, a Tirana, o Abana, a Praia, o Rema, a Preta, o Senhor Ladrão e a Chamarrita do Pico.