Banda Boa União – Música Velha
Músicos do Concelho de Manteigas

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

Banda Boa União – Música Velha

Rezam os documentos escritos: «Saibam quantos este instrumento publico virem, que sendo no ano do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, de mil oitocentos e sessenta e cinco, aos oito dias do mês de Julho, pelas nove horas da noite e casas e moradas de Ana Martins Pereira, onde eu Tabelião, vim a rogo de partes, para fazer a presente escritura, ali sendo presentes; (…) do que dou fé, perante os quais por eles foi dito que tinham contratado de reger Sociedade Filarmónica com as condições seguintes».

A Banda tem promovido e participado em concertos, festivais de bandas, encontros lúdicos de artes, festas civis e religiosas, romarias. Instituição de Utilidade Pública, sem fins lucrativos, a BBU rege-se tem por objeto promover o ensino e a prática da arte musical nas sua mais diversas formas de manifestação e execução e propiciar formas de acesso à cultura e ao recreio dos seus associados, nomeadamente: manter classes de ensino da música, manter uma Filarmónica em atividade, promover concertos musicais, festas recreativas, seções de teatro e outras formas de atividade cultural e recreativa, manter um Rancho Folclórico, filiar-se em associações e federações congéneres, promover intercâmbios com outras associações afins, cooperar com as entidades públicas, abrilhantar as festas religiosas.

A Filarmónica tem cerca de 60 elementos, sendo que dois terços são jovens músicos, formados dentro das suas fileiras. Tem uma Escola de Música – para formação dos seus músicos, que conta com três colaboradores na formação musical, estando inscritos cerca de 30 instruendos, repartidos por quatro graus de ensino musical, que serão o garante do futuro da Coletividade.

BBU

Banda Boa União – Música Velha

Banda Boa União – Música Velha

Filarmónica Popular Manteiguense – Música Nova

A Filarmónica Popular Manteiguense – Música Nova, foi fundada em 1877 e mantém-se em atividade ininterrupta até a presente data. Diz a história que a música em Manteigas teve a sua origem devido à visita de uma companhia de palhaços à nossa terra, tendo depois alguns nossos conterrâneos comprado, aos mesmos palhaços uma trompete, um saxofone, uma tarola e uns pratos. Daí, sem qualquer arte musical, fazendo uma grande barulheira pelas ruas fora, é que nasceu o gosto pela música.

O certo é que a música em Manteigas começou a ter a sua história bem marcada com documentos que rezam de 8 de julho de 1865, altura em que foi fundada a “Sociedade Filarmónica”. Em 1877, Manteigas passou a ter duas bandas, quando a 29 de janeiro desse ano Anselmo Braancamp, líder político do Partido Progressista do nosso País, consegue dissolver o Parlamento e arrasta para o seu Partido Progressista grande parte dos militares dos Partidos evolucionista e regenerador. Este acontecimento político, a nível nacional, deu a todos os progressistas deste país uma grande alegria, incluindo os Manteiguenses, pois o mesmo acontecimento foi nesta vila festejado.

O chefe deste partido no nosso concelho era Manuel Cunha, homem de fabrico da Casa Matos Cunha que, para festejar o acontecimento, convidou a Música da nossa terra. Como a Banda existente era chefiada pelo Sr. António Ribeiro, da família nobre da Quinta de São Fernando, e como este era o chefe do Partido Regenerador no nosso concelho, pediu a Manuel Cunha uma libra em ouro por cada hora de exibição. O contrato foi firmado nesta base, mas ao fim de duas horas de atuação, Manuel Cunha todo indignado disse que a partir desse momento iria nascer uma nova Banda em Manteigas. Tendo depois descoberto em Unhais da Serra um afinador de teares, que era músico e que foi conhecido pelo nome de “Pai Pata”, foi buscá-lo para mestre de teares em São Gabriel e com elementos em grande parte que vieram do velho agrupamento, Manuel Cunha ainda nesse mesmo ano organiza a “Música Nova” e em 7 de agosto, sai para a rua, fazendo um concerto na Praça Luís de Camões, e até aos nossos dias a “Filarmónica Popular Manteiguense” teve vida contínua e sempre com o mesmo nome que ainda hoje possui.

BPM

Filarmónica Popular Manteiguense - Música Nova

Filarmónica Popular Manteiguense – Música Nova

FPM-MN

Filarmónica Popular Manteiguense - Música Nova

Filarmónica Popular Manteiguense – Música Nova