Igreja Matriz de Vila Boa de Quires
Órgãos de tubos do concelho do Marco de Canaveses [1]

De acordo com as informações disponíveis, existem órgãos de tubos nas seguintes igrejas do Concelho:

Igreja Matriz de Vila Boa de Quires

[ Igreja Paroquial ] [ do antigo mosteiro ] [ de Santo André ]

Igreja Matriz de Vila Boa de Quires

Igreja Matriz de Vila Boa de Quires

A igreja fez parte de um antigo mosteiro masculino da Ordem Beneditina, desativado no séc. XIV. Sobreviveu a igreja, que funciona como igreja paroquial. Do templo românico tardio, sobrevive a estrutura, o portal axial e janelão, bem como a porta travessa e a capela-mor, com a sua fresta e a abóbada, sustentada por arco toral interno e por dois contrafortes, de que subsiste visível o do lado norte.

O portal principal de quatro arquivoltas, em arco quebrado, está assente em impostas com cabeças de bovídeos e capitéis muito decorados, com inspiração no de Paço de Sousa. A fresta mainelada sobre o portal principal e as siglas das paredes, algumas alfabéticas, são de modelo tardio, denotando a transição que se vivia durante a reconstrução do templo. Os capitéis da porta lateral sul, talvez anteriores, são idênticos aos de Boelhe. Sofreu obras de remodelação no séc. XVI, de que subsistem alguns azulejos hispano-mouriscos, bem como no séc. XVII, altura em que foram executados o campanário e as estruturas retabulares da nave, o primeiro desaparecido e estas muito alteradas pelas obras do séc. XIX, mas onde se mantêm as colunas e algumas tábuas pintadas. De destacar as obras barrocas, com a pintura da envolvente do arco triunfal, com um Calvário centrado por quadraturas, bem como os falsos caixotões pintados da capela-mor, compondo episódios da Paixão de Cristo, envolvidos por falsas molduras de acantos. O retábulo-mor é de talha mais tardia, tardo-barroco, de que subsiste a cornija e as colunas, adaptadas à nova estrutura. As obras do séc. XIX, ampliaram a igreja, fizeram o coro-alto e introduziram a torre sineira.

Fonte: Monumentos

 

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *