Luís Martelo, trompete, da Mealhada
Músicos da Mealhada

Figuras musicais relevantes do Concelho

  • Ana Luísa Cardoso (soprano, 1967)
  • Andy Scotch (rapper)
  • Beatriz Cortesão (harpa)
  • Luís Martelo (trompete, 1989)
Ana Luísa Cardoso

Ana Luísa Cardoso nasceu em Pampilhosa, Mealhada, em 1967. Estudou no Conservatório Calouste Gulbenkian de Aveiro. De 1989 a 1994, integrou o coro da Fundação Calouste Gulbenkian e entrou para o coro do Teatro Nacional de São Carlos (TNSC) em 1989.

Atuou como cantora solista em diversos espetáculos desde 1991, nomeadamente: “Stabat Mater” de Pergolesi (1994); estreia absoluta da cantata “A Trilogia das Descobertas”, de e sob a direção do maestro Carlos Silva (1996); concertos de Música Sacra com peças de Haendel, Delibes e Schubert (1999 e 2000); óperas e concertos da Temporada de Ópera do TNSC, como “Suor Angelica” de Puccini, “Orphée aux Enfers” de Offenbach, cantata “Ceremony of Carols” de Britten, cantata “Les ruines de Jeruzona” de Pousseur; três concertos com Coro e Orquestra do TNSC, sob a direção do maestro João Paulo Santos, no programa dedicado a Schumann, no TNSC e nos Festivais dos Capuchos e do Bombarral; na co-produção do TNSC e da Culturgest “Édipo ou a Tragédia do Saber” de António Pinho Vargas (estreia absoluta) e no musical “Sweeney Todd” de Sondheim.

Cantou no Coro Syntagma Musicum de Lisboa e no Grupo Vocal Harmonia e colabora com o Coro Polifónico de Almada e o coro Riccercare de Lisboa. Dirige, desde 2004, o Coro da Casa da Galiza, em Lisboa. Integra a OP-Companhia Portuguesa de Ópera desde 2001, tendo interpretado, em Lisboa e em digressão por todo o país: Gianetta em “L’Elisir d’Amore” de Donizetti (num total de 25 récitas, em 2001 e 2002), Berta no “Barbeiro de Sevilha” de Rossini, Frasquita na “Carmen” de Bizet e Cugina na “Madama Butterfly” de Puccini. Em 2005, fez parte do elenco da ópera “Norma” de Bellini, a convite do Festival de Música do Teatro Clássico de Mérida, interpretando o papel de Clotilde, sob a direção do maestro Miguel Ortega.

Leia AQUI a biografia completa.

Andy Scotch

Rapper, compositor, produtor, empresário português, André Valezim de Carvalho – mais conhecido pelo seu nome artístico Andy Scotch – nasceu na Mealhada, a 14 de outubro de 1988.  É filho de Moçambicanos que vieram para Portugal em 1975 devido à guerra, tendo herdado dos pais a paixão pela música.

Andy Scotch, rapper, produtor, da Mealhada

Andy Scotch, rapper, produtor, da Mealhada

Na adolescência a mãe foi bailarina de “black music” e transmitiu-lhe desde cedo o gosto pela música de artistas como Michael Jackson e Prince. Em 2006 começou por disponibilizar vídeos de improviso e músicas gratuitamente no YouTube, onde o seu primeiro grande sucesso foi a música “Escuta o teu coração”, em 2009 ainda com o seu pseudónimo antigo (MC Fly). Mais tarde compilou temas originais e assim nasceu «Referência», o álbum de estreia, que editou em 2012. Andy Scotch foi convidado pelo conhecido Dj Cutsneak a fazer um remix da sua música que foi um hit de sucesso em Portugal “I Love Girls”. O sucesso (cantado em português) extravasou fronteiras nacionais e Andy Scotch foi então selecionado para entrar na coletânea “Freestyle”. O CD encontra-se a venda na Alemanha, Áustria e Suíça, tendo sido feita cerca de 20 mil cópias.

Beatriz Cortesão

Beatriz Cortesão nasceu na em Santa Luzia, freguesia de Barcouço, concelho da Mealhada, em 1998, e estudou Harpa no Conservatório de Música de Coimbra. O seu percurso académico no domínio das técnicas de harpa foi acompanhado pelas professoras Eleonor Picas, Beatrix Schmidt, Rita Campos e Erica Versace.

Complementa a sua formação musical frequentando regularmente cursos e classes de aperfeiçoamento, destacando-se os cursos de Harpa HarpWeek Porto (2014 e 2016), com Irina Zingg, e a International Summer Harp Academy (2015 e 2016), da Harp Masters Academy, com Irina Zingg e Karen Vaughan.

Beatriz Cortesão, harpista, da Mealhada

Beatriz Cortesão, harpista, da Mealhada, créditos Civica Scuola Di Musica Claudio Abbado

Trabalhou com os maestros Pedro Carneiro, Rui Pinheiro, Ernst Schelle, Frank Zielhorst e Jean-Sébastien Béreau, entre outros.

Em 2013, começou a colaborar com várias orquestras a nível profissional, tais como a Orquestra Filarmonia das Beiras, a Orquestra do Norte e a Orquestra Clássica do Centro. Integrou a Jovem Orquestra Portuguesa a partir de 2014.

Em 2020 tornou-se a primeira harpista portuguesa a ser admitida na European Union Youth Orchestra.

Leia AQUI a biografia completa.

Luís Martelo

Atualmente radicado na Inglaterra, Luís Martelo nasceu na freguesia de Barcouço, concelho da Mealhada. É o Trompete Principal/Solista da Taunton Concert Band, Lead Trumpet da Bertie’s Big Band e The New Groove, Solista dos Skaravan Club, Solo Cornet da Phoenix Brass Band, e um dos trompetistas freelance mais requisitados para shows comerciais e sessões de estúdio.

Gravou várias faixas e álbuns para bandas nacionais e internacionais e fez arranjos para a secção de sopros. Recentemente gravou com os Postmodern Jukebox UK, gravou o novo single da banda Nederveen, e o novo single da cantora irlandesa Marie Therese, de Dublin, que veio gravar na Inglaterra. Ela trabalhou com a Universal Records.

Gravou para o produtor de Hollywood Scott Fivelson, que produziu o filme American Reel e Near Myth – The Oskar Knight story, e a faixa chama-se Uber Time!

Na Inglaterra Luís Martelo já tocou no passado Lead Trumpet com a Deane Big Band e os Postmodern Jukebox, Groove-a-Licious (funk / soul banda), 1º trompete / solista com a Orquestra Clássica de quarta-feira, trompete / solista principal com a Tone Big Band, 1st Trumpet com a Somerset County Orchestra, Trumpet com a Big Noise Street Band, freelance com The Motown Gold Band da Earcandy, a orquestra de fossa do Regal Theatre, várias vezes ao vivo na
BBC Radio.

Luís apresentou-se a solo em diversos países, como Suíça, Luxemburgo, Portugal, Inglaterra e ilha de Jersey, Espanha e País de Gales, Croácia e tem sido um sucesso emergente.

Recentemente foi convidado por Philippe Schartz, trompete principal da BBC National Orquestra do País de Gales, para se juntar à orquestra como reforço freelance no futuro.

Luís Martelo, trompete, da Mealhada

Luís Martelo, trompete, da Mealhada

Recentemente, trouxe ao mercado seu primeiro método de trompete e o seu primeiro álbum de originais a solo “All of Me” que conta com alguns dos maiores nomes mundiais e tem sido um sucesso de vendas e bastante aclamado pelos grandes nomes da musica e do trompete mundial.

Leia AQUI a biografia completa.