Filarmónica Ressurreição de Mira
Filarmónicas de Mira

Bandas de Música, História e Atividades no Concelho

Filarmónica Ressurreição de Mira

A Banda Filarmónica Ressurreição de Mira é composta por 60 executantes com idades entre os 7 e os 41 anos, cuja média etária é de 16 anos. Tem uma Escola de Música com 50 alunos com idades entre os 3 e 16 anos. Conta também com o Grupo de Música Sacra, que participa em celebrações litúrgicas.

A Banda Ressurreição de Mira foi fundada em data desconhecida. Em 1870 existiam duas bandas em Mira que tocavam a despique, ou seja, a Banda Velha e a Banda Nova de Mira. Supõe-se ter havido, décadas antes, uma só Banda e, talvez devido a algumas desavenças, separaram-se dando origem às duas Bandas. Segundo relatos da época, em 16 de setembro de 1894, no lugar de Portomar, na festa de Nossa Senhora do Carmo, tocaram a despique as duas Bandas de Mira, sendo a velha dirigida por Eduardo Branco Alvares e a Nova pelo Brado Pinto Camello, prova cabal da existência dessas duas Bandas de Música. Com instrumental velho, sem rigor no fardamento, e com músicos já de uma certa idade, deu-se a primeira interrupção das bandas entre 1894 e 1912. No entanto, um grupo formado por 27 músicos já idoso, das duas Bandas, formou em 1912 a Banda Filarmónica de Mira.

Posteriormente passou a designar-se Banda Filarmónica Ressurreição de Mira, pelo facto de ter voltado a executar música no dia da Ressurreição (Páscoa). Para além de registos de atas e outros elementos, um recorte de jornal refere já a existência do nome “Ressurreição de Mira” em 1920/1930. A fusão das duas bandas tinha resultado em pleno, e esta batia-se com garbo e sabedoria, com algumas bandas de renome, sendo que vários foram os êxitos somados nas décadas seguintes, sob a batuta de vários maestros. Com a sala de ensaio em ruínas, sem vidros e sem verba para a manutenção e reparação do instrumental, entre 1959/1977 surgiu nova paragem da Banda. Em 1977, a Banda ressurgiu a abrilhantar a Festa da Praia de Mira no dia 8 de Dezembro, com arruada, procissão e já com 28 elementos.

Em 1981 foi possível fazer-se a 1º gravação em fita magnética. Em 2004 gravou o seu 1º CD com o título  Em…..Cantos de Mira e em 2008 o 2º CD com o título Show Time. Eduardo Branco Alvares, Brado Pinto Camello, Jorge Augusto de Carvalho, José António Santos Silva (10º Sargento Músico do Exército), Carvalho, Adolfo Monteiro dosa Santos e Jara (Tenente chefe da Banda do Exército), Santos Silva, João Maria Marques de Oliveira, Manuel Ribeiro Caiado, e Francisco Manuel Relva Pereira ( Sargento Ajudante Musico do Exército), e Jorge Paulo Margaça Domingues, são alguns dos maestros que dirigiram a filarmónica.

A Banda já atuou em Espanha e França e participou nos mais diversos eventos culturais e musicais, como a Expo 98, Encontros de Bandas organizados pela Federação de Filarmónicas do Distrito de Coimbra, pelo Inatel, receção a individualidades e participação em festas e romarias. Desde 2014 a direção artística está entregue ao Maestro Rodolfo Maia.

Filarmónica Ressurreição de Mira

Filarmónica Ressurreição de Mira