Amílcar Vasques-Dias, compositor e pianista, de Monção
Músicos do Concelho de Monção

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

Amílcar Vasques-Dias

Amílcar Vasques-Dias, compositor e pianista, de Monção

Amílcar Vasques-Dias, compositor e pianista, de Monção

Alberto Lages

Alberto Lages

Amílcar Vasques-Dias, compositor e pianista, de Monção

BANDAS FILARMÓNICAS

Banda Musical de Monção

O registo mais antigo que se conhece está inscrito numa ata da Santa Casa da Misericórdia de Monção, de 25 de fevereiro de 1792, e nessa época, era conhecida por Banda de Muzica da Vila presumindo-se, contudo, que a sua existência seja anterior. Em 1792, Gonzallo José de Moiños, de nacionalidade Espanhola, foi o primeiro Maestro. Em 1830, já a Banda abrilhantava festividades sendo Maestro o abade D. Lourenço, também, de nacionalidade Espanhola e Capelão do Palácio da Brejoeira. A Filarmónica era constituída por 15 músicos. De Maestro em Maestro, quer formados em Monção, quer outros contratados, civis e militares, chegou-se ao ano de 1918. Em 1890, foi feita a primeira fotografia da Banda da qual já faziam parte 20 músicos.

Em 1918, passou a chamar-se Banda dos Bombeiros Voluntários de Monção, por deliberação da Direção. Em 1933, a Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Monção, deliberou em reunião do executivo, outorgar-lhe o titulo honorifico de Banda Municipal de Monção, pelos brilhantes serviços prestados à cultura. Em 1945, participou na inauguração do Estádio de Futebol do Riazor, Corunha Espanha. Em 1969, por força de lei foram elaborados os seus primeiros Estatutos, e inscreveram-se os primeiros 120 sócios fundadores, passando a chamar-se Banda Musical de Monção, titulo que mantém.

Em 1970, década 70/80, gravou diversos discos (Maestro Miguel de Oliveira). Em 1971, classificou-se em 3º lugar no Concurso de Bandas Civis de 1o Categoria (Palácio Cristal/Porto). Em 1980, a Câmara Municipal de Monção, em sessão pública, outorgou-lhe a medalha de ouro do Município pelos seus mais de 150 anos ao serviço da Cultura. Em 1984, gravou a sua 1ª cassete (Maestro Viriato Araújo). Em 1996, classificou-se em 3º lugar na participação na RTP2, programa “À Volt a do Coreto”. Em 1998, pela declaração no134/98 e nos termos do Decreto-lei no460/77, foi declarada pelo governo instituição de utilidade pública. Em 2005, gravou o CD (Maestro José Vicente).

Em 2006, dirigida pelo Maestro José Vicente Simeó, a Banda Musical de Monção foi vencedora do Concurso de Bandas Filarmónicas da Cidade de Aveiro. Em 2009, gravou o CD “Contrastes Sinfónicos” (Maestro José Vicente). De 1792 a 2014, conhecem-se 23 maestros, destacando-se entre outros: Gonzallo José de Moiños (1792), abade D. Lourenço (1830), Miguel Maria Pereira (1880), Sargento Músico, Luis José Gonçalves (Mestre Luís – 1897 a 1928), Sargento Musico Sebastião José Passos (1928 a 1952) Óscar Ferreira, Luís Lourenço, Sargento Músico Manuel Ferreira Pais, Miguel António Peixoto de Oliveira (1964 a 1983), Manuel Silva Lourenço (1983), Sargento Chefe, Viriato Carneiro Araújo (1983 a 1986), Sargento Chefe, Domingos José Campos Cardoso (1986 a 2003) e atualmente, Professor Doutor José Vicente Simeó Mañez (desde 2003), este, de nacionalidade espanhola.

A Banda Musical de Monção, através dos tempos, participou em milhares de festividades e em todo o tipo de eventos culturais como romarias, procissões, concertos, encontros de bandas, concursos, geminações de municípios, gravações, receções oficiais, homenagens e atos solenes.

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *