Igreja do Senhor do Calvário
Penafiel [5]

De acordo com as informações disponíveis, existem órgãos de tubos nas seguintes igrejas do Concelho:

Igreja da Misericórdia de Penafiel

Igreja da Misericórdia de Penafiel

Igreja da Misericórdia de Penafiel

Com existência conhecida desde o século XVI e sediada na capela em frente da matriz, a Misericórdia de Penafiel apenas beneficiou de igreja própria na segunda década do século XVII. As obras tiveram início na década de 1620, estando concluídas, muito possivelmente, em 1631, data que figura numa inscrição patente na capela-mor. “Trata-se de um edifício assumido na sua forma chã, mesclado de elementos eruditos, no qual a gramática clássica se articula segundo uma estética de liberdade”. O frontispício, concebido como um retábulo, inscreve-se nas denominadas fachadas-retábulos. É delimitado por pilastras, nos cunhais, que acentuam a sua verticalidade, sendo que a do lado direito separa o alçado da torre sineira, setecentista, que se eleva bem acima da linha da empena, terminando numa cúpula bolbosa, revestida por azulejos. No interior, a nave única e a capela-mor, alta e bastante profunda, são articuladas pelo arco triunfal, flanqueado por pilastras e encimado por frontão triangular. Na capela-mor, o teto é em caixotões de cantaria, numa composição de linguagem seiscentista, tal como o arcosólio onde se inscreve o túmulo de Amaro Moreira e seus descendentes. O património integrado que hoje podemos observar neste interior é muito posterior, remontando na sua grande maioria ao final do século XVIII e inícios da centúria seguinte, e substituído os originais de época barroca. A linguagem aqui presente é já neoclássica, conhecendo-se os nomes dos entalhadores responsáveis pela execução dos retábulos. De linhas e elementos decorativos rocaille, o alçado desenvolve-se em planta contracurvada, que destacam a composição central formada pela porta, nicho e óculo, flanqueada pelos cunhais onde se abrem os nichos. Ao lado, ergue-se a capela da Senhora da Lapa, de linhas menos eruditas, e edificada em substituição da parte da fachada que ficou por levantar. Da mesma época deverá ser, ainda, a capela do Senhor dos Passos, na cabeceira da igreja.

Fonte: DGPC, RC

Igreja da Misericórdia de Penafiel possui um órgão histórico António José dos Santos, 1882.

Igreja das Freiras

[ do Recolhimento de Nossa Senhora da Conceição ]

Igreja das Freiras

Igreja das Freiras

A Igreja do Recolhimento de Nossa Senhora da Conceição é o que resta do antigo Convento das Freiras. A construção do convento foi iniciada nos finais do séc. XVII por Gonçalo Ferreira da Costa, a fim de cumprir a última vontade de sua esposa, Clara de Barros, que faleceu na Quinta das Lages em Milhundos. Por morte de Gonçalo Costa, o convento foi penhorado e posto em praça. Por esse motivo as obras da construção do Convento das Freiras pararam por algum tempo. Entretanto, por testamento lavrado a 8 de fevereiro de 1692, Gonçalo Pinheiro e sua mulher Ana de Castilho fundaram um recolhimento para seis donzelas, que seria instalado nas casas que os fundadores possuíam e habitavam bem de fronte da principal porta da Igreja da Misericórdia de Penafiel.

Fonte: Penafiel, Terra Nossa

Caixa

Órgão da Igreja das Freiras

Órgão da Igreja das Freiras

Igreja Paroquial de Fonte Arcada 

[ Nossa Senhora da Assunção ]

Igreja Matriz de Fonte Arcada 

Igreja Paroquial de Fonte Arcada

A Igreja Paroquial de Fonte Arcada é um edifício de arquitetura religiosa de construção românica de que mantém a estrutura e alguns vestígios exteriores, como várias mísulas, o portal axial com moldura biselada e decorada com friso de pequenas esferas, ladeado por cruzes insculpidas nos muros, que surgem também nas laterais e na posterior, onde forma um Calvário, com acesso por escadas frontais, formando pequeno pódio. É de planta em cruz latina composta por nave, transepto pouco saliente, de duas naves, numa estrutura pouco comum, divididas por duas possantes colunas e a nave não tem a mesma largura, sendo mais larga junto ao portal axial, adaptando-se aos afloramentos rochosos e ao terreno que rodeia o imóvel, tendo capelas adossadas, uma delas marcada exteriormente por pequena sineira e outra por remate em frontão triangular, sendo a mais alta de todas, com acessos interiores por arcos de volta perfeita, dois deles envolvidos por decoração arquitetónica maneirista e com pedra de armas; a terceira capela apresenta vestígios de policromia no arco de acesso, o que também acontece com a pia batismal, com bacia gomeada; capela-mor com sacristia. Fachada principal em empena truncada por dupla sineira, rasgada por pórtico de volta perfeita com a moldura constituída pelas aduelas do arco, apresentando afinidades com o de Lourosa. Fachadas com remates em cornija, rasgada a direita por porta travessa e janelas em capialço, já de feição maneirista. Interior com coro-alto de madeira, sob o qual surge pia batismal no lado do Evangelho, aparecendo, do mesmo lado, o púlpito. Apresenta coberturas de madeira, em masseira na nave e em falsa abóbada de berço em caixotões na capela-mor. São visíveis as marcações dos arcos que constituiriam arcossólios e destaca-se a existência de dois retábulos de talha maneirista, que mantém a decoração pictórica e um deles o dossel e a ilharga com revestimento de azulejo hispano-mourisco. Retábulo-mor de talha dourada do estilo nacional com três eixos definidos por colunas torsas decoradas com pâmpanos que se prolongam em arquivoltas e destaca-se pela perfeição do talhe, ostentando o intradorso dos nichos com baixos-relevos fingindo drapeados.

Pequeno órgão

Órgão da Igreja Paroquial de Fonte Arcada

Órgão da Igreja Paroquial de Fonte Arcada

Igreja do Senhor do Calvário

[ de São Francisco de Assis ]

Igreja do Senhor do Calvário

Igreja do Senhor do Calvário

A Igreja do Senhor do Calvário é um edifício de arquitetura religiosa construída em finais do século XVIII e inícios do século XIX em estilo tardo-rococó. Situada no Lugar do Calvário, tem a tutela da Venerável Ordem Terceira de São Francisco.

Igreja do Convento de Santo António dos Capuchos

[ do Hospital ]

Igreja do Hospital

Igreja do Hospital

A igreja de Santo António dos Capuchos era parte integrante do convento que os Franciscanos Capuchos da província da Soledade ergueram em Penafiel. Obtiveram alvará régio do rei D. Afonso VI, em 1662, que autorizava a criação de um cenóbio, o convento de Santo António dos Capuchos. Apenas se conservando intacta a igreja do convento. A igreja passou para as mãos da Misericórdia em 1836, quando as ruínas do convento lhe foram entregues pelo governo para nelas se instalar o Hospital da Santa Casa. A igreja de Santo António dos capuchos de Penafiel, edificada no século XVII, segue um conjunto de características típicas dos demais templos capuchos seus contemporâneos. Abre por um pequeno alpendre de três arcos sustentados por quatro colunas sobre os quais assenta o pano frontispício da igreja, rematado por um frontão, no qual se rasgam um janelão sob o qual está um nicho com imagem de Santo António, em pedra. É uma igreja de nave única, com capela-mor mais estreita. Tem cobertura em falsa abóbada de berço com molduras simples de granito que enquadram florões de gesso. Tem três altares em talha dourada e policromada da segunda metade do séc. XVIII: o altar da capela-mor e os altares colaterais (adossados ao arco cruzeiro da igreja) de Nossa Senhora das Dores (lado do Evangelho) e de Nossa Senhora da Conceição (lado da epístola). Os altares colaterais são unidos por uma longa composição em talha dourada e policromada que cobre todo o arco cruzeiro, no centro do qual se desenvolvem as armas dos Azevedo e Brito, senhores da Honra de Barbosa e padroeiros do convento. Nos dois nichos do altar-mor, vêem-se do lado do Evangelho, a imagem de S. Francisco de Assis e do outro lado a imagem de Santo António e na tribuna a imagem do Senhor do Hospital, obra escultórica do séc. XVI que teve grande importância. A igreja dos capuchos situa-se no Largo de Santo António dos Capuchos, entre o Hospital da Misericórdia e o Lar de Santo António dos Capuchos.

Fonte: Misericórdia de Penafiel

O órgão foi restaurado por Nuno Rigaud em 2018.

Órgão e tribuna do lado da Epístola

Órgão da Igreja da Misericórdia de Penafiel

Órgão da Igreja da Misericórdia de Penafiel

Inauguração

Órgão da Igreja da Misericórdia de Penafiel

Órgão da Igreja da Misericórdia de Penafiel