Ponte de Sor e as suas filarmónicas

Orquestra Ligeira da Câmara Municipal de Ponte de Sor
Filarmónicas de Ponte de Sor

Bandas de Música, História e Atividades no Concelho

  • Banda da Escola de Música de Montargil
  • Orquestra Juvenil da Câmara Municipal de Ponte de Sor
  • Sociedade Filarmónica Galveense
Banda da Escola da Música de Montargil

A fundação da primeira Banda de Música de Montargil remonta a 1881 e foi seu regente Rufo Freire de Andrade. Deste primeiro ciclo apenas sabemos que, quando terminou a guerra de 1914-1918 a banda estava inativa, tendo sido o maestro Galamba e o maestro Sá os últimos regentes.

Em 1919, mestre Jaime, que havia ficado prisioneiro dos alemães, regressou, e a Banda foi esperá-lo. Começava a era de Alves do Carmo. Com este homem o Grupo Musical Montargilense – era este o seu nome embora fosse mais conhecido pela designação de “A Música”, viveu anos de prestigio. Quando por motivos de idade e saúde o maestro teve de deixar a Banda, viveu-se um vazio de vinte anos com algumas tentativas de arranque com o Padre Pereira a assumir a regência, sem resultados práticos.

Em 1975, com poucos músicos e sem instrumental o grupo de promoção criou a sua Escola de Música com base em instrumental ORFF e vozes. Mas a Banda não se conseguia fazer reviver até que um dia Jorge Fernandes então Presidente da Junta de Freguesia e José Amante, Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Sor, na altura propuseram ao Grupo de Promoção a reconstituição da Banda.

Em 1989, José Maria Bernardo deu na casa do povo, a primeira aula. Era o inicio da terceira fase. Reinava o entusiasmo e os músicos, ainda sem fardamento, foram aplaudidos no final da primeira procissão em que participaram. O maestro José Maria Bernardo fez obra, mas problemas de Saúde levaram-no a abandonar o projeto. Foi substituído pelo Maestro José Pedro Salgueiro que se manteve à frente da Banda de 1994 a 1999. Assumiu a direção artística da Banda da Escola de Musica de Montargil, seu atual nome, o Maestro Luís de Castro que nos viria a deixar em 2002. De então para cá o regente Marco Alves dirige a banda a convite do antigo maestro Paulo Temeroso que deixou a banda por motivos profissionais.

Em 2008 a Banda de Montargil realizou uma viagem a Cabo Verde a fim de participar no Festival Sete Sois Sete Luas que se realizou no concelho de Ribeira Grande (ilha de S. Antão) Cabo Verde.

Banda da Escola da Música de Montargil

Banda da Escola da Música de Montargil

Em 2010 o maestro Marco Alves deixa a banda de Montargil. A convite do maestro Marco Alves passou a dirigir a banda de Montargil o maestro “Chora” executante de Tuba. No final de 2013 a Banda viria a sofrer com a grave falta de músicos e o maestro Chora viria a deixar a banda, em 2014.

Orquestra Juvenil da Câmara Municipal de Ponte de Sor

A Orquestra Juvenil da Câmara Municipal de Ponte de Sor foi criada em 1981 por deliberação da Câmara Municipal de Ponte de Sor. Atuou em várias localidades, de Norte a Sul. Atuou em programas de televisão, “Bom dia Domingo”, “Jazz é comigo” e “123”.

Em 1985 gravou um LP. Em 1987 deslocou-se a Paris, onde atuou no “Zenit”. Em 1995 deslocou-se à Suíça onde atuou em Lucerna e Baar e, em 1996, gravou um CD. A Orquestra é formada por cerca de 32 jovens, na sua maioria estudantes, que ocupam os seus tempos livres na aprendizagem e divulgação da música.

OLCMPS

Orquestra Ligeira da Câmara Municipal de Ponte de Sor

Orquestra Ligeira da Câmara Municipal de Ponte de Sor

Sociedade Filarmónica Galveense

A Sociedade Filarmónica Galveense, fundada em 01 de Dezembro de 1930, está sediada na Rua Joaquim Barradas de Carvalho, 84 7400-014 Galveias, Ponte de Sor.

Sociedade Filarmónica Galveense

Sociedade Filarmónica Galveense

Vocacionada para o ensino da Música, dela saíram importantes nomes do panorama musical português, incluindo o trompetista e compositor António Reis Gomes. Na Banda da Armada, a primeira peça que Reis Gomes compôs, em 1961, foi para homenagear a sua terra. Galveias é o nome da marcha que homenageia a freguesia portuguesa com o mesmo nome.

A Banda da Sociedade Filarmónica Galveense atingiu o seu auge aquando da sua deslocação à Feira Popular de Lisboa em 1947 a fim de realizar dois concertos, com originais e composições do Regente, Maestro João P. Mineiro.

Nesse período atuou em Estremoz e Portalegre e outras localidades do País. Nos anos 1980 atuou em Lisboa, na Casa do Alentejo com dois concertos, destacando-se o último em que a Banda foi dirigida por quatro maestros (Gilberto Varela, José Maria Bernardo, Sr. Formigo e José Manuel Marquês). Em 1989 surgiu em Galveias, com o objetivo de formar uma Escola de Música, José Vicente, professor de Música na Escola Preparatória de Vila Franca de Xira. Renasceu a esperança, mas os objetivos foram interrompidos pelo falecimento de um familiar do Maestro, deixando a Escola de Música órfã.

Passado este período, e com grandes esforços dos sucessivos órgãos sociais da Coletividade, a Banda renasceu, no início dos anos 90, com elementos da Banda e da Escola da Música, a qual se mantém até aos dias de hoje, contando com mais de  trinta elementos na Banda, e cerca de 15 alunos na Escola de Música.

Sociedade Filarmónica Galveense

Sociedade Filarmónica Galveense, foto Médio Tejo

Em 2021 o seu maestro era João Bartolomeu.

Galveias é uma freguesia do concelho de Ponte de Sor, distrito de Portalegre, região do Alentejo e sub-região do Alto Alentejo, com 79,75 km² de área e 1 061 habitantes. Foi vila e sede de concelho entre 1538 e o início do século XIX.