Rancho Folclórico da Sociedade Recreativa de Cabeça Veada
Folclore em Porto de Mós

Grupos etnográficos, tradições e atividades no Concelho

  • Estremadura (Alta Estremadura)
  • Distrito: Leiria
  • Concelho: Porto de Mós

4 grupos:

  • Rancho Folclórico da Sociedade Recreativa de Cabeça Veada
  • Rancho Folclórico de Mira de Aire
  • Rancho Folclórico de Pedreiras
  • Rancho Folclórico Luz dos Candeeiros
Rancho Folclórico da Sociedade Recreativa de Cabeça Veada

O Rancho Folclórico da Sociedade Recreativa de Cabeça Veada (RFSRCV) foi fundado em 1986, fazendo parte integrante da secção cultural da Sociedade Recreativa de Cabeça Veada. É sócio efetivo da Federação do Folclore Português, desde Janeiro de 1989. É também sócio fundador da Associação Folclórica da Região de Leiria – Alta Estremadura, desde 1997. Tem a sua Sede na localidade de Cabeça Veada, União de Freguesias de Arrimal e Mendiga, concelho de Porto de Mós e pertence à região da Alta Estremadura.

O RFSRCV é composto por cerca de 40 elementos, entre tocadores, cantadores, dançadores e figurantes. Os trajes que enverga são representativos dos fins do século XIX e princípios do século XX. Foram recolhidos na região que representam, e dos mesmos destacam-se os trajes de noivos, os domingueiros, de festa e com maior predomínio, os trajes de trabalho, devido às diversas tarefas agrícolas, que os trabalhadores rurais efetuavam.

Os instrumentos musicais foram recolhidos através do contacto com a população mais idosa, alguns de fabrico artesanal, como, a flauta pastoril, o pífaro, a castanhola de cana e o reco-reco. O Rancho apresenta músicas autênticas, do povo de antigamente, acompanhadas por acordeões, viola, cavaquinho, bandolim, ferrinhos e reco-reco.

Rancho Folclórico da Sociedade Recreativa de Cabeça Veada

Rancho Folclórico da Sociedade Recreativa de Cabeça Veada

A primeira internacionalização do Grupo, teve lugar em 1992 a Espanha. Voltou ao Estrangeiro em 1998, desta vez, a França. Em 2002, deslocou-se à Hungria e em 2004 esteve em Itália, na ilha da Sardenha, voltando a este país em 2011. Em 1998, fez a reconstituição do “Ciclo do Milho”, que registou em vídeo. Em 2017, o RFSRCV, foi galardoado pelo Município de Porto de Mós, com a Medalha de Prata de “Arte e Cultura”, como reconhecimento do enorme contributo e divulgação do concelho de Porto de Mós.

Rancho Folclórico de Mira de Aire

O Rancho Folclórico de Mira de Aire encontra-se atualmente inserido na Associação com o mesmo nome, fundada em 1996. A sua origem remonta a 1993, no seio da Escola Nº 2 do 1.º Ciclo do Ensino Básico de Mira de Aire. O Rancho Folclórico tinha então como universo, além dos músicos que eram já adultos ou adolescentes, quase exclusivamente, a dançar e a cantar, crianças que frequentavam a referida Escola. Com o intuito de alargar esse universo, foi formalizada a Associação Rancho Folclórico de Mira de Aire que tem como objetivo o desenvolvimento de atividades de carácter cultural, etnográfico e recreativo, não só em Mira de Aire, mas também nos lugares em redor.

Rancho Folclórico de Mira de Aire

Rancho Folclórico de Mira de Aire, foto Natércia

Õ Rancho Folclórico tem em atividade um grupo infantil/juvenil constituído por crianças e jovens dos 4 aos 15 anos e um grupo adulto formado por elementos oriundos do grupo infantil/juvenil e por outros elementos. A tocata é constituída, principalmente, por pessoas já adultas, embora existam jovens que vão alternando a dança com a aprendizagem de alguns instrumentos. Os trajes que o Rancho apresenta são uma recriação do que o povo usava na nossa região outrora, com maior cariz de pobreza do que riqueza, pois o povo da época era humilde e de trabalho. Todas as músicas e danças que constituem o seu reportório são fruto de uma recolha etnográfica que fizeram e que pretendem continuar, com a ajuda dos mais idosos, com o objetivo de recuperar e preservar a maneira de ser, usos e costumes do povo de Mira de Aire e aldeias em redor.

Rancho Folclórico de Pedreiras

O Rancho Folclórico de Pedreiras – Alta Estremadura foi fundado em 1978, por um grupo de jovens que se dedicou à recolha e divulgação cultural das freguesias do concelho de Porto de Mós. A recolha deste grupo ao longo dos anos, concretiza-se na representação de costumes, danças, músicas e trajos das gentes de Porto de Mós entre os anos de 1850 a 1910, aproximadamente. As danças e cantares da época representada eram quase sempre executadas em ambiente de trabalho e festa.

Rancho Folclórico de Pedreiras

Rancho Folclórico de Pedreiras

Os seus trajos são representativos das mais variadas tarefas agrícolas e quotidianas e das classes sociais existentes na época que representa. Desde 1983 é membro da Federação do Folclore Português. Pertence à Fundação INATEL, à Associação Folclórica da Região de Leiria – Alta Estremadura e à Associação Terra Rossa. O Grupo desloca-se anualmente de norte a sul do país, tendo já atuado também na Madeira, Espanha, França, Itália e Polónia. Em 1984 recriou um casamento à moda antiga. No ano seguinte o grupo foi galardoado com a Medalha de prata de Arte e Cultura pelo Município de Porto de Mós. Mais recentemente, em 2001, fez a reconstituição, em tempo real, do ciclo do vinho que registou em vídeo.

Rancho Folclórico Luz dos Candeeiros

Rancho Folclórico Luz dos Candeeiros foi fundado em 1987. É filiado na Federação do Folclore Português desde 1989 e é sócio fundador da AFRLAE. Tem a sua sede em Arrimal, freguesia essencialmente agrícola, na Serra dos Candeeiros, na parte ocidental e marcadamente rural do concelho de Porto de Mós. Representa a região etnográfica da Alta Estremadura. Graças à iniciativa de um grupo de jovens, Arrimal viu o seu RF surgir para que as tradições dos seus antepassados não se perdessem e ficassem a perpetuar pela vida fora. Fizeram uma recolha dos seus usos e costumes, das músicas e danças, dos trajes e da etnografia da sua comunidade cultural de antigamente, respeitando o seu valor sócio-cultural que querem preservar e legar aos seus descendentes para todo o sempre. No logotipo do grupo, a lamparina simboliza a Luz na Serra dos Candeeiros, o Arco da Memória e um moinho de vento, edificação da economia local muito abundante na Serra dos Candeeiros sendo uma das fontes primordiais de sustento familiar até meados do século XX.

Rancho Folclórico Luz dos Candeeiros

Rancho Folclórico Luz dos Candeeiros

Dado o isolamento geográfico da localidade serrana as práticas rurais e as diversas tradições foram sendo perpetuadas e herdadas sem grandes alterações ou influências num maior espaço de tempo, chegando muitas aos nossos dias.

Por outro lado, a proximidade com a atual região do Ribatejo e com a ida dos ranchos de pessoas para os trabalhos sazonais naquela região recebeu destes bastantes influências e podendo verificar-se em algumas das modas, na forma elegante do dançar e agarrar o par.

Pretende o “Luz dos Candeeiros” levar de terra em terra as recordações dos seus antepassados, mantendo-as vivas e respeitando-as incondicionalmente em todos os aspetos.

Tem participado nos mais conceituados Festivais Nacionais e Internacionais de norte a sul do País, Açores (COFIT), Madeira, alguns deles no âmbito do CIOFF.