Banda Sinfónica Portuguesa
Filarmónicas do Porto

Bandas de música, história e atividades no Concelho

  • Banda do Exército – Destacamento do Porto
  • Banda Marcial da Foz do Douro
  • Banda Sinfónica Portuguesa
Banda do Exército – Destacamento do Porto

A Banda do Exército – Destacamento do Porto foi criada como consequência das várias transformações e reestruturações levadas a cabo na estrutura do Exército Português, desde o início do séc. XIX até aos dias de hoje. Dentro da estrutura militar tem por missão assegurar, no respetivo âmbito de atuação, as normas de protocolo relativas às cerimónias e atos militares e participar em atividades culturais e recreativas da responsabilidade do Exército. O elevado nível artístico tornou-a reconhecida não só na região, mas também em outros locais do país onde se tem apresentado.

Em parceria com a Banda Sinfónica Portuguesa colaborou na realização dos Cursos Nacionais de Direcção de Banda (2007, 2008, 2010, 2012) com os prestigiados maestros Jan Cober (Holanda), Douglas Bostock (Inglaterra), Eugene Corporon (EUA) e José Rafael Pascual Vilaplana (Espanha).

Passaram pela Banda os mais ilustres maestros de bandas militares e, desde 2012, é dirigida pelo Capitão Chefe de Banda de Música Alexandre Lopes Coelho.

BEDP

Banda do Exército – Destacamento do Porto

Banda do Exército – Destacamento do Porto

Banda Marcial da Foz do Douro – Filarmónica do Porto

A Banda Marcial da Foz do Douro – Filarmónica do Porto, atualmente Associação de Arte e Beneficência, foi fundada em 1883 pelo Abade José Moura e Joaquim António dos Santos. Apresentou-se em festas, romarias e outros eventos de Norte a Sul do país e em Espanha. Atuou em todos os coretos da cidade. Fez várias gravações em cassete e CD. Participou no 1º Concurso Nacional de Bandas Civis (1960) e foi galardoada com a Medalha Reconhecimento – Ouro (1983) pela Associação Humanitária Bombeiros Voluntários Portuenses e com a Medalha de Mérito –¬ Grau Prata (1989) pela Câmara Municipal do Porto.

Em 1995, participou em programas televisivos da RTP como: À Volta do Coreto, concurso a nível nacional, onde se classificou em 3º lugar; Praça da Alegria; Cantares de Amigo; e Filarmónicas nos Coretos dos Jardins Públicos. Colaborou no ensino musical nas escolas primárias da sua freguesia e participou em desfiles de bandas filarmónicas em várias cidades portuguesas. Organizou os Encontros de Bandas Filarmónicas – Cidade do Porto, por onde passaram dezenas de filarmónicas.

Banda Marcial da Foz do Douro – Filarmónica do Porto

Banda Marcial da Foz do Douro – Filarmónica do Porto

A Banda Marcial da Foz do Douro possui uma Escola de Música, que lhe permite manter o seu nível artístico. Tem dedicado a sua existência ao ensino gratuito e à divulgação da arte musical. Tem no ativo cerca de 50 executantes, com a direção artística de Jorge Macedo desde 2012.

Banda Sinfónica Portuguesa

Com sede na cidade do Porto, a Banda Sinfónica Portuguesa teve o seu concerto de apresentação a 1 de janeiro de 2005 no Rivoli, Teatro Municipal do Porto, onde gravou o primeiro CD. Recebeu importante apoio por parte da Culturporto, da Portolazer e da Ágora na divulgação e expansão do seu projeto nesta cidade.

A partir de 2007, a BSP foi convidada pela Fundação Casa da Música a apresentar-se regularmente na Sala Guilhermina Suggia, onde tem vindo a interpretar regularmente um conjunto de obras originais de compositores portugueses e estrangeiros, sendo responsável pela execução em primeira audição de mais de meia centena de obras, resultante ainda do seu concurso de composição e de encomendas.

Em 2010, lançou o álbum A Portuguesa com obras exclusivamente de compositores portugueses, num concerto realizado no auditório da Faculdade de Engenharia do Porto. Tem vindo a gravar regularmente outros trabalhos, nomeadamente Traveler (2011), Hamlet (2012) Oásis (2013), Grand Concerto pour Orchestre d’Harmonie (2014), Sinfónico com Quinta do Bill (2015), Trilogia Romana (2015), Porto (2016), The Ghost Ship (2017) e Night and Day (2019).

A BSP possibilitou, na maioria dos seus concertos, a apresentação de talentosos solistas nacionais e internacionais, sendo de destacar nomes como Pedro Burmester, Sérgio Carolino, Mário Laginha, Elisabete Matos, Marco Pereira, Jean-Yves Fourmeau, Nuno Pinto, Vicente Alberola, Pierre Dutot, Vincent David, Horácio Ferreira, Rubén Simeó, Vasco Dantas, incluindo vários músicos que integram a formação. Alguns concertos contaram ainda com a participação de vários coros e com grupos como Vozes da Rádio, Quinta do Bill, Quarteto Vintage, European Tuba Trio, entre outros.

Maestros internacionalmente reputados como Jan Cober, José Rafael Vilaplana (maestro principal convidado da BSP), Douglas Bostock, Baldur Brönnimann, Alex Schillings, Marcel van Bree, Rafa Agulló, Dario Sotelo, Henrie Adams, Eugene Corporon e Andrea Loss dirigiram a BSP com enorme sucesso, tendo considerado este projeto como extraordinário e de uma riqueza cultural enorme para Portugal.

BSP

Banda Sinfónica Portuguesa

Banda Sinfónica Portuguesa

A BSP tem vindo a receber até ao momento as melhores críticas, não só do público em geral, como também de prestigiados músicos nacionais e estrangeiros. Maestros portugueses como Pedro Neves, Fernando Marinho, Alberto Roque, José Eduardo Gomes, Hélder Tavares, Luís Carvalho, André Granjo, entre outros, dirigiram também a orquestra.

Destaca-se a realização de concertos nas principais salas de espetáculo de norte a sul do país, em igrejas, no Santuário de Fátima, em Espanha – Teatro Monumental de Madrid (RTVE) e nas cidades de Pontevedra, Corunha, Ávila, Llíria, Lleganés e participações nos Certames Internacionais de Boqueixón e Vila de Cruces (Espanha).

A BSP obteve em 2008 o 1.º prémio no II Concurso Internacional de Bandas de La Sénia na Catalunha (Espanha) na 1.ª secção e igualmente o 1.º prémio na categoria superior (Concert Division) do 60.º aniversário do World Music Contest em Kerkrade na Holanda em Outubro de 2011, com a mais alta classificação alguma vez atribuída em todas as edições deste concurso que é considerado o “campeonato do mundo de bandas”.

Em 2014, a BSP realizou a sua primeira tournée intercontinental pela China, realizando 5 concertos nas cidades de Hangzhou, Jiangyin, Shaoxing, Ningbo e Jiaxing. Participou em 2017 na qualidade de orquestra de referência no panorama internacional, no 18.º Festival do World Music Contest em Kerkrade e na 17.ª Conferência Mundial da World Association for Symphonic Bands and Ensembles em Utrecht. Realizou em Novembro de 2019 uma digressão às Canárias, actuando em Tenerife e na Gran Canaria.

Outros objetivos passam pela iniciativa pedagógica de levar a cabo classes de aperfeiçoamento de instrumento com professores de reconhecido mérito artístico, bem como Cursos de Direcção (contando já com 25 edições) orientados pelos prestigiados maestros Marcel van Bree, Jan Cober (Holanda) Douglas Bostock (Inglaterra), José Rafael Vilaplana (Espanha), Eugene Corporon (E.U.A.) e Baldur Brönnimann (Suíça).

Em 2017, deu início ao festival BSP Júnior que se realiza anualmente no Verão e que reúne centenas de jovens promissores instrumentistas.

A Banda Sinfónica Portuguesa é uma Associação cultural, sem fins lucrativos, apoiada pela Direcção Geral das Artes. A direção artística está a cargo do maestro Francisco Ferreira.