Banda Musical da Casa do Povo de Nossa Senhora da Piedade do Porto Santo
Filarmónicas do Porto Santo

Bandas Filarmónicas, História e Atividades no Concelho

Banda Musical da Casa do Povo de Nossa Senhora da Piedade do Porto Santo

Na senda do notável incremento do movimento filarmónico regional no dealbar da década de 1930, foi fundada a Sociedade Musical do Porto Santo (c. 1930-1971), por iniciativa do Padre Lira, de José Joaquim Pestana de Vasconcelos, e de França, um violinista portuense que havia visitado o arquipélago em digressão com o teatro-circo e se tinha estabelecido naquela Ilha. Constituída por vários jovens porto-santenses e por músicos militares deportados para aquela Ilha, a Sociedade Musical do Porto Santo beneficiou de verba da Câmara Municipal e procedeu à coleta de donativos em toda a Ilha para a aquisição do instrumentário.

Sob a direção artística de França, os cerca de quinze executantes da Sociedade Musical do Porto Santo iniciaram a animação das festividades religiosas locais com repertório copiado das congéneres associações funchalenses e camaralobenses, tendo-se apresentado pela primeira vez na Madeira em 1935, na Festa do Senhor, em Câmara de Lobos. No início, a oferta de música instrumental, única na Ilha, não terá colhido o agrado de festeiros e poucos terão sido os serviços artísticos (gratuitos) realizados pela coletividade: fazendo face ao abandono de alguns músicos, persistiu a instituição com os réditos das quotizações de associados até à sua auspiciosa anexação à Casa do Povo.

Entre as regulares apresentações nas festividades religiosas da Ilha – a Festa do Senhor, a Festa da Piedade, a Festa da Graça e Festa do Espírito Santo – e em animações na Calheta e Pico, para os visitantes em excursões, destacou-se a participação da Sociedade Musical do Porto Santo nas festas realizadas em 1948 no Funchal para a chegada da imagem de Nossa Senhora.

Banda Musical da Casa do Povo de Nossa Senhora da Piedade do Porto Santo

Banda Musical da Casa do Povo de Nossa Senhora da Piedade do Porto Santo

Porto Santo

Carlos Paredes, por Rui Namora