Coral Atlântico, Sines
Coros de Sines

Grupos e atividade coral no Concelho

Coral Atlântico

A 30 de dezembro 2006 a Lusa apresentava o Coral Atlântico como o mais jovem coral polifónico português. Formado por 30 elementos, na sua maioria funcionários do município de Sines, apresentaria o seu sétimo espetáculo a 06 de janeiro, Dia de Reis.

O Coral Atlântico, criado pela associação dos serviços sociais, culturais e desportivos da autarquia, era apresentado como o primeiro do género em Sines. “Em Sines, este é o primeiro coral polifónico, pelo menos nos últimos 15 anos. Os que já existiram foram coros alentejanos ou da paróquia”, garantiu o maestro, a trabalhar há 16 anos no Coral Harmonia, criado em 1936, no concelho vizinho de Santiago do Cacém.

A formação do Coral Atlântico, concretizada em 2005 em Sines, nasceu de um sonho antigo de um grupo de pessoas, liderado por um técnico da autarquia, entretanto eleito vereador, nas autárquicas de 2005. “O coral teve origem nos serviços sociais da Câmara de Sines, no entanto o seu percursor foi Albino Roque, presidente dos serviços e vice-presidente da câmara, que tinha este desejo desde longa data”, relatou Fernando Malão.

Das ideias de um maestro experiente e de um “espectador assíduo dos concertos do Coral Harmonia”, Albino Roque, nasceu o coral, que somava 30 cantores, com idades entre os 30 e 40 anos. O grupo é constituído maioritariamente por trabalhadores das autarquias locais de Sines e seus familiares e até hoje já participou em meia dúzia de concertos e encontros de coros.