Banda da Sociedade Recreativa e Musical de Almoçageme
Sintra e as suas filarmónicas

Bandas de música, história e atividades no Concelho

  • Banda da Sociedade Recreativa e Musical de Almoçageme
  • Banda da Sociedade Filarmónica Instrução e Recreio Familiar de Lameiras
  • Banda da Sociedade Filarmónica Boa União Montelavarense
  • Banda da Sociedade Filarmónica Os Aliados
  • Banda da Sociedade Filarmónica de Nossa Senhora da Fé de Monte Abraão
  • Banda dos Bombeiros Voluntários de Colares
  • Banda da União Mucifalense
  • Banda Filarmónica de São Bento de Massamá – FilarmoniArtes
  • Banda da Sociedade Filarmónica e Recreativa de Pero Pinheiro
Banda da Sociedade Recreativa e Musical de Almoçageme

A Sociedade Recreativa e Musical de Almoçageme (SRMA) tem por objetivo a promoção e a divulgação de atividades de génese cultural. Inclui a Banda Filarmónica e a Orquestra Ligeira, orgulho da comunidade onde estão inseridas, e é berço do recentemente ativado grupo de teatro Pérola da Adraga. Tem uma sala de espetáculos (equipamentos de som e luzes) e sala para eventos com capacidade em plateia para 240 pessoas.

BSRMA

Banda da Sociedade Recreativa e Musical de Almoçageme

Banda da Sociedade Recreativa e Musical de Almoçageme

BSFIRFL

Banda da Sociedade Filarmónica Instrução e Recreio Familiar de Lameiras

Banda da Sociedade Filarmónica Instrução e Recreio Familiar de Lameiras

Lameiras conheceu, em tempos idos, duas bandas filarmónicas que acabaram por se extinguir, a última das quais há 35 anos. Em 1987 uma comissão de antigos músicos conseguiu que a Banda reiniciasse a atividade. A escola de música começou por ser orientada pelo Maestro Manuel Borges Monteiro, profissional da Banda da GNR. Em 1992 continuou o trabalho o maestro Luís Fernando da Silva Pereira. Em janeiro de 1994, com a colaboração de comerciantes locais, a banda estreou um novo fardamento. A Banda conta com quatro dezenas de executantes, a grande maioria saídos da escola de música.

Banda da Sociedade Filarmónica Boa União Montelavarense

Em 06 de outubro de 1890, um grupo de Montelavarenses juntou-se fundando a coletividade que tem por nome “Sociedade Filarmónica Boa União Montelavarense”. Filiada na Federação das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto do Distrito de Lisboa, foi em 1978 considerada “Pessoa Coletiva de Utilidade Pública”. À data da sua fundação nasceu também a Banda Filarmónica.

Em 1971, participou no 2º Concurso Nacional de Bandas de Música Civis da FNAT, em 1ª categoria, obtendo um 3º prémio. Em 1981 foi convidada a atuar em Kerkrade (Holanda), no “Wereldmuziekconcours”, onde obteve um 3º lugar, em 2ª categoria. Em 1985 recebeu a Medalha de Ouro de 1º Grau e Mérito Municipal, atribuída pela Câmara Municipal de Sintra. Nos anos 1987 e 1991 deslocou-se a Alsfeld (Alemanha) para participar no concurso “Deutschland Pokal”, classe orquestra, sendo distinguida com um 2º e 5º lugares respetivamente.

Em 1992 foi-lhe atribuído, pelo Presidente da República, o título de “Membro-Honorário da Ordem do Mérito”. Nesse ano participou no espetáculo “Embaixada da Juventude Portuguesa à Expo’92”, para as comemorações do Dia de Portugal na Exposição Universal de Sevilha (Espanha). Em 2006 participou no Concurso de Bandas do Ateneu Artístico Vilafranquense, em 3ª categoria, obtendo um 1º lugar.

Nos últimos 50 anos sucederam-se respetivamente na direção da Banda, os maestros: Modesto Alves Velho, Álvaro Sousa, Domingos Canhão, Agostinho Caineta, António Monteiro, Délio Gonçalves, Paulo Guia.

BSFBOM

Banda da Sociedade Filarmónica Boa União Montelavarense

Banda da Sociedade Filarmónica Boa União Montelavarense

Fazem parte do seu corpo de Banda 40 elementos, com idades entre os 8 e os 78, sendo de salientar o elevado número de jovens, os quais provêm da Escola de Música da Coletividade. A direção artística da Banda Montelavarense está cargo do maestro Jaime Rego.

Banda da Sociedade Filarmónica Os Aliados

Fundada em 1922, a Sociedade Filarmónica “Os Aliados” está sediada no Largo dos Aliados em S. Pedro de Penaferrim, Sintra, local que pertenceu à Freguesia de Santa Maria e S. Miguel até 1985. O nascimento desta Sociedade – deve-se a uma cisão entre os filarmónicos da Sociedade União 1.° de Dezembro, com a sua sede na Rua 1.° de Dezembro e atualmente encontra-se sedeada na Rua Conde Sucena, em S. Pedro de Penaferrim, Sintra. Da cisão constituíram-se dois grupos. Um, procurava a continuidade da banda, (a qual, segundo jornais da época, durou até 1928), enquanto o outro, determinado a abandoná-la, criou uma nova banda no bairro de S. Pedro. Embora ainda sem sede, ensaiavam onde podiam, com predominância nas residências de Alfredo de Oliveira e Silva e de Olímpio Chalanca, embora também e durante algum tempo, numa dependência da “taberna” de Joaquim Gomes dos Santos, também conhecido por “Joaquim Galego”, na Cova da Onça (Calçada de S. Pedro), local situado muito próximo da atual sede. Durante os primeiros anos de vida, sem sede própria, a banda ensaiava onde podia.

Determinados a construírem a sede, organizavam vários festejos populares e concertos, estes, no antigo Cinema Garrett (atualmente sede da Sociedade União Sintrense), na Rua Maria Eugenia Navarro, também esta Sociedade localizada a escassos 1500 metros do Largo dos Aliados. Durante o Verão organizavam festas, com o mesmo objetivo e determinação, na “Quinta D. Dinis” localizada próximo do Largo da Feira de S. Pedro, propriedade do Senhor Soares Ribeiro. Em 1924, foi apresentada oficialmente, a toda a população de S. Pedro, a sua bandeira, tendo sido para o efeito, realizado um concerto musical, no coreto existente, na altura, no Largo da Feira de S. Pedro.

Em 7 de Junho de mil novecentos e vinte e três (1923), a Direção da Sociedade propõe em Assembleia-Geral, a aquisição do terreno onde hoje se encontra instalada a sua sede. O terreno foi adquirido pela quantia de dois mil e quinhentos escudos, ao seu proprietário, senhor Manuel Constantino Jorge, conforme consta na acta lavrada em Assembleia Geral de 4 de Fevereiro de mil novecentos e vinte e quatro (1924), devidamente assinada por todos os sócios presentes. Do grupo de associados constituíram-se várias comissões (quermesse, bufete, auxiliar da Direção), destinadas a trabalhar na organização dos festejos populares, com o objetivo de angariar donativos e outros fundos para a construção da sua sede e a manutenção da banda. Em 1925, a Sociedade Filarmónica “Os Aliados” abriu as portas aos associados e à população em geral.

BSFA

Banda da Sociedade Filarmónica Os Aliados

Banda da Sociedade Filarmónica Os Aliados

Ao longo da história da coletividade, as direções têm dado prestimoso apoio à banda de música, à escola de música e à manutenção da sede, com o propósito de bem servir os seus associados e levar a efeito a realização dos seus eventos culturais e lúdicos, como concertos, bailes, teatro, noites de fado, ensino de música.

Banda da Sociedade Filarmónica de Nossa Senhora da Fé de Monte Abraão

Em 2003, uma família residente em Monte Abraão – Queluz, lançou o desafio ao Regente António Domingos, dirigindo-lhe o convite para lecionar música freguesia (eventualmente em instalações da paróquia), convite que foi aceite. O Padre Francisco José prontificou-se para ceder um espaço. A ideia começou a ganhar forma e substância, no decurso das semanas seguintes, com o aparecimento de elementos de várias idades, com o interesse comum em aprender e participar neste projeto. Contou desde o primeiro momento com o apoio da Presidente da Junta de Freguesia e mais tarde da Câmara Municipal de Sintra.

BSFNSFMA

Banda da Sociedade Filarmónica de Nossa Senhora da Fé de Monte Abraão

Banda da Sociedade Filarmónica de Nossa Senhora da Fé de Monte Abraão

A Banda fez a sua estreia musical ocorrido no decorrer das Festas da Padroeira Nossa Senhora da Fé do Monte Abraão, durante o ato solene na celebração da missa do dia 29 de maio de 2004. Tem atuado em várias localidades do País, em procissões, arruadas e concertos. A Banda participou no Encontro de Bandas Filarmónicas do Concelho de Sintra e fez a estreia televisiva no programa “Você na TV”, em direto em 2009. Em 2008, Francisco Paixão tornou-se Maestro da Banda.

Banda dos Bombeiros Voluntários de Colares

Numa Assembleia Geral Extraordinária da Associação dos Bombeiros,em 1891, foi resolvido criar uma Banda de Música, formada pelos sócios da Instituição, para acompanhar o Corpo de Bombeiros nas suas formaturas. De acordo com os primitivos Estatutos, aprovados em 1929, a data oficial da fundação da Banda dos Bombeiros Voluntários de Colares ficou expressamente consagrada como sendo a de 1 de novembro de 1891.

O falecimento em 1896 de José Inácio da Costa, grande impulsionador e fundador das duas instituições, terá propiciado a separação. Além da sua vocação musical, a nossa Banda desenvolveu igualmente outras atividades como o Teatro, particularmente nas décadas de 30, 40 e 50 e aulas de alfabetização para adultos nos anos 50.

BBVC

Banda dos Bombeiros Voluntários de Colares

Banda dos Bombeiros Voluntários de Colares

A Coletividade tem cerca de 400 associados. A Banda é composta por cerca de 40 músicos e administra uma Escola de Música, com carácter gratuito, destinada a toda a gente, mas especialmente vocacionado para as crianças em idade escolar. A Banda tem atuado em várias localidades de norte a sul do País, para onde é convidada pelas diversas comissões de festas. Participa em eventos promovidos pela Câmara Municipal de Sintra, como o Encontro de Bandas Filarmónicas do Concelho de Sintra, ao abrigo de protocolo existente.

Banda da União Mucifalense

Nascida em 1984, a Banda da União Mucifalense teve origens mais remotas na Orquestra da Tuna Recreativa Mucifalense, Sociedade de Cultura e Recreio fundada em 1927, que veio a fundir-se com o Grupo Desportivo Mucifalense em 1975, dando então origem à União Mucifalense.

Da velha Tuna Recreativa restou a escola de música que veio a ter continuidade e maior impulso na nova coletividade. Com os músicos da extinta orquestra e os novos elementos preparados na Escola de Música, o sonho de uma Banda de Música começou a tomar forma. O Mestre António Saraiva levou por diante a tarefa. No dia da inauguração do restauro da atual Sede, que contou com apoios da Câmara Municipal de Sintra e da Secretaria de Estado da Cultura, assistiu-se ao primeiro concerto da Banda da União Mucifalense.

BUM

Banda da União Mucifalense

Banda da União Mucifalense

A Banda da União Mucifalense conta com 36 elementos, entre os 10 e 60 anos. Faz cerca de 15 atuações por ano, algumas das quais em concertos promovidos pela Câmara Municipal de Sintra. Atua em festas populares em diversas localidades, fazendo procissões, concertos e arruadas. Tem atuado em diversos festivais de bandas. A Escola de Música conta com duas dezenas de aprendizes. É seu diretor artístico João Fortunato Panta Nunes, tendo como professor da Escola de Música Nuno Carvalho.

Banda Filarmónica de São Bento de Massamá – FilarmoniArtes

A FilarmoniArtes é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 2003. Tem por objetivos proporcionar aos sócios e aos jovens em geral a prática de atividades culturais, educativas e recreativas que fomentem a conjugação de criatividades e a cultura, numa perspetiva de desenvolvimento de competências ao longo da vida, e colaborar também, em todos os programas de entidades orientadas pelos mesmos objetivos.

Foi constituída no seguimento das atividades pedagógicas e culturais desenvolvidas pela Orquestra Ligeira de Massamá, formada em 1993, que neste momento está numa fase de remodelação. Desenvolve desde 2003 o projeto educativo “Música na Escola”, nas Escolas Básicas do 1º Ciclo de Massamá, em colaboração com a Junta de Freguesia de Massamá, que abrange cerca de 600 alunos dos 3º e 4º anos de escolaridade, com carácter gratuito e universal.

Este projeto está conforme o Currículo Nacional do 1º Ciclo do Ensino Básico, é autorizado pelo Ministério da Educação, está integrado no currículo escolar, fazendo parte do Projeto Educativo das respetivas escolas.
A Academia de Música S. Bento de Massamá, funciona desde Maio de 2005, onde são leccionadas as disciplinas de Formação Musical, Piano, Órgão, Guitarra Clássica, Guitarra Eléctrica, Baixo Eléctrico, Flauta, Clarinete, Saxofone, Trompete, Trompa, Trombone, Bombardino, Tuba e Percussão.

A Banda Filarmónica S. Bento de Massamá funciona desde 2005 e tem como objetivos dar aos jovens a oportunidade da prática musical em grupo instrumental dinâmico; promover a literacia musical na freguesia, atraindo a população a esta arte e tornando-a mais sensível à música; criar uma identidade comunitária através da música, projetando o nome da freguesia de Massamá a outras localidades; promover um espaço de convívio saudável e lúdico.

BFSBM

Banda Filarmónica de São Bento de Massamá – FilarmoniArtes

Banda Filarmónica de São Bento de Massamá – FilarmoniArtes

O Grupo de Sopros da BFSBM, formado em 2007, tem como objetivos a prática de “música de câmara”, o acompanhamento de grupos corais e a participação em eventos adequados a esta formação. O Grupo Coral S. Bento de Massamá, formado em 2007, tem como objetivo a prática de música coral, dirigida a jovens e adultos. Participa em cerimónias religiosas e em eventos de carácter profano.

Banda da Sociedade Filarmónica e Recreativa de Pero Pinheiro

A Banda de música da SFRPP nasceu em 1919, na sequência da fundação da Sociedade Filarmónica Recreativa de Pêro Pinheiro. Apareceu pela primeira vez a público em 1920, sob a direção do Maestro Luz. Até 1945, a regência esteve a cargo dos maestros Lopes, Gomes e Romero, altura em que ficou sob a batuta do Maestro Vítor Santos, subchefe do Regimento de Caçadores 5. Sob esta regência a Banda deu um salto bem significativo na sua capacidade e qualidade de execução musical.

A Banda foi dirigida, de 1958 a 1976, por António Gonçalves, com quem alcançou êxitos nacionais e internacionais. Em 1960 e 1971, em concursos nacionais organizados pela FNAT, alcançou em ambos, o segundo lugar, sendo o primeiro deles decorrentes da participação no 1º Grande Concurso Nacional de Filarmónicas e Bandas Civis (2ª Categoria), realizado em 1960 por aquela organização de âmbito nacional. Nos Concursos Internacionais de Bandas de Música Civis (2ª Categoria), de envergadura europeia, na Holanda, na cidade de Kerkrade, a Banda da SFRPP, alcançou os 2°, 3° e 1º prémios, em 1962, 1966 e 1974, respetivamente.

BSFRPP

Banda da Sociedade Filarmónica e Recreativa de Pero Pinheiro

Banda da Sociedade Filarmónica e Recreativa de Pero Pinheiro

No período de 1976 a 1987, foi dirigida por Vasco Serra, a quem sucedeu Alberto Rodrigues Freitas, de 1987 a 2004. É dirigida pelo Maestro João Aires. Tem em atividade, no campo musical, além da Banda, uma Orquestra Ligeira, um Grupo de Música de Câmara – O Grupo de Sopro 1º Tempo – e a Escola de Música, onde ocorre a formação musical das crianças e jovens da comunidade, e que é a principal fonte de executantes musicais para a Banda Filarmónica, e da qual têm saído músicos que seguem carreiras profissionais no mundo da música. A SFRPP tem vindo a promover anualmente, em tempos mais recentes, um Festival de Bandas Filarmónicas.

EVENTOS

Encontro de Bandas Filarmónicas do Concelho de Sintra

Dando continuidade a uma iniciativa que, desde o ano de 2007, tem vindo a ser promovida pelas diversas bandas filarmónicas sediadas neste Concelho, a Sociedade Filarmónica União Assaforense por ocasião do 75º Aniversário da Coletividade, promoveu em 2017, com o apoio da Câmara Municipal de Sintra, o XI Encontro de Bandas Filarmónicas do Concelho de Sintra, em novembro e dezembro, na Sociedade Filarmónica União Assaforense – Sede da Associação, na Assafora.

1 reply

Trackbacks & Pingbacks

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *