Artigos

Grupo Coral Trigueirão no Relheiro
Folclore no Alandroal

Grupos Etnográficos, Tradições e Atividades no Concelho

Grupo Coral Trigueirão no Relheiro

O Grupo Coral Trigueirão no Relheiro foi criado no âmbito da Associação Núcleo de Cultura e Formação de Hortinhas, em 25 de Abril de 2012.  A Associação, fundada em 2011, é responsável pela organização do Festival da ConcertinaAcordeão, que se realiza desde 2009, sempre no primeiro fim de semana de outubro. Desde a edição de 2013, tem-lhe associado o nome de Dionísio Bandalhinho, “um grande acordeonista autodidata de Hortinhas que morreu muito cedo” (de acordo com José Maneiras, presidente da Associação) e que foi uma espécie de padrinho do Festival.

Os 16 homens e mulheres que compõem o Grupo Coral Trigueirão no Relheiro reúnem-se todas as semanas no edifício da antiga escola primária de Hortinhas e ensaiam o seu reportório: as letras e músicas das antigas tradições dos camponeses, nos trabalhos agrícolas, nas festas ou bailaricos, ganham de novo vida. “Tivemos um rancho durante mais de 10 anos. As recolhas feitas nessa altura foram agora introduzidas no grupo”, explica José Maneiras.

O nome provém diretamente do universo alentejano: o trigueirão é uma ave e o relheiro é o nome dado aos molhos de trigo amontoados após as colheitas. A atividade da associação, por seu lado, não se esgota na dinamização do grupo coral.

Grupo Coral Trigueirão no Relheiro

Grupo Coral Trigueirão no Relheiro

Fontes do Musorbis Folclore:

No Musorbis foram revistos todos os historiais de grupos etnográficos. Para facilitar a leitura, foram retirados pormenores redundantes e subjetivos, e foram corrigidos erros de português.

Banda de Música do Centro Cultural de Alandroal

Filarmónicas de Alandroal

Bandas de Música, História e Atividades no Concelho

Banda de Música do Centro Cultural de Alandroal

Banda de Música do Centro Cultural de Alandroal é resultado da criação do centro Cultural, em 1982. Nasceu sob a orientação do maestro Sardinha com o apoio de alguns antigos músicos que tinham sido elementos da antiga Banda Filarmónica do Alandroal.

Após a saída do maestro Sardinha, em 1995, a Câmara Municipal contratou o maestro António Alfaiate que, em janeiro de 1996, tomou a seu cargo a Banda, Hoje, a Banda tem 32 executantes, todos formados na Escola de Música do Centro e a Escola é frequentada para além dos executantes da banda por mais 32 alunos, dos quis 10 são na faixa etária dos 3 aos 6 anos e 12 dos 6 aos 8 anos.

Tem atuado em festejos tradicionais por todo o Concelho e concelhos vizinhos e já participou em alguns encontros de bandas civis, em Oeiras, Odemira, Amadora, Tavira, Parede, Moura. Esteve presente em dois programa de televisão, nomeadamente na RTP 2 no programa Iniciativa e na RTP1 no Estúdio 5 de Júlio Isidro.

Centro Cultural de Alandroal

Morada : Antigo Edifício da Escola Primária
Rua dos Combatentes da Grande Guerra
7250-135 Alandroal

BMCCA

Banda de Música do Centro Cultural de Alandroal

Banda de Música do Centro Cultural de Alandroal

José Carvalho, cantor, do Alandroal
Músicos naturais do concelho de Alandroal

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

José Carvalho

José Carvalho, cantor, do Alandroal

José Carvalho, cantor, do Alandroal

José Carvalho nasceu em 1959, no Alandroal. Em 1972 iniciou os estudos musicais nos Salesianos, em Évora, e a partir daí a música tornou-se na sua vida. Continuou a formação na Academia de Música de Sacavém e mais tarde no Hot Club de Portugal, onde tem uma formação na área do jazz. Começou a sua carreira profissional em 1975, fazendo parte nesta década da banda Hobnob. Como cantor participou em vários programas televisivos e esteve por cinco vezes nos Festivais RTP, durante as décadas de 80 e 90. Como músico e produtor já trabalhou com grandes nomes nacionais como Paulo de Carvalho, Rui Veloso, Carlos Mendes, Carlos do Carmo, entre outros.

Em 2004 criou a produtora Artes e Produções, que foi responsável pelo programa musical das Festas de Lisboa, pelo Carnaval de Sesimbra e por muitos outros espetáculos pelo país. Colaborou com Vitorino em homenagens a Zeca Afonso e teve vários projetos no género jazzístico nomeadamente em colaboração com André Sarbib e Miguel Braga.

Editou vários trabalhos discográficos dos quais sobressaem Latino (1994), donde saiu o êxito Chá Chá em Lisboa, Coisas do Amor (1995), Está No Ar (1997) e mais recentemente Boleros (2005), onde colaborou com Filipa Pais, Vitorino e Janita Salomé. Com o Quinteto Jazz de Lisboa editou dois discos: Viragens, em 1999 e Coisas do Fado, em 2001. Atualmente vive no Alandroal, onde tem a sua produtora Todas As Artes.

Centro Cultural de Alandroal

Antigo Edifício da Escola Primária
Rua dos Combatentes da Grande Guerra
7250-135 Alandroal

FCTA

Forum Cultural transfronteiriço de Alandroal

Fórum Cultural Transfronteiriço de Alandroal