Artigos

Rancho Folclórico de Albufeira
Tradições e grupos folclóricos do Concelho de Albufeira

Tradições, atividades e grupos folclóricos

  • Rancho Folclórico de Albufeira
  • Rancho Folclórico Infantil de Albufeira
  • Rancho Folclórico dos Olhos de Água

O Rancho Folclórico de Albufeira foi constituído em abril de 1987, e tem como principal objetivo a representação dos costumes da então “vila de Albufeira”.

RFA

Rancho Folclórico de Albufeira

Rancho Folclórico de Albufeira

RFOA

Rancho Folclórico de Olhos de Água, Albufeira

Rancho Folclórico de Olhos de Água, Albufeira

Para inserir um grupo ou historial em falta, envie para meloteca@meloteca.com: será inserido gratuitamente. A fotografia em destaque neste momento é aleatória. Para ter foto destaque, contactos atualizados e estar no topo durante um ano opte pelo “Destaque Musorbis” (10€). As receitas ajudarão a criar o mapa interativo da música em Portugal.

Músicos naturais do concelho de Albufeira

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

Gonçalo Pescada

Gonçalo Pescada, acordeão, de Albufeira

Gonçalo Pescada, acordeão, de Albufeira

João Frade

João Frade, acordeão, de Albufeira

João Frade, acordeão, de Albufeira, Sul Informação

Rui Mourinho

Rui Mourinho, guitarra, de Albufeira

Rui Mourinho, guitarra, de Albufeira, foto Região Sul

BANDAS FILARMÓNICAS

Banda da Sociedade Musical e Recreio Popular de Paderne

A Banda da SMRPP é uma das mais antigas do sul do país. Fundada em 1 de maio de 1859, era Presidente da Direção e Maestro da então denominada “Distracção Philarmónica Padernense”, António de Sousa Ramos. Nos primeiros cinco ou seis anos foi regente Carlos César Pinto que além de farmacêutico era professor do ensino primário. Entre 1866 e 1873 foram regentes o maestro Bruno e, mais tarde, um filho deste. Seguiu-se o Padre António do Espirito Santo Ramos, irmão do grande poeta lírico João de Deus, o padre José Sebastião Neto (que viria a ser cardeal patriarca de Lisboa.)

De 1873 a 1898 foi regente António dos Santos Silva, pai do então diretor do jornal “A Avezinha” (jornal de Paderne). Em 1898 a Banda conheceu um curto período de inatividade, que viria a repetir-se em 1905. Depois, foi dirigida pelo Padre João de Sena Neto, sendo o nome alterado para “Sociedade Filarmónica União Restaurada”. Em 1918 e durante anos em que a Banda atingiu maior projeção, foi dirigida por Francisco Acácio. Foi ainda nesta época que o nome foi alterado para o atual “Sociedade Musical e Recreio Popular de Paderne”.

Atualmente a Banda Filarmónica tem no seu seio vários agrupamentos: orquestra juvenil, grupo coral, bandinha popular e saxyband. Composta por 30 executantes amadores, a Banda é  regida por Marco António Guerreiro. A SMRPP tem a funcionar uma escola de música.

Monumento Comemorativo dos 150 Anos da Banda Filarmónica de Paderne, Albufeira

MÚSICA À VISTA

Albufeira e a sua Iconografia Musical

Monumento Comemorativo dos 150 Anos da Banda Filarmónica de Paderne, Albufeira

150 Anos da Banda de Paderne

Monumento Comemorativo dos 150 Anos da Banda Filarmónica de Paderne, Albufeira.

Para assinalar os 150 anos da Banda Filarmónica de Paderne (fundada em 1 de maio de 1859), o Município de Albufeira ergueu uma estátua no Parque de Estacionamento, em frente ao Estádio João de Campos, com a figura de um músico trajado com as vestes da banda e a tocar um dos instrumentos.

“É um monumento de homenagem à música e à cultura de Paderne, que tem sabido preservar esta banda ao longo dos anos”, referiu Desidério Silva, então Presidente da Autarquia. “Esta estátua simboliza o esforço e dedicação de todos os que têm passado por esta instituição e que a têm feito perdurar. A Câmara Municipal orgulha-se de valorizar as raízes culturais desta freguesia”, acrescentou o edil.

O monumento, da autoria da artista Teresa Paulino, foi bastante apreciado pelo elementos da banda que se fizeram representar pelo presidente da Assembleia-Geral da Sociedade Musical de Paderne, Arménio Aleluia Martins: “falo com o coração cheio de alegria porque este acontecimento representa o trabalho que tem sido feito pela coletividade cultural mais antiga do Algarve e uma das mais antigas de Portugal”.

Para Arménio Martins, estes “150 anos são plenos de história e de pessoas que através da música e da cultura conseguiram elevar o nome de Paderne e manter vivas as tradições da aldeia”

Monumento Comemorativo dos 150 Anos da Banda Filarmónica de Paderne, Albufeira

Monumento Comemorativo dos 150 Anos da Banda Filarmónica de Paderne, Albufeira

Igreja matriz de Albufeira
Órgãos de tubos do concelho de Albufeira [2]

De acordo com as informações de que dispomos, os órgãos de tubos existentes no Concelho são os seguintes:

Igreja de Santa Ana

[ de Sant’Ana ]

Igreja de Santa Ana

Igreja de Santa Ana, Albufeira

Localizada no Largo Jacinto d’Ayet, em Albufeira, a igreja de Santa Ana foi construída no século XVIII. A Capela Mor apresenta um retábulo em madeira, possivelmente, da autoria dos mestres Francisco Xavier Guedelha e João Baptista. Salienta-se um retábulo de Nossa Senhora das Dores e uma imagem de Cristo Crucificado em madeira.

Igreja Matriz de Albufeira

[ Igreja Paroquial ] [ Nossa Senhora da Conceição ]

Igreja matriz de Albufeira

Igreja matriz de Albufeira

A igreja matriz de Albufeira, um dos mais relevantes exemplares da arquitetura neoclássica no Algarve, foi construída em finais do século XVIII. Na fachada, destacam-se o frontão triangular e os três janelões com moldura em cantaria de arco semicircular. No interior, de nave única, encontram-se quatro altares laterais de estilo neoclássico onde se podem admirar duas imagens do final do século XVIII, nomeadamente São Luís e São Pedro. Na capela-mor, antecedida por um imponente arco triunfal, se encontra o maior motivo de interesse da igreja, uma imagem da padroeira da cidade de Albufeira, Nossa Senhora da Conceição, de estilo rococó, da segunda metade do século XVIII. Esta obra de qualidade apresenta dimensões invulgares: cerca de 2,40 m de altura.