Artigos

Rancho Folclórico da Casa do Povo de Alpiarça
Folclore em Alpiarça

Grupos Etnográficos, Tradições e Atividades no Concelho

  • Região etnográfica: Ribatejo
  • Distrito: Santarém
  • Concelho: Alpiarça
Rancho Folclórico da Casa do Povo de Alpiarça

Fundado em 1969 por António Flor da Silva, o Rancho Folclórico da Casa do Povo de Alpiarça é uma coletividade de natureza etnográfica. É filiado na Federação de Folclore Português.

Rancho Folclórico da Casa do Povo de Alpiarça

Rancho Folclórico da Casa do Povo de Alpiarça

Acordeão

Rancho Folclórico da Casa do Povo de Alpiarça

Rancho Folclórico da Casa do Povo de Alpiarça

Sociedade Filarmónica Alpiarcense "1º de Dezembro"
Filarmónicas de Alpiarça

Bandas de Música, História e Atividades no Concelho

Sociedade Filarmónica Alpiarcense “1º de Dezembro”

A Sociedade Filarmónica Alpiarcense “1º de Dezembro” surgiu da união das vontades de músicos oriundos de duas Bandas existentes em Alpiarça (a “música velha” e a “música nova”) e que, em 1931, formaram uma única Banda. com cerca de 35 elementos, a Banda Filarmónica da SFA “1º de Dezembro” tem vindo a animar, ao longo dos anos, as realizações oficiais da Autarquia (Feira do Vinho, 25 de Abril, ALPIAGRA), festividades de caráter religioso (procissões) e profano (festivais, feiras e festas), no concelho, na região e um pouco por todo o País.

O seu instrumental foi totalmente renovado em 1998. Sob a direção do maestro Bruno Ramiro a banda da SFA empenha-se em atualizar e aperfeiçoar o seu repertório. Tem a sua escola de música com aulas de iniciação, formação musical e instrumento.

SFA1D

Sociedade Filarmónica Alpiarcense "1º de Dezembro"

Sociedade Filarmónica Alpiarcense “1º de Dezembro”

Fernanda Guerra, acordeonista, de Alpiarça
Músicos naturais do Concelho de Alpiarça

Alpiarça é uma vila portuguesa no Ribatejo, pertencente ao Distrito de Santarém, Ribatejo, sub-região da Lezíria do Tejo, com cerca de 6000 habitantes. Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

Fernanda Guerra
Maria Fernanda Marques Guerra Ribeiro (n. Alpiarça, 3 de fevereiro de 1935) é uma acordeonista portuguesa. “Aprendeu acordeão aos oito anos, com o pai, Anselmo Guerra, que tocava acordeão em bailes e casamentos na década de 40 do século XX) e Teoria Musical com o mestre da Banda Filarmónica de Alpiarça. Começou a atuar em bailes aos onze anos acompanhando o pai e, a partir dos 14 anos, sozinha, atividade que manteve até aos 20 anos. Em 1951 ingressou na Orquestra Típica Scalabitana, onde se manteve até 1953.” (Carla NunesEMPXX. Em 1948, Fernando Ribeiro e Fernanda Guerra conheceram-se, e começou então “uma colaboração artística que configurou o percurso artístico de ambos. Contraíram matrimónio em 1955 e começaram a apresentar-se como Duo Fernando Ribeiro e Fernanda Guerra, tendo atingido grande projeção nacional e internacional. Fernanda Guerra executava a melodia enquanto Fernando Ribeiro tocava variações e contracanto. Ainda em 1955 atuaram em Goa, Damão e Diu, a convite do Ministério da Defesa, e no Médio Oriente (Líbano, Síria, Jordânia e Egipto).

Um importante ponto de viragem na carreira de ambos, deu-se em 1961, quando começaram a atuar no Restaurante Folclore, em Lisboa, tendo aí desenvolvido uma atividade profissional durante 11 anos, acompanhando cantores de maior relevo no panorama musical da altura, como Tony de Matos, Francisco José, Paula Ribas, Maria José Valério, Maria de Lourdes Resende e Carlos do Carmo.

Leia AQUI a biografia completa.

Fernanda Guerra com Fernando Ribeiro

Fernanda Guerra, acordeonista, de Alpiarça

Fernanda Guerra, acordeonista, de Alpiarça