Artigos

Rancho Folclórico de Arronches
Folclore e tradições musicais no Concelho de Arronches

Grupos Etnográficos, Tradições e Atividades no Concelho

Arronches é uma vila portuguesa no distrito de Portalegre, região Alentejo e sub-região do Alto Alentejo, com cerca de 1900 habitantes. É sede de um município com 314,65 km² de área e 3165 habitantes, subdividido em 3 freguesias.

  • Região: Alentejo (Alto Alentejo)
  • Distrito: Portalegre
  • Concelho: Arronches
Grupo de Pedrinhas de Arronches

O Grupo de Pedrinhas de Arronches nasceu por acaso quando um grupo de amigos decidiu fazer música, com as pedras recolhidas no rio Caia, com intenção de participar num evento televisivo. A sua arte de execução musical depressa conquistou o público e a fama espalhou-se. Faz parte do Rancho Folclórico de Arronches.

Rancho Folclórico de Arronches

O Rancho Folclórico de Arronches foi fundado a 24 de maio de 1981 com objetivo de divulgar o folclore do Alentejo e os usos e costumes da região. Desde essa data esteve sediado nas instalações da antiga Casa do Povo de Arronches. Em 2009, ao abrigo de um protocolo assinado com a Câmara Municipal de Arronches, passou a dispor de amplas e modernas instalações para desenvolver a sua atividade, num dos antigos celeiros da ex-EPAC.

O Rancho é composto por cerca de 40 elementos que vão dos 5 aos 85 anos, fazendo ainda parte do mesmo o Grupo das Pedrinhas de Arronches. Ao longo destes anos de atividade o Rancho Folclórico de Arronches pode contar com o empenho e dedicação de alguns bons técnicos de folclore (ensaiadores), tais como a Irene Barradas da Urra, João Nunes Vidal de Marvão, ou ainda o Álvaro Parreira de Portalegre. O Rancho é dirigido pelo jovem acordeonista do grupo Francisco Almeida. É membro da Associação de Folcloristas do Alto Alentejo.

RFA

Rancho Folclórico de Arronches

Rancho Folclórico de Arronches

Sede do RFA

Sede do Rancho Folclórico de Arronches

Sede do Rancho Folclórico de Arronches

Miguel Gromicho, músico, de Arronches
Música e músicos do Concelho de Arronches

Arronches é uma vila no distrito de Portalegre, região Alentejo e sub-região do Alto Alentejo, Portugal, com cerca de 1900 habitantes. É sede de um município com 314,65 km² de área e 3165 habitantes, subdividido em 3 freguesias.

Miguel Gromicho

Miguel Gromicho é um músico arronchense. Miguel Gromicho seguiu as pisadas de seu irmão e fez-se músico. Num meio quase esquecido como é o interior, não vivendo nas grandes cidades, é difícil ascender no caminho profissional que escolheu. Depois do seu primeiro trabalho ‘Histórias por Contar – 2018’ aos poucos vai abrindo passo. Em 2019 prepara-se para apresentar o seu novo trabalho ‘Sociedade Não Anónima’, com lançamento agendado para o Centro de Artes e Espetáculos em Portalegre (CAEP).

Miguel Gromicho

Miguel Gromicho, músico, de Arronches

Miguel Gromicho, músico, de Arronches

Órgãos de tubos do concelho de Arronches [1]

Possuindo um órgão do notável organeiro genovês D. Pascoal Caetano Oldovino, Arronches usufrui do seu instrumento histórico organizando concertos, tendo realizado o Festival de Música Sacra de Arronches (3ª edição em 2014).

De acordo com as informações de que dispomos, os órgãos de tubos existentes no concelho são os seguintes.

Igreja Matriz de Arronches

Carlos Marques da Silva

Igreja Matriz de Arronches

De planta longitudinal composta, a igreja matriz de Arronches possui fachada principal antecedida de escadaria, com portal renascentista ladeado por contrafortes. O portal de volta perfeita possui um programa decorativo de grande sobriedade, onde se destacam os dois tondi e os querubins que preenchem a arquivolta. O conjunto assenta sobre pilastras coríntias assentes em plintos decorados por duas caveiras, sendo rematado por frontão triangular com escudo e cruz de Cristo. No friso do portal, uma curiosa legenda – paraíso para sempre. Inferno para sempre. Do lado direito do portal foi edificada a torre sineira, coberta por coruchéu piramidal, com seis aberturas no registo superior. As fachadas laterais possuem contrafortes rematados por gárgulas, e portais manuelinos, com arco de volta perfeita decorado por motivos vegetalistas integrado em alfiz com decoração idêntica. Interiormente a igreja está dividida em três naves, sem separação entre a central e as laterais, cobertas pela mesma abóbada de ogivas, formando um espaço único. Os fechos da abóbada têm gravados a cruz de Cristo, o escudo de Portugal, a esfera armilar e florões. Ao fundo da igreja foi edificado o coro-alto, com abóbada de nervuras rebaixada, sob o qual foi colocado o batistério, com pia batismal barroca e armário de mármore maneirista. Na nave lateral do lado do Evangelho situam-se a Capela de São Miguel, ou de São João Baptista, com abertura em arco de volta perfeita e decorada com azulejos padrão, e o altar, de talha, do Senhor dos Passos. Na nave lateral fronteira foram edificadas as capelas do Santíssimo e de Nossa Senhora do Rosário, com túmulo renascentista de mármore. O altar-mor possui dois altares colaterais, que abrem em arco de volta perfeita; o do lado do Evangelho, forrado com azulejos padrão, possui ao centro do retábulo de talha pintura da Última Ceia, o do lado da Epístola, semelhante, possui calvário e sacrário. O retábulo-mor, em talha dourada, alberga ao centro imagem de Nossa Senhora da Assunção.

Fonte: Cf. Catarina Oliveira, Património Cultural

A Igreja Paroquial de Nossa Senhora da Conceição de Arronches possui um órgão positivo histórico [ I; 5 (0+2) ] existente na igreja matriz foi construído por D. Pascoal Caetano Oldovino em 1772, restaurado pela Oficina e Escola de Organaria de Pedro Guimarães e Beate von Rohden em 2004, opus 44.

Em 2014, na sequência dos anteriores realizou-se 3.º Festival de Música Sacra de Arronches.

Órgão positivo de armário

Rosa Resende e Meglena de carvalho

Rosa Resende e Meglena de Carvalho a 14/05/2011

Data

Inscrição no fundo da caixa de vento

Inscrição no fundo da caixa de vento

Pascoal Caetano Oldovino

Inscrição típica na tampa da caixa de vento do órgão da Igreja Matriz de Arronches

Inscrição típica na tampa da caixa de vento

FOI NOTÍCIA

O blogue Arronches em Notícias noticiava a 10 abril 2010:

Arronches – Concerto de órgão de tubos do século XVIII

Teve lugar este sábado dia 10 de abril pelas 21h00 na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção o Concerto de Órgão de Tubos que assinalou o 6º aniversário do restauro deste velho órgão do século XVIII. Os organistas Eva e Marco Brandazza acompanhados pelo Coro Paroquial de Arronches deliciaram a assistência com um excelente concerto.

No decorrer do mesmo foram executadas obras de Pedro Araújo (séc. XVII), Girolamo Cavazzoni (1506-1577), Alessandro Scarlatti (1660-1725), Luigi Malerbi (1776-1843), entre outras.

O casal de organistas Marco Brandazza e Eva  Brandazza tem actividades como músicos sacros desde há 19 anos na Suíça Central. Eva é organista titular na Igreja Evangélica de Emmenbrucke desde 1998 e Marco Brandazza organista e músico sacro na Stadtkirche St. Michael em Zug. Além das actividades como músicos de Igreja e de leccionação entre outros na Faculdade II da Escola Superior de Música de Lucerna, apresentam-se em concertos, frequentemente em duo, na Suíça e no estrangeiro.

No final do concerto o pároco, Fernando Farinha, fez a entrega de algumas lembranças aos visitantes estrangeiros, agradecendo também a presença de todos os que não quiseram perder este concerto de grande qualidade, executado no órgão de tubos da Matriz de Arronches e datado de 1772 e construído por D. Pascoal Caetano Oldovini, que depois de restaurado em 2004, vem sendo valorizado com diferentes concertos executados por grandes organistas.

Registamos com agrado neste concerto a numerosa assistência de público, assim como a presença dos dois anteriores párocos de Arronches, Cónego Tarcísio Alves, pároco de Castelo de Vide e Padre Marcelino Marques, pároco da de Portalegre.