Artigos

Adriana Ferreira, flautista, de Cabeceiras de Basto
Músicos naturais do Concelho de Cabeceiras de Basto

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis tem como objetivo aproximar dos munícipes os músicos e a música do Concelho.

Adriana Ferreira

Adriana Ferreira, flautista, de Cabeceiras de Basto

Adriana Ferreira, flautista, de Cabeceiras de Basto

Adriana Ferreira

A 28 de março de 2011, o presidente da Câmara Municipal, Eng.º Joaquim Barreto, entregou o Voto de Louvor, Congratulação e Regozijo à jovem cabeceirense Adriana Ferreira pelo êxito alcançado ao conquistar o 1.º Prémio e dois Prémios Especiais no IV Concurso Internacional Carl Nielsen, na Dinamarca.  A singela cerimónia contaria com a colaboração da Banda Cabeceirense, através da interpretação de alguns temas por parte de alguns músicos, mas também com a interpretação de duas peças por parte da homenageada.

Hélder Gonçalves

Hélder Gonçalves, clarinetista, de Cabeceiras de Basto

Hélder Gonçalves, clarinetista, de Cabeceiras de Basto

Joaquim dos Santos

Joaquim dos Santos, padre compositor, de Cabeceiras de Basto

Joaquim dos Santos, padre compositor, de Cabeceiras de Basto

BANDAS FILARMÓNICAS

Banda Cabeceirense

Tendo como presidente da direção José Manuel Silva, a Banda Cabeceirense foi fundada em 1820. É atualmente por meia centena de músicos e dirigida por Paulo Nunes. É a mais antiga coletividade do concelho e a de maior implantação cujo dinamismo ao longo dos tempos tem sido decisivo para a aprendizagem e para a divulgação musical em Terras de Basto, por aqui tendo passado várias gerações de Cabeceirenses. Em 1986 a filarmónica fundou a Escola de Música e em 1999, na sequência da grande afluência de jovens, ‘nasceu’ também a Banda Juvenil Cabeceirense, composta por jovens executantes que desde tenra idade têm brilhado em encontros de Bandas Juvenis e na participação em diversos concertos.

A sua Escola de Música que tem como diretor artístico o professor Armindo Nunes é presentemente frequentada por 38 alunos e tem sido um viveiro’ de grandes músicos que se têm destacado no panorama nacional e internacional, como Adriana Ferreira, Hélder Gonçalves, Casimiro Almeida, Pedro Teixeira, Eugénio Leite, entre outros. Há mais de 180 anos que a centenária Banda Cabeceirense, com sede na Casa da Música de Cabeceiras de Basto, participa nas maiores romarias minhotas, promovendo a música, o talento, os valores e o nome desta terra.

BC

Banda Cabeceirense, com o Ministro da Cultura, em 2016

Banda Cabeceirense, com o Ministro da Cultura, em 2016

No dia 1 de outubro de 2016, o o Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, visitou o concelho de Cabeceiras de Basto, passando pela Casa da Música, sede da Banda Cabeceirense, e pela sede do Rancho Folclórico de S. Nicolau, na freguesia de Cabeceiras de Basto, jornada dedicada à Cultura que contou com a presença dos presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal. Depois do vice-presidente e presidente da Banda Cabeceirense, José Manuel Silva e João Pacheco, respetivamente, darem a conhecer a dinâmica e o funcionamento da instituição, o Ministro da Cultura expressou:

“que melhor forma de comemorar o Dia Mundial da Música que estar aqui no seio de uma agremiação que promove a música. Gentes capazes de desenvolver o ensino da música e de formarem músicos notáveis”, disse o governante, destacando a “extraordinária capacidade de iniciativa e de coesão. Um exemplo de cultura notável. Aqui se afirma na nossa identidade”, concluiu.

Na sua intervenção, o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, afirmou ser “um gosto e uma honra” participar na visita que o Ministro realizou à Casa da Música de Cabeceiras de Basto, “um espaço que, em tempos, a Câmara Municipal recuperou e que em boa hora permitiu que aqui se instalasse a Banda Cabeceirense, a instituição mais antiga do concelho que em 2020 completará 200 anos. A Câmara Municipal, Cabeceiras de Basto e os Cabeceirenses orgulham-se desta instituição que tem sido embaixadora da nossa terra e da nossa cultura por onde tem passado”, sublinhou.

“Em Cabeceiras de Basto temos apoiado a cultura, seja a música, de que é exemplo a Banda Cabeceirense que tem uma escola de formação que envolve tantas crianças e jovens; seja o teatro e, a este propósito refiro, o magnífico trabalho que o Centro de Teatro da Câmara Municipal tem feito na divulgação desta arte a partir da recolha da nossa história e da sua divulgação. Um projeto inclusivo que envolve tantas cabeceirenses; seja o Património de que é exemplo o NOSSO Mosteiro, o Mosteiro de S. Miguel de Refojos, um Mosteiro beneditino que decidimos, em finais de 2013, candidatar a Património Cultural da Humanidade.

A finalizar, Francisco Alves deixou uma palavra à Banda Cabeceirense na passagem pelo seu 196º aniversário, reconhecendo o “excelente trabalho” que tem desenvolvido, manifestando igualmente à Banda o seu apoio.

GRUPOS FOLCLÓRICOS
Associação do Grupo Folclórico de S. Nicolau

O Ministro da Cultura visitou 1 de outubro de 2016 a sede da Associação do Grupo Folclórico de S. Nicolau, em Cabeceiras de Basto, uma coletividade fundada no ano de 2000. Desde então, este grupo concelhio tem vindo a empenhar-se na salvaguarda, promoção e divulgação dos usos e costumes desta terra de Basto através do folclore, da etnografia e das belas danças e cantigas com que habitualmente se apresenta ao público, sendo atualmente o presidente da direção Manuel Pacheco.

Na oportunidade, o presidente da direção fez um histórico da agremiação, falando da construção da sede, das dificuldades que sentiram mas também dos apoios que receberam, agradecendo “a dedicação de muitos que colaboraram na construção da sede”.

O presidente da Junta de Freguesia de Cabeceiras de Basto, José Carlos Rebelo, também presente nesta sessão, demonstrou a sua disponibilidade para “continuar a apoiar a associação” que tem contribuído para o desenvolvimento cultural da freguesia.

O Ministro elogiou a ação deste grupo evidenciando que o folclore e a sua alegria conseguem criar laços de união entre as pessoas, contagiando os povos aquém e além fronteiras.

Igreja Matriz de Cabeceiras de Basto
Órgãos de tubos do concelho de Cabeceiras de Basto [1]

De acordo com as informações de que dispomos, os órgãos de tubos existentes no concelho são os seguintes:

Igreja Matriz de Cabeceiras de Basto

[ Igreja Paroquial ] [ do Mosteiro de São Miguel de Refojos de Basto ]

Igreja Matriz de Cabeceiras de Basto

Igreja Matriz de Cabeceiras de Basto

A Igreja do Mosteiro é toda de estilo Barroco. São de realçar: na fachada dos lados direito e esquerdo estão colocadas as estátuas em tamanho natural do fundador da Ordem de S. Bento – São Bento de Núrcia, e de Santa Escolástica. Ala exterior em forma de varandim, tem ao fundo, em nicho, a imagem de S. Miguel, e onde se celebrava missa campal no dia do padroeiro, S. Miguel, dia 29 de setembro; figuras demoníacas e carrancas colocadas dos dois lados interiores logo a seguir à entrada da Igreja; dois púlpitos em castanho pintados e dourados em 1786/1789; capela do Santíssimo Sacramento em castanho pintado e dourado. Do esplendor da talha são de salientar alguns efeitos especiais, como a orla de “chamas” do pináculo da obra, as fitas de folhas cingindo as molduras convexas e o formoso festão de margaridas e rosas no remate da portada. A Capela do Altar-Mor é em castanho dourado (1764/1767). Claustros com elegantes colunas de pedra e ao centro com uma taça também de granito. O zimbório em circunferência e rodeado por uma varanda interior e exterior e tendo ainda as esbeltas estátuas dos doze apóstolos, em tamanho natural e no remate, a do arcanjo São Miguel, rodeada por outra varanda. As cadeiras do coro são em castanho (1767/1770) do qual consta o cadeiral, as sanefas e as portas das portadas, assim como, três sanefas dos janelões. O grande cadeiral foi composto em dois andares com 45 assentos em forma de U com cadeira do D. Abade no centro, segundo a tradição beneditina.

Fonte: CMCB

> Lado da Epístolaórgão histórico de Francisco António Solha, 1770.

> Lado do Evangelho: órgão mudo

Órgão construído por Francisco António de Solha, em 1771, na nave da igreja do mosteiro, restaurado no século XIX por Manuel de Sá Couto, em 1993 por António Simões e no século XXI por Pedro Guimarães.

A 15 de fevereiro de 2007, a Agência LUSA noticiava que a então ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima, anunciou nesse dia, em Cabeceiras de Basto, “o financiamento da recuperação dos órgãos antigos de tubos das Igrejas dos Mosteiros de S. Miguel de Refojos, e do de Amarante.” A recuperação dos órgãos estava integrada “numa candidatura do chamado Pacto do Baixo Tâmega, que envolvia acções materiais e imateriais, estas com a realização, de 2007 a 2009, de um Festival de Música Antiga na região.”

Órgãos e coro alto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão Francisco António Solha

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Consola

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Manúbrios dos registos do lado esquerdo

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Trombetas horizontais

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Tubos da fachada

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Pormenor da Tribuna

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Putti e trombetas em chamada

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Cabeça de puttus

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Carranca

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Carranca

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Pormenor de talha

Pormenor de talha do órgão da igreja do mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Data

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Manúbrio de registo mudo

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Carranca

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Carranca

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Foles

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Foles

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão mudo ornamental

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto

Órgão da Igreja do Mosteiro de Refojos de Basto