Artigos

Banda Musical de Santa Tecla, Celorico de Basto
Músicos do Concelho de Celorico de Basto

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

Banda Musical de Santa Tecla

A origem da Banda Musical de Santa Tecla remonta aos inícios do século XX, na freguesia que lhe deu o nome – Santa Tecla. Nos finais dos anos 60, e após um interregno de alguns anos, os elementos da banda, juntando-se com outros elementos de uma segunda banda existente em Celorico de Basto, formaram a União Musical Celoricense. Esta união foi orientada artisticamente pelo Maestro Artur Alves da Mota. Teve uma duração muito breve, apenas meia dezena de anos. O motivo da sua extinção prende-se com rivalidades que sempre existiram entre alguns elementos das anteriores filarmónicas, culminando na sua desagregação.

Logo após o seu declínio, alguns músicos mais entusiastas e dedicados, procurando dar continuidade ao seu trabalho e para desenvolvimento dos seus valores pessoais, rumaram a outras bandas existentes nos concelhos vizinhos (Cabeceiras de Basto, Mondim de Basto, Amarante e Lixa). No início da década de 1980, o maestro Artur Mota entrou em contacto com alguns músicos apaixonados, tentou restaurar o nome e a vida de uma das mais antigas bandas existentes neste concelho, antes da União Musical Celoricense.

A 12 de novembro de 1980 foi constituída uma associação no Cartório Notarial de Fafe, com a designação de Banda Musical de Santa Tecla. A Casa do Povo de Fervença, sob a presidência do Monsenhor Lameiro, foi a entidade que assumiu a tutela dessa banda. Em 1985, dado o esmorecer e envelhecimento do seu corpo ativo, foi solicitada a colaboração de um elemento que atuava na mesma e que, nessa data, se encontrava em fase de conclusão do Curso Geral de Trompete, no conceituado Conservatório Regional de Braga.

Como o problema da subsistência da banda se prendia com a falta de músicos, deu-se início à criação de uma pequena escola de música, com o intuito de alimentar o corpo ativo da banda. Saliente-se a prestimosa colaboração que a Câmara Municipal prestou à escola, nomeadamente na cedência de instalações e participação num subsídio anual, atualmente extinto, bem como nos transportes para deslocação às festas.

BST

Banda Musical de Santa Tecla, Celorico de Basto

Banda Musical de Santa Tecla, Celorico de Basto

A banda está em franco desenvolvimento e é muito solicitada no concelho e em outros pontos do País. Participou em vários eventos fora do país, um dos quais em Huilles (França). A média anual de atuações ronda as três dezenas. Neste momento a banda conta com sessenta elementos, em média, bastante jovens. A subsistência deve-se, em grande medida, aos esforços feitos pelo atual maestro, o professor António Pinto.

Igreja Paroquial de Carvalho
Órgãos de tubos do Concelho de Celorico de Basto

Rodeada de grande beleza natural, entre as Serras do Barroso e do Marão e o planalto de Montelongo, Celorico de Basto é uma vila e concelho do distrito de Braga, junto ao Rio Tâmega, que possui história rica. Teve grande importância na Idade Média por aqui se situarem pontos estratégicos de defesa da região: os castelos de Celorico de Basto e de Arnóias. Em termos de órgãos de tubos, a informação disponível de momento é a seguinte:

Igreja de Carvalho

A Igreja Paroquial de Carvalho dispõe de um órgão da autoria do organeiro suíço Erwin Hauser, opus 87, construído em 1990. Foi comprado de particulares e montado pela JMS Organaria em 2019.