Artigos

Academia de Música de Lagos
Escolas de Música em Lagos

Estabelecimentos do ensino especializado de música no Concelho. Em geral, as bandas filarmónicas também possuem a sua escola de música: veja ao fundo informação sobre as bandas de música do Concelho.

Academia de Música de Lagos

Rua Dr. José Cabrita
8600-736 Lagos, Portugal Lagos
Sítio: www.academiamusicalagos.pt

A Academia de Música de Lagos é uma Associação de Utilidade Pública, sem fins lucrativos, fundada em 1986 por D. Maria Boulain Fogaça. Desde 1989 que é reconhecido, consecutivamente, o Manifesto Interesse Cultural aos seus Planos de Actividade intercalado com o reconhecimento do Superior Interesse Cultural.

Do seu historial consta a atribuição da Medalha de Mérito Cultural (1993), atribuída pela Secretaria de Estado da Cultura, a Medalha de Mérito Municipal (2002) grau prata, pela Câmara Municipal de Lagos, o Troféu Infante de Sagres para a área da Cultura (2009), e a Medalha de Mérito Municipal, grau prata (de 2012) pela Câmara Municipal de Portimão.

A Academia de Música de Lagos é das mais dinâmicas e produtivas associações culturais portuguesas na área das artes e espetáculos.

Desde 1990 que mantém o Conservatório de Portimão – Joly Braga Santos, estabelecimento de ensino com autonomia pedagógica, desde 2003, Conservatório de Música de Lagoa e mais recentemente, 2014 o Conservatório de Musica de Loulé, com um total de 1056 alunos e 82 professores de música na mais diversa e completa oferta de disciplinas instrumentais.

As Escolas de Música de Lagos e Portimão funcionam com autorização definitiva concedida pelo Ministério de Educação e Ciência e desde 1 Setembro de 2001 possuem a Certificação pela Direcção Regional de Educação do Algarve e as Escolas de música de Lagoa e Loulé funcionam com autorização provisória de funcionamento. Todos os Cursos estão autorizados pelo Ministério da Educação , têm equivalência aos percursos formativos Nacionais, constituindo os títulos e diplomas emanados pela Academia de Música de Lagos, documentos com reconhecimento oficial, conforme disposto no Decreto-Lei n.º 152/2013, de 4 de Novembro.

Academia de Música de Lagos

Academia de Música de Lagos

A Academia de Música de Lagos em parceria com a ESPAMOL Escola Secundária Padre António Martins Oliveira – Lagoa e a Câmara Municipal de Lagoa, na Secção de Lagoa- Conservatório de Música de Lagoa, ofereceria para o ano letivo 2018/19 os Cursos Profissionais Nível IV (equivalência ao 12.º ano do ensino regular) para Instrumentista de Cordas e Teclas e Instrumentista de Sopros e Percussão.

São estabelecidos Contratos de Patrocínio com o Ministério da Educação (trienais), Contratos Programa com as Câmaras Municipais de Lagoa, Lagos, Loulé e Portimão e DGArtes/Ministério da Cultura.

Rancho Folclórico e Etnográfico de Odiáxere
Folclore em Lagos

Grupos Etnográficos, Tradições e Atividades no Concelho

  • Região: Algarve
  • Distrito: Faro
Rancho Folclórico e Etnográfico de Odiáxere

O Rancho Folclórico e Etnográfico de Odiáxere foi fundado em 1984. Odiáxere é uma vila rural, pertencente ao concelho de Lagos, a 6km desta centenária cidade e tem como sua padroeira Nossa Senhora da Conceição. O Rancho Folclórico de Odiáxere continua com a sua recolha etnográfica de danças, cantares, trajes e utensílios agrícolas. Com base neste trabalho, divulga os usos e costumes da sua terra.

Fazem parte das suas danças os bailes, corridinhos, valsas, mazurcas, sendo algumas delas de épocas bastante remotas.

O rancho possui os seguintes trajes, sendo alguns originais e outros réplicas: fazendeiros, domingueiros, noivos, lavadeira, mulher que fazia o pão, ajudante de pescador, aguadeiro, carreiro e os trajes de trabalho no campo.

Como complemento etnográfico, nas suas atuações e desfiles, o grupo exibe utensílios alusivos à apanha da amêndoa e do figo, ceifa e amanho da terra. Tem atuado em romarias, festivais e programas de televisão e de rádio. Realiza anualmente um festival de folclore. É membro efetivo da Federação do Folclore Português e filiado no INATEL.

Rancho Folclórico e Etnográfico de Odiáxere

Rancho Folclórico e Etnográfico de Odiáxere

Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1.º de Maio
Filarmónicas de Lagos

Bandas de Música, História e Atividades no Concelho

Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1.º de Maio

A Sociedade Filarmónica Lacobrigense foi fundada em 1 de maio de 1931. Ao longo da história, homens de boa vontade, dedicados ao associativismo e à arte dos sons, lutaram para que a Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1.º de Maio e a sua Banda pudessem ultrapassar as muitas dificuldades colocando ao dispor da população o ensino da música.

Honra-se a Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1.º de Maio de ter sido berço de nomes e figuras que, quer no meio civil quer no meio militar, muito contribuíram e contribuem para a expansão musical do nosso país. Manter em atividade uma Escola de Música onde cerca de trinta jovens recebem a sua formação musical tem sido o objetivo das várias direções. É a Escola de Música que alimenta a Banda da Sociedade permitindo-lhe atuar em procissões, arruadas, concertos, festivais, comemorações e outros eventos, no Concelho e pelo País, numa média de 25 atuações por ano.

Em 1994 deslocou-se a Palos de La Frontera, em Espanha, cidade geminada com Lagos e em Julho de 2004 à Ilha Terceira-Açores, a fim de participar nas festas da Praia (Praia da Vitória). A banda é composta por cerca de 36 músicos com idades entre os 8 e os 80 anos, 80% dos quais são jovens. A Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1.º de Maio foi reconhecida como Coletividade de Utilidade Pública em 1988, agraciada com a Medalha de Mérito Municipal “Grau Prata” em 1991 pela Câmara Municipal de Lagos e com a medalha de Mérito Associativo em Maio de 2006 pela Confederação das Coletividades de Cultura Recreio e Desporto, da qual é associada.

Como atividades mais importantes, há a destacar o Festival de Bandas Civis que promove este ano, sem interrupção, a sua XXVI edição – terceira como “Maio da Música”, o “Cantar de Reis” que remonta, tal como o Festival de Bandas, ao início da década de 1980  e um concurso literário, denominado “Jogos Florais”, iniciado em 1999, onde se presta homenagem a todos os que, ao longo da sua existência, contribuíram para o engrandecimento da Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1.º de Maio e da sua Banda.

Com a entrada, nos finais de 2006, de um novo regente, implementou-se um método de ensino diferente e que levou em 2007, devido á falta de percussionistas na Banda, à criação de um “Grupo de Percussão” que em 2008 atuou em vários eventos dos quais destacamos, Escola Secundária Júlio Dantas, Ovibeja e, em parceria com o TEL (Teatro Experimental de Lagos), IPJ de Faro, Feira Quinhentista em Lagos, Centro de Férias do Inatel em Albufeira, Festival de Teatro de Rua de Esmoriz, Centro Cultural de Lagos.

2008 foi importante, não só pela estabilidade e pelo trabalho desenvolvido pelo “Grupo de Percussão” mas pelas excelentes prestações da Banda salientando a deslocação a Mões – Castro Daire (X Encontro de Bandas) e a Tavira (XXIV Festival de Bandas Cidade de Tavira).

A Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1.º de Maio é dirigida artisticamente, desde 2006, por Edgar da Conceição Santos que, por inerência, é também o responsável pela Escola de Música.

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos
Músicos naturais do Concelho de Lagos

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

Ângela Silva

Ângela Silva, soprano, de Lagos

Ângela Silva, soprano, de Lagos

Arminda Correia

Arminda Correia, cantora, de Lagos

Arminda Correia, cantora, de Lagos

Arminda Correia tem uma rua com o seu nome em Lagos.

Cónego José Pedro Martins

José Pedro Martins, padre compositor, de Lagos

José Pedro Martins, padre, compositor, de Lagos

A costureirinha da

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos

Maria de Fátima Bravo canta para você

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos

Silêncio

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos

Nostalgia

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos, Nostalgia

Ontem e hoje

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos

O Tarzan do 5º esquerdo

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos, O Tarzan do 5º Esquerdo

Vocês sabem lá

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos

Maria de Fátima Bravo, cantora, de Lagos

BANDAS FILARMÓNICAS

Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1º de Maio

A Sociedade Filarmónica Lacobrigense foi fundada a 1 de maio de 1931. A banda é composta por cerca de 36 músicos com idades compreendidas entre os 8 e os 80 anos, 80% dos quais são jovens. Foi reconhecida pelo Governo como Coletividade de Utilidade Pública em 1988, e agraciada com a Medalha de Mérito Municipal “Grau Prata” em 1991, pela Câmara Municipal de Lagos e com a medalha de Mérito Associativo em Maio de 2006 pela Confederação das Coletividades de Cultura Recreio e Desporto, da qual é associada, como reconhecimento pelo seu interesse sociocultural.

A Banda atua em procissões, arruadas, concertos, festivais, comemorações e outros eventos, no Concelho e pelo País, numa média de 25 atuações por ano. Em 1994, deslocou-se a Palos de La Frontera, em Espanha, cidade geminada com Lagos e em 2004 à Ilha Terceira (Açores), a fim de participar nas festas da Praia (Praia da Vitória). Organiza o Festival de Bandas Civis (XXVI edição em 2013). Promove o “Maio da Música”, o “Cantar de Reis” que remonta, tal como o Festival de Bandas, ao início da década de 80 do século passado. Organiza também um concurso literário, denominado “Jogos Florais”, iniciado em 1999, onde se presta homenagem a todos os que contribuíram para o engrandecimento da Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1.º de Maio e da sua Banda.

Com a entrada, nos finais de 2006, de um novo Regente, implementou-se um método de ensino diferente e que levou 2007, devido à falta de percussionistas na Banda, à criação de um “Grupo de Percussão”. Em 2008 o Grupo atuou em vários eventos, na Escola Secundária Júlio Dantas, Ovibeja e, em parceria com o TEL (Teatro Experimental de Lagos), IPJ de Faro, Feira Quinhentista em Lagos, Centro de Férias do Inatel em Albufeira, Festival de Teatro de Rua de Esmoriz, Centro Cultural de Lagos.

2008 foi importante, não só pela estabilidade e pelo trabalho desenvolvido pelo “Grupo de Percussão” mas pelas excelentes prestações da Banda salientando a deslocação a Mões – Castro Daire (X Encontro de Bandas) e a Tavira (XXIV Festival de Bandas Cidade de Tavira). A Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1.º de Maio tem, desde 006, a direção artística de Edgar da Conceição Santos que, por inerência, é também o responsável pela Escola de Música.

SFL1M

Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1º de Maio, de Lagos

Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1º de Maio, de Lagos

Igreja do Carmo, Lagos
Órgãos de tubos do concelho Lagos [3]

De acordo com as informações de que dispomos, os órgãos de tubos existentes no Concelho são os seguintes:

Igreja Matriz de Santa Maria

[ Nossa Senhora da Assunção ]

Igreja de Santa Maria, Lagos

Igreja Matriz de Santa Maria, Lagos

Construída no início do século XVI como Igreja da Misericórdia, a Igreja de Santa Maria foi instituída igreja paroquial após o terramoto de 1755. Trata-se de uma igreja de nave única que possui um portal principal de estilo renascentista, formado por duas colunas dóricas ladeadas pelas figuras de São Pedro e São Paulo. No que respeita à ornamentação interior, destacam-se os conjuntos de imagens de Nossa Senhora da Assunção, de São Gonçalo de Lagos, de Nossa Senhora do Carmo e de Nossa Senhora da Piedade, todas de estilo rococó, à semelhança das duas imagens do Senhor crucificado.

Fonte: VisitAlgarve

Igreja do Carmo

Igreja do Carmo, Lagos

Igreja do Carmo, Lagos

Em 1554, a Ordem do Carmo fundou em Lagos o seu segundo convento feminino. O edifício, que ficaria bastante destruído com o terramoto de 1755, foi restaurado pelo então Bispo do Algarve, Frei Lourenço de Santa Maria e manteve a sua utilização até à extinção das ordens religiosas em 1833, data em que passou para a posse da Câmara Municipal de Lagos. Durante o século XX, o convento e a igreja tiveram diversas utilizações, o que, juntamente com o sismo de 1969, contribuiu para a degradação deste importante monumento. Entre 2005 e 2008, esta igreja de estilo barroco foi restaurada. Trata-se de um templo de nave única, cobertura abobadada e capela-mor retangular, com uma cúpula rematada por um lanternim. No interior da igreja o destaque vai para os altares em talha dourada e os painéis de azulejos da sacristia.

Igreja Matriz de São Sebastião

[ Igreja Paroquial ] [ Nossa Senhora da Conceição ]

Igreja de São Sebastião, Lagos

Igreja de São Sebastião, Lagos

A Igreja de São Sebastião de Lagos é um edifício religioso do século XV que possui três naves separadas por arcos plenos. Na fachada apresenta um portal datado de 1612, formado por duas colunas dóricas com caneluras. No interior ressaltam o retábulo da capela-mor, exemplar do século XIX mas com tribuna barroca, o retábulo da Capela do Santíssimo, do século XVIII, e um valioso conjunto de imagens, entre as quais a do Senhor crucificado, do século XVI, e a de Nossa Senhora da Glória, em estilo barroco. Outro motivo de interesse é a Capela dos Ossos.