Artigos

Rancho Folclórico da Casa do Concelho de Pampilhosa da Serra (RFCCPS)
Folclore em Pampilhosa da Serra

Grupos Etnográficos, Tradições e Atividades no Concelho

  • Rancho Folclórico de Pampilhosa da Serra
  • Rancho Folclórico da Casa do Concelho de Pampilhosa da Serra (RFCCPS)
Rancho Folclórico de Pampilhosa da Serra

Sediado na vila, freguesia e concelho de Pampilhosa da Serra, o Rancho Folclórico de Pampilhosa da Serra é uma associação de natureza etnográfica constituída a 20 de junho de 2006.

Rancho Folclórico da Casa do Concelho de Pampilhosa da Serra (RFCCPS)

O Rancho Folclórico da Casa do Concelho de Pampilhosa da Serra (RFCCPS) é uma associação de natureza etnográfica sediada em Lisboa que representa a Pampilhosa da Serra com gentes de Lisboa mas com raízes na Pampilhosa da Serra.

Rancho Folclórico da Casa do Concelho de Pampilhosa da Serra (RFCCPS)

Rancho Folclórico da Casa do Concelho de Pampilhosa da Serra (RFCCPS)

Grupo Musical Fraternidade Pampilhosense
Filarmónicas de Pampilhosa da Serra

Bandas de Música, História e Atividades no Concelho

Grupo Musical Fraternidade Pampilhosense

Com mais de três séculos de dedicação à música, o Grupo Musical Fraternidade Pampilhosense assume-se como associação artística e recreativa que contribui para o desenvolvimento cultural do concelho e divulga a tradição musical junto da população. De acordo com a inscrição visível numa das faces do estandarte, este grupo foi fundado em 1700 sendo por isso das bandas de música mais antigas do país.

O seu fundador terá sido o padre Truta, pároco da freguesia do Cabril, com o fim de promover e desenvolver a música. No entanto, nenhuma prova atesta que a existência deste grupo data do século XVII, uma vez que o documento mais antigo que existe é uma carta de 6 de setembro de 1863,assinada por António Joaquim Alves da Silva, em nome da sociedade. A 7 de dezembro de 1907 surgem os primeiros estatutos conhecidos, assumindo juridicamente este grupo como Associação Artística e Recreativa. Vinte anos depois, a 8 de dezembro de 1927,são aprovados os segundos estatutos que estabelecem como objetivo fundamental da associação a arte musical e dramática.

No final do século XIX, início do século XX, o Grupo Musical Fraternidade Pampilhosense contou com a dedicação e apoio material do Dr. José Maria Henriques da Silva. È importante salientar que grande parte da história desta filarmónica se encontra relatada nas partituras e papéis de música, onde o executante ou o regente escrevia passagens ou datas importantes. Exemplo disto é a partitura da célebre marcha fúnebre “Lágrima” ou “Saudade”, escrita por Jaime da Cunha, onde se pode ver escrito: “Escrita para o funeral da filha do autor e tocada no dia 29 de Abril de 1923”. Outros exemplos são ainda “Recordação da Pampilhosa”, escrita por José Nunes Afonso, escreveu: “À memória de Armando Afonso, 8 de Outubro de 1958”.

GMFP

Grupo Musical Fraternidade Pampilhosense

Grupo Musical Fraternidade Pampilhosense