Artigos

Rancho Folclórico de Penela
Folclore em Penela

Tradições, grupos etnográficos e atividades no Concelho

  • Rancho Folclórico do do Rabaçal

O folclore é um meio de o povo se manifestar. Em Penela, o associativismo cultural tenta reativar em momentos de lazer, as festividades dos antepassados. Contribui para isto o Rancho Folclórico do Rabaçal.

Rancho Folclórico do Centro Social Polivalente do Rabaçal

O Rancho Folclórico do Centro Social Polivalente do Rabaçal é um grupo etnográfico  pertencente ao Concelho de Penela, distrito de Coimbra.

RFR

Rancho Folclórico de Penela

Rancho Folclórico de Penela

Coro Carlota Taylor
Coros de Penela

Grupos e atividade coral no Concelho

  • Choral Polyphónico João Rodrigues de Deus (da Sociedade Filarmónica Penelense)
  • Coro Carlota Taylor (Espinhal)

Choral Polyphónico João Rodrigues de Deus

Choral Polyphónico João Rodrigues de Deus

Choral Polyphónico João Rodrigues de Deus

Coro Carlota Taylor

Coro Carlota Taylor

Coro Carlota Taylor

FOI NOTÍCIA

A 21 de janeiro de 2020, decorreu Encontro de Coros do Espinhal, inaugurando a 21º edição do Inverno Cultural de Penela. O Inverno Cultural, um evento promovido pelo Município de Penela em colaboração com as associações concelhias, teve com o quarto Encontro de Coros e Concerto de Ano Novo. Marcaram presença, o Coro Calçada Romana de Alqueidão, da Serra-Porto de Mós, o Coro do Centro Cultural da Guarda e o Coro da Cruz Vermelha de Águeda, recebidos pelo Coro Carlota Taylor, do Espinhal criado em setembro de 2016, em homenagem à Professora de Música e Harpista e que deu origem à Filarmónica do Espinhal.

O Centro Cultural das Cerejeiras seria o próximo anfitrião do Inverno Cultural 2020 que receberia, no dia 26 de janeiro, o Grupo de Música Tradicional Tu Cá Tu Lá- S.A., com sede no Centro Cultural de Casais de Santo Amaro e o Grupo de Danças, Cantares e Memórias da Universidade Sénior de Penela.

O Choral Polyphónico João Rodrigues de Deus, da Sociedade Filarmónica Penelense, juntou-se ao Coro Carlos Seixas, de Coimbra, para ambos celebraram em conjunto, ao longo de 2018, os 10 anos de atividade que, por coincidência, cada um dos grupos festeja.

A amizade entre os dois maestros, Paulo Bernardino e João Santos, respetivamente, colegas de curso, permitiu dar corpo à ideia e entre música e palavra, leia-se, concertos e conferências, estão agendadas 12 iniciativas, entre 10 de abril e 8 de dezembro, em Penela e Coimbra.

“O que passa para o público são as conferências e os concertos, mas entre os próprios coros, haverá o convívio, ensaios e trabalhos em conjunto, trocas de experiências e culturas”, revelou ao Terras de Sicó, Paulo Bernardino.

O coro de Penela, fundado em 18 de janeiro de 2008, está “bastante bem e tem feito um trabalho notável”, refere o maestro, destacando a recente prestação num concurso nacional de coros, promovido pelo Coro Carlos Seixas, em que o Polyphónico João Rodrigues de Deus alcançou um lugar entre os oito grupos finalistas, numa lista de mais de duas dezenas.

Com mais de 30 elementos, um número “muito interessante, embora quanto mais pessoas houver melhor, porque permite fazer outro tipo de repertório”, o coro interpreta música medieval, portuguesa, sacra e ligeira, o que lhe permite adaptar-se consoante o espaço e a iniciativa em que é solicitado a atuar.

A agenda de concertos para este ano está “bastante preenchida”, com os espetáculos das comemorações do aniversário, outros já programados pelo país e uma deslocação a Sevilha (Espanha) em junho de 2020.

Com ensaios todos os sábados à noite, na sede da Filarmónica Penelense, Paulo Bernardino elogia o apoio da Câmara e só lamenta as limitações financeiras, que não possibilitam pagar mais ao maestro (penelense, mas a viver em Gaia) e impedem “outro tipo de trabalhos”. “Tudo o que envolve contratar músicos, instrumentistas convidados, é mais complicado, porque não há dinheiro para isso”, salienta aquele responsável, admitindo, contudo, que o grupo “está bem, se olharmos à realidade de outros coros”.

O repertório do coro será “explorado” nos concertos de aniversário e as conferências previstas abordarão a temática da prática coral.

Comemorações em Penela e Coimbra

O programa da comemoração conjunta do 10.º aniversário do Choral Polyphónico João Rodrigues de Deus e do Coro Carlos Seixas teve início a 10 de abril, em Coimbra, com Rosário Pestana, da Universidade de Aveiro, a conversar sobre “A importância da prática coral na sociedade portuguesa”. No dia 20, igualmente na cidade do Mondego, o investigador João Pedro Almeida Rocha abordou “A música de intervenção gravada” e apresentou o livro “Discos perdidos e outras canções de Abril”. No mesmo dia, à noite, em Penela, realizou-se um concerto com a participação dos dois coros aniversariantes. No dia 25 de abril, o programa do dia 20 repetiu-se, mas desta vez todo em Penela, integrado nas comemorações da Revolução dos Cravos.

No dia 30 de junho, Sofia Serra, da Universidade Católica do Porto, explicou a fisiologia da voz para coralistas, no auditório municipal de Penela. Pelas 21h00, realizou-se o 9.º Encontro Coral do Choral Polyphónico João Rodrigues de Deus.

Paulo Bernardino, maestro do coro penelense, falou sobre música sacra em duas sessões a 29 de setembro (Igreja da Misericórdia de Penela, na comemoração do feriado municipal) e 1 de outubro (Coimbra, assinalando o Dia Mundial da Música).

A 5 e 6 de Outubro, pelas 21h30, realizaram-se dois espetáculos de angariação de fundos para a associação SOGA (Servir Outra Gente Com Amor), o primeiro na Velha (Coimbra) e o segundo na Igreja de Santa Eufémia (Penela).

O programa comemorativo fecharia nos primeiros dias de dezembro (1 e 8) com cantatas de Natal, pelo Choral Polyphónico João Rodrigues de Deus, Coro Carlos Seixas, Filarmónica Penelense e Coro de Urrô. No primeiro dia na inauguração do Penela Presépio e no segundo no Convento de S. Francisco, em Coimbra.

Fonte: Luís Carlos Melo

Sociedade Filarmónica Penelense
Filarmónicas de Penela

História, bandas de música e atividades no Concelho

Sociedade Filarmónica Penelense

A Sociedade Filarmónica Penelense foi fundada no dia 18 de janeiro de 1858 e tem em atividade a Academia da Música (Banda Juvenil Bemóis e Coro Infantojuvenil), a Banda, o Choral Polyphónico João Rodrigues de Deus, a Orquestra Ligeira e Os Caspirros.

SFP

Sociedade Filarmónica Penelense

Sociedade Filarmónica Penelense

Paulo Bernardino, organista, de Vila Nova de Gaia
Músicos do Concelho de Penela

[ Serviço público sem financiamento público, o Musorbis foi lançado em dezembro de 2020. O processo de inserção de dados pode ser acelerado com a cooperação dos músicos no que se refere a currículos e fotografias em falta. ]

Paulo Bernardino

O organista e professor Paulo Bernardino nasceu nos Países Baixos, tem raízes familiares em Penela e fixou residência em Vila Nova de Gaia. Iniciou os estudos musicais aos sete anos na Escola de Música “Jeroen Bosch” na cidade de s’Hertogenbosch e, pouco depois, na Schola Cantorum da Catedral de S. João na mesma cidade. Nessa altura começou também os estudos de Órgão e Acordeão com Anne Rücker. Já em Portugal desde 1987, veio a completar o curso de Piano na classe de Fernanda Casais no Conservatório de Música de Coimbra em 1995. Simultaneamente frequentava o curso de Engenharia Electrotécnica na Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra, licenciatura que concluiu em 1998. Entre 1991 e 1994 frequentou e completou o 1º Curso Nacional de Música Litúrgica realizado em Fátima. Concluiu a licenciatura em Música Sacra na Universidade Católica Portuguesa – Porto em 2003.

Paulo Bernardino, organista, de Vila Nova de Gaia

Paulo Bernardino, organista, de Vila Nova de Gaia

Saiba mais AQUI.