Artigos

Coral Polifónico de Ponte de Sor

Coros de Ponte de Sor

  • Coral Polifónico de Ponte de Sor
  • Coro Gospel de Ponte de Sor
Coral Polifónico de Ponte de Sor

O Coral Polifónico de Ponte de Sor é uma associação de natureza cultural e social criada em 26 de fevereiro de 1996. Sediada na Av. do Colégio, Antiga Escola D. Manuel I, na freguesia e concelho de Ponte de Sor, foi constituída como associação a 21 de julho de 2005.

Apresentou-se em Praga, Moscovo e Barcelona, e em várias localidades do País. Celebrou o 20º aniversário com um concerto no Teatro Cinema de Ponte de Sor, tendo como convidado o Coro da Câmara Municipal da Lourinhã. Participou na peça “Chão de Água”, promovida pelo Teatro da Terra, sediado em Ponte de Sor. Para o sucesso da iniciativa contribuiu também o “Coral Polifónico de Ponte de Sor, que desde a primeira hora era composto pelas vozes femininas e que nestes contou também com as vozes masculinas, sempre dirigido pelo seu maestro Rui Martins Picado.” (João Manuel Matos Cruz). Participa em concertos de Natal e encontros de coros.

Coral Polifónico de Ponte de Sor

Coral Polifónico de Ponte de Sor

Já atuou com os seguintes coros:

  • Orfeão de Abrantes
  • Coral Getas/Sardoal
  • Coro do Instituto de Emprego e Formação Profissional
  • Coro de S. Pedro de Aradas/Aveiro
  • Coral Scalabitano
  • Orfeão do Entroncamento
  • Coral Cristo Rei/Algés
  • Coro Bombeiros do Cadaval
  • Orfeão da Covilhã
  • Orfeão de Portalegre
  • Orfeão de Castelo Branco
  • Coral de Évora
  • Coral Alla Brevis
  • Coral Cantar Noman / Golegã
  • Coral de Monforte
  • Orfeão de Alpiarça
  • Coral Ensaio
  • Harmonia Reguense
  • Orfeão de Almeirim
  • Orfeão de Águeda
  • Coral da Oiã
  • Orfeão de Viseu
  • Orfeão de Eiriz
  • Coro Gaudea Vitae/Mira d’Aire
  • Coro Galp Energia
  • Coro de Câmara de Beja
  • Coral de S. Domingos
  • Coro de Alcochete
  • Coro Loureiros de Palmela
  • Coro Misto da Universidade de Coimbra
  • Orfeão da Comenda
  • Coro da Vidigueira
  • Coral da Sociedade Filarmónica Silvense
  • Coro Lopes-Graça
  • Orfeão de Condeixa-A-Nova
  • Grupo Coralis/Leiria
  • Coral de Proença-a-Nova
  • Coral David de Sousa/Figueira da Foz
  • Coral Dr. João Antunes
  • Chorus Auris
  • Orfeão da Fundação A. Lord/Lordelo
  • Orfeão de Braga
  • Ensemble Vocal Pro Musica
  • Coral Encontro/Queluz
  • Orfeão Académico de Coimbra
  • Coral Polifónica “La Salle”
  • Orfeão de Seia
  • Coral Oásis/Sangalhos
  • Coral Roque Gameiro/Minde
  • Orfeão de L.A.T./Tordosendo
  • Coro de Câmara de Montargil
  • Grupo Coral Columba
  • Coral da Casa de Pessoal dos Hospitais Universidade de Coimbra
  • Coro Ninfas do Lis
  • Grupo Coral Vozes da Vidigueira
  • Grupo Coral de Gouveia
  • Grupo Coral Corutibe do Barreiro
Coro Gospel de Ponte de Sor

O Coro Gospel de Ponte de Sor é um grupo de gospel fundado pela Caminhar – Associação Cristã de Apoio Social, em janeiro de 2017. Composto atualmente por cerca de 40 vozes e uma banda, o jovem grupo marcou presença recentemente no “European Gospel Festival” – Montegrotto Terme, evento partilhado com diversos outros coros do género de diversas nacionalidades.

Coro Gospel de Ponte de Sor

Coro Gospel de Ponte de Sor

Rancho Folclórico da Casa do Povo de Ponte de Sor
Folclore em Ponte de Sor

Grupos etnográficos, tradições e atividades no Concelho

  • Rancho Folclórico da Casa do Povo de Ponte de Sor
  • Rancho Folclórico de Montargil
Rancho Folclórico da Casa do Povo de Ponte de Sor

O Rancho Folclórico da Casa do Povo de Ponte de Sor é uma associação de natureza etnográfica constituída a 9 de dezembro de 1982, sediada na Casa do Povo na freguesia e concelho de Ponte de Sôr.

O Rancho foi fundado em 1968. O FestiFolk é organizado pelo Rancho Folclórico da Casa do Povo de Ponte de Sor, em parceria com a câmara municipal e as juntas de freguesia do concelho.

Rancho Folclórico da Casa do

Rancho Folclórico da Casa do

Em 2015, o Rancho Folclórico da Casa do Povo de Ponte de Sor inaugurou uma Exposição Etnográfica no Centro de Artes e Cultura desta cidade Lenços, Xailes, Jaquetas outras vestimentas, na sua grande maioria originais e fruto de trabalhos e recolha e pesquisa estiveram patentes no evento que durou cerca de um mês.

Rancho Folclórico da Casa do Povo de Ponte de Sor, exposição

Rancho Folclórico da Casa do Povo de Ponte de Sor, exposição

Rancho Folclórico de Montargil

O Rancho Folclórico de Montargil fez a primeira apresentação em 1970, data considerada a da fundação, e integra a Federação do Folclore Português desde 1977. É membro da Associação de Folcloristas do Alto Alentejo e está inscrito no INATEL.

Desde 1975 funciona como Departamento de Etnografia e Folclore do Grupo de Promoção Sociocultural de Montargil (Pessoa Coletiva de Utilidade Pública (1987) e Medalha de Prata de Mérito Municipal).

Contando com a Colaboração da Câmara Municipal de Ponte de Sor e da Escola Básica Integrada de Montargil, está a lecionar 2 horas de folclore por semana. Realiza anualmente 2 festivais: a Festa das Escolas de Folclore (último sábado de março – este com o apoio total da Junta de Freguesia de Montargil), o Festival Nacional de Folclore de Montargil (sábado que antecede o terceiro domingo de Julho – este com a Câmara Municipal a apoiar a quase totalidade das despesas, e ainda contando com o apoio da Junta de Freguesia de Montargil, e de outras instituições na uma Escola de Folclore (Infantil e Juvenil).

Rancho Folclórico de Montargil

Rancho Folclórico de Montargil

Sete Sóis Sete Luas
Eventos musicais no Concelho

Festivais e ciclos de música

  • Festival de Fado
  • Festival Internacional de Folclore de Ponte de Sor – FestiFolk
  • Festival Sete Sóis Sete Luas
Festival de Fado

Em 2016, foi anunciado  1º Festival de Fado, iniciativa que partiu do Elétrico Futebol Clube de Ponte de Sor. Pelo Cineteatro e pelo anfiteatro da zona ribeirinha passariam vários fadistas: António Pinto Basto, Joana Amendoeira, José da Câmara, Maria Armanda, Ana Laíns e Custódio Castelo. A fadista Ana Maria seria a anfitriã do Festival. O evento incluía um concurso de novas vozes infantojuvenis e seniores.

Festival Internacional de Folclore de Ponte de Sor – FestiFolk

Em 2019, o Festival Internacional de Folclore de Ponte de Sor – FestiFolk teve a participação de grupos folclóricos de seis países. O FestiFolk é organizado pelo Rancho Folclórico da Casa do Povo de Ponte de Sor, em parceria com a câmara municipal e as juntas de freguesia do concelho.

Festival Sete Sóis Sete Luas

Nascido em 1993, o festival é desde a sua primeira edição um intercâmbio cultural entre treze países e mais de trinta cidades da Bacia do Mediterrâneo e do mundo lusófono. Ponte de Sor é uma das cidades participantes e, durante os meses de verão, o anfiteatro da Zona Ribeirinha recebe vários grupos internacionais de música popular. Também as artes plásticas marcam presença com exposições e laboratórios criativos no Centro de Artes e Cultura.

Sete Sóis Sete Luas

Sete Sóis Sete Luas

Orquestra Ligeira da Câmara Municipal de Ponte de Sor
Filarmónicas de Ponte de Sor

Bandas de Música, História e Atividades no Concelho

  • Banda da Escola de Música de Montargil
  • Orquestra Juvenil da Câmara Municipal de Ponte de Sor
  • Sociedade Filarmónica Galveense
Banda da Escola da Música de Montargil

A fundação da primeira Banda de Música de Montargil remonta a 1881 e foi seu regente Rufo Freire de Andrade. Deste primeiro ciclo apenas sabemos que, quando terminou a guerra de 1914-1918 a banda estava inativa, tendo sido o maestro Galamba e o maestro Sá os últimos regentes.

Em 1919, mestre Jaime, que havia ficado prisioneiro dos alemães, regressou, e a Banda foi esperá-lo. Começava a era de Alves do Carmo. Com este homem o Grupo Musical Montargilense – era este o seu nome embora fosse mais conhecido pela designação de “A Música”, viveu anos de prestigio. Quando por motivos de idade e saúde o maestro teve de deixar a Banda, viveu-se um vazio de vinte anos com algumas tentativas de arranque com o Padre Pereira a assumir a regência, sem resultados práticos.

Em 1975, com poucos músicos e sem instrumental o grupo de promoção criou a sua Escola de Música com base em instrumental ORFF e vozes. Mas a Banda não se conseguia fazer reviver até que um dia Jorge Fernandes então Presidente da Junta de Freguesia e José Amante, Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Sor, na altura propuseram ao Grupo de Promoção a reconstituição da Banda.

Em 1989, José Maria Bernardo deu na casa do povo, a primeira aula. Era o inicio da terceira fase. Reinava o entusiasmo e os músicos, ainda sem fardamento, foram aplaudidos no final da primeira procissão em que participaram. O maestro José Maria Bernardo fez obra, mas problemas de Saúde levaram-no a abandonar o projeto. Foi substituído pelo Maestro José Pedro Salgueiro que se manteve à frente da Banda de 1994 a 1999. Assumiu a direção artística da Banda da Escola de Musica de Montargil, seu atual nome, o Maestro Luís de Castro que nos viria a deixar em 2002. De então para cá o regente Marco Alves dirige a banda a convite do antigo maestro Paulo Temeroso que deixou a banda por motivos profissionais.

Em 2008 a Banda de Montargil realizou uma viagem a Cabo Verde a fim de participar no Festival Sete Sois Sete Luas que se realizou no concelho de Ribeira Grande (ilha de S. Antão) Cabo Verde.

Banda da Escola da Música de Montargil

Banda da Escola da Música de Montargil

Em 2010 o maestro Marco Alves deixa a banda de Montargil. A convite do maestro Marco Alves passou a dirigir a banda de Montargil o maestro “Chora” executante de Tuba. No final de 2013 a Banda viria a sofrer com a grave falta de músicos e o maestro Chora viria a deixar a banda, em 2014.

Orquestra Juvenil da Câmara Municipal de Ponte de Sor

A Orquestra Juvenil da Câmara Municipal de Ponte de Sor foi criada em 1981 por deliberação da Câmara Municipal de Ponte de Sor. Atuou em várias localidades, de Norte a Sul. Atuou em programas de televisão, “Bom dia Domingo”, “Jazz é comigo” e “123”.

Em 1985 gravou um LP. Em 1987 deslocou-se a Paris, onde atuou no “Zenit”. Em 1995 deslocou-se à Suíça onde atuou em Lucerna e Baar e, em 1996, gravou um CD. A Orquestra é formada por cerca de 32 jovens, na sua maioria estudantes, que ocupam os seus tempos livres na aprendizagem e divulgação da música.

OLCMPS

Orquestra Ligeira da Câmara Municipal de Ponte de Sor

Orquestra Ligeira da Câmara Municipal de Ponte de Sor

Sociedade Filarmónica Galveense

A Sociedade Filarmónica Galveense, fundada em 01 de Dezembro de 1930, está sediada na Rua Joaquim Barradas de Carvalho, 84 7400-014 Galveias, Ponte de Sor.

Sociedade Filarmónica Galveense

Sociedade Filarmónica Galveense

Vocacionada para o ensino da Música, dela saíram importantes nomes do panorama musical português, incluindo o trompetista e compositor António Reis Gomes. Na Banda da Armada, a primeira peça que Reis Gomes compôs, em 1961, foi para homenagear a sua terra. Galveias é o nome da marcha que homenageia a freguesia portuguesa com o mesmo nome.

A Banda da Sociedade Filarmónica Galveense atingiu o seu auge aquando da sua deslocação à Feira Popular de Lisboa em 1947 a fim de realizar dois concertos, com originais e composições do Regente, Maestro João P. Mineiro.

Nesse período atuou em Estremoz e Portalegre e outras localidades do País. Nos anos 1980 atuou em Lisboa, na Casa do Alentejo com dois concertos, destacando-se o último em que a Banda foi dirigida por quatro maestros (Gilberto Varela, José Maria Bernardo, Sr. Formigo e José Manuel Marquês). Em 1989 surgiu em Galveias, com o objetivo de formar uma Escola de Música, José Vicente, professor de Música na Escola Preparatória de Vila Franca de Xira. Renasceu a esperança, mas os objetivos foram interrompidos pelo falecimento de um familiar do Maestro, deixando a Escola de Música órfã.

Passado este período, e com grandes esforços dos sucessivos órgãos sociais da Coletividade, a Banda renasceu, no início dos anos 90, com elementos da Banda e da Escola da Música, a qual se mantém até aos dias de hoje, contando com mais de  trinta elementos na Banda, e cerca de 15 alunos na Escola de Música, coordenada desde 2004, pelo Maestro Capitão Sílvio Lindo Pleno.

Sociedade Filarmónica Galveense

Sociedade Filarmónica Galveense, foto Médio Tejo

Galveias é uma freguesia do concelho de Ponte de Sor, distrito de Portalegre, região do Alentejo e sub-região do Alto Alentejo, com 79,75 km² de área e 1 061 habitantes. Foi vila e sede de concelho entre 1538 e o início do século XIX.

António Reis Gomes, trompetista, de Ponte de Sor
Músicos do Concelho de Ponte de Sor

Projeto em desenvolvimento

António Reis Gomes

António Reis Gomes nasceu em Galveias, concelho de Ponte de Sor, no ano de 1943, e cedo começou a aprendizagem musical na Filarmónica da sua terra.

Em 1961 ingressou como trompetista na Banda da Armada (BA), prosseguindo os estudos musicais no Conservatório Nacional.

Dois anos depois, por convite, integrou a Orquestra Sinfónica da (então) Emissora Nacional durante 5 anos conciliando essa prestação com a BA.

Em 1968 depois de cumprido o Serviço Militar, obteve uma Bolsa de Estudo concedida pela Fundação Calouste Gulbenkian, e em Londres trabalhou com Philip Jones durante cerca de 1 ano.

Regressado em 1969, concorreu a uma vaga de Trompete na Orquestra Gulbenkian e ficou aprovado para desempenhar o lugar de Solista B.

Paralelamente, entre colaborações em orquestras e grupos musicais de géneros variados, formou duo com o organista Simões da Hora, pertenceu ao Grupo Metais de Lisboa, e em 1970 foi membro fundador do Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, por convite de Jorge Peixinho. (…)

Leia AQUI a biografia completa.

António Reis Gomes, trompetista, de Ponte de Sor

António Reis Gomes, trompetista, de Ponte de Sor