Artigos

Tuna da Escola Superior de Turismo e Hotelaria de Seia
Tunas e estudantinas de Seia

História e atividades tunísticas no Concelho

SenaTuna

Tuna da Escola Superior de Turismo e Hotelaria de Seia

Tlm. (+00 351) 911 570 283
Correio eletrónico: senatuna.esth@hotmail.com

A 1 de junho de 2013, na Casa Municipal da Cultura, a SEnaTuna foi anfitriã do Festival de Tunas Mistas, com a presença da ARTUNA – Tuna Mista da Escola Superior Artística do Porto, RAUSSTUNA – Tuna Mista de Bragança, OLISSIPO – Tuna Mista de Lisboa e Estudantina Universitária de Viseu. Como convidado esteve o Rancho Folclórico de Seia.

Tuna da Escola Superior de Turismo e Hotelaria de Seia

Tuna da Escola Superior de Turismo e Hotelaria de Seia

Rancho Folclórico de Seia
Folclore em Seia

Grupos Etnográficos, Tradições e Atividades no Concelho

  • Beira Alta (Beira Alta Serrana)
  • Distrito: Guarda

02 grupos

  • Rancho Folclórico de Seia
  • Rancho Folclórico Os Pastores de São Romão
Rancho Folclórico de Seia

O Rancho Folclórico de Seia foi fundado em 10 de junho de 1980, com uma grande vontade de servir a cultura e a etnografia, com o objetivo de valorizar a cultura da zona da Serra da Estrela, onde se insere.

Procura testemunhar o meio de vida das gentes da Beira Serra nos fins do século XIX, princípios do século XX. Tem desenvolvido um trabalho a todos os títulos meritório, pela colaboração em inúmeras festas regionais e locais, atuando nos mais diversos lugares do nosso país e no estrangeiro, em festivais nacionais e internacionais.

Organiza um Festival Internacional de Folclore, habitualmente no último sábado de julho de cada ano.

Manteve-se desde a sua fundação e tem procurado investigar a etnografia do povo e pô-la em prática. Várias são as manifestações culturais que mantém: Cantar das Janeiras, Matança do Porco, Amenta das Almas, e muitas outras.

Dos seus trajes típicos podem-se destacar os de trabalho, de festa e de romaria, noiva, passeio, ver-a-Deus e cote.

A tocata compõe-se de concertina, cordas, ferrinhos, bombo, acordeão e bandolim.

O Rancho é membro efetivo da Federação do Folclore Português, está filiado no INATEL e tem o estatuto de Utilidade Pública.

Rancho Folclórico de Seia

Rancho Folclórico de Seia

Rancho Folclórico Os Pastores de São Romão

O Rancho Folclórico Os Pastores de São Romão iniciou a sua atividade em 1978, com a finalidade principal de recolher, preservar e divulgar o património material e imaterial da encosta ocidental da Serra da Estrela.

Dada a sua situação geográfica e proximidade com o topo da montanha, vê ainda hoje enraizado na tradição das suas gentes as mais rudes e puras características serranas e que, teimosamente, o Rancho Folclórico Os Pastores de São Romão, procura preservar e retratar nas suas apresentações.

Os trajes predominantes e com maior representatividade são: pastor abastado, pastor criado, pastor no inverno, traje de feira, lavrador, feitor ou capataz da casa rica, traje de ver-a-Deus, noivos, romaria, domingueiros, entre outros.

As danças mais representativas são: Fado Virado; Fado Serrano Mandado; Ladrão do Meio; Anita Está Doente; Penteei o Meu Cabelo; Pus o Pé na Batateira; Um Abraço é Pouco; e Vira do Pastor.

O Rancho é membro efetivo da Federação do Folclore Português.

Rancho Folclórico Os Pastores de São Romão

Rancho Folclórico Os Pastores de São Romão

Sociedade Recreativa e Musical Loriguense

Filarmónicas de Seia

Bandas de Música, História e Atividades no Concelho

Banda de Seia

A primeira notícia da criação da mais antiga Filarmónica de Seia reporta-se a 1857, sendo da autoria de José Mendes Dinis Belém. Fundou-a o Dr. José Roque Silva, que foi o seu primeiro regente. Em 1894 a Filarmónica Senense ou Banda Velha, como também foi conhecida, apresentou um fardamento novo. Em 1 de dezembro de 1907 foi criada em Seia a Filarmónica Regeneradora Liberal. Durante algum tempo existiram as duas bandas, com salutar rivalidade, até que esta última se extinguiu. Em 1921, foi criada a Banda 15 de Agosto, por iniciativa de vários senenses, entre os quais o Padre Antero da Silva Pereira, que foi o primeiro regente. Mais tarde foi organizada a Banda dos Bombeiros Voluntários de Seia, com os elementos das antigas Bandas que, entretanto, tinham sido extintas.

A Banda de Seia conta com inúmeras atuações em muitas cidades do País e, ainda, em Espanha e França. Tem no seu ativo mais de 50 executantes jovens, uma Escola de Música e um Grupo de Metais. No dia 3 de julho de 1993 foi-lhe atribuída, pela Câmara Municipal, a medalha de Ouro do Concelho de Seia.

Banda de Seia

Banda de Seia

Av. Dr. Sebastião Costa, Apartado 62
6270-483 SEIA
Telefone: 238 084 048
Fax: 238 084 049

Banda Academia de Santa Cecília

A Banda Academia de Santa Cecília foi fundada em 1951, por iniciativa do Comendador Evaristo Martins Nogueira grande benemérito de S. Romão. Junto do Pároco, o Comendador propôs-se a apoiar com o que fosse necessário para a fundação de uma Banda. Com a dedicação de algumas figuras impulsionadoras na concretização da iniciativa como o Pe. José Moreira Martinho, e Alberto Figueiredo de Oliveira e seguidamente com trabalho reconhecido do Maestro Serra e Moura foi aberta a escola de música composta por mais de 70 elementos que com grande entusiasmo se iniciaram na aprendizagem da música. A Banda conta com inúmeras atuações em várias regiões do país. Atuou num programa televisivo, participou em intercâmbios com destaque para a deslocação a Domfront na Normandia. A Banda Academia de Santa Cecília tem cerca de 45 elementos com idades entre os 14 e os 70 anos, sendo os jovens cerca de 2/3 dos componentes. A regência está a cargo do Maestro José Augusto Craveiro

Av. Bombeiros Voluntários, n.º 6
6270-255 S.ROMÃO
Telefone: 238 390 291

Sociedade Recreativa e Musical Loriguense

Em 2016 a SRML celebrou 110 anos.  Por essa comemoração foi publicado o livro Da Philarmonica Loriguense à Sociedade Recreativa e Musical Loriguense – Um percurso histórico (1906-2016), da autoria de Augusto Moura Brito.

Sociedade Recreativa e Musical Loriguense

Sociedade Recreativa e Musical Loriguense

Solar da Redondinha Apt. 1022
6270-906 LORIGA
Telefone: 238 951 088

Banda Torroselense Estrela D’Alva

Rua João do Freixo, n.º 3
6270-555 TORROSELO
Telef./ Fax: 238 902 227

Banda Torroselense Estrela D'Alva

Banda Torroselense Estrela D’Alva

Sociedade Musical “Estrela da Beira” de Santa Marinha

A Sociedade Musical “Estrela da Beira” de Santa Marinha foi constituída a 22 de setembro de 1846.

Sociedade Musical "Estrela da Beira" de Santa Marinha

Sociedade Musical “Estrela da Beira” de Santa Marinha

Rua da Banda, nº 2
6270- 196 Santa Marinha
Telemóvel: 962 073 818 / 927 032 997

Banda 1º de Janeiro

A Banda 1º de Janeiro foi constituída a 27 de outubro de 1980.

Banda 1º de Janeiro

Banda 1º de Janeiro

Rua S. Silvestre, n.º 4

6270-031 CARRAGOSELA
Telefone: 238 902 327 / 238 315 460

Associação Musical e Juvenil de Tourais

A Associação Musical e Juvenil de Tourais, coletividade de natureza cultural, foi constituída a 05 de abril de 2001. Está sediada no lugar e freguesia de Tourais no concelho de Seia.

Terreiro St. António – Edf. Junta
6270- 586 TOURAIS
Telefone: 238 978 029

Casa Municipal das Artes – Conservatório de Música de Seia
Escolas de Música de Seia

O Ensino da Música no Conselho

Conservatório de Música de Seia

Praça da República
Casa Municipal das Artes
6270-496 Seia
Tel. (+00 351) 238 312 583
Tel. (+00 351) 238 316 046
Correio eletrónico: conservatoriodeseia@gmail.com

Integrado na Casa das Municipal das Artes, o Conservatório de Música de Seia é uma Escola do ensino vocacional artístico especializado de música, propriedade da Associação de Fomento do Ensino Artístico, criada para implementar o ensino da música em regime escolar no concelho de Seia e regiões circundantes, de acordo com a estrutura do Ensino Vocacional Artístico definida pelo Ministério da Educação.

No dia 12 de março de 2021, decorreu a inauguração da obra de requalificação da Casa Municipal das Artes – Conservatório de Música de Seia, na qual a Câmara Municipal procedeu à entrega das chaves à Associação de Fomento do Ensino Artístico.

Uma intervenção de elevada importância que permitirá a dinamização das atividades artísticas e de ensino que ali já se realizavam, impulsionando uma nova fase de criatividade, sucesso e de enriquecimento da vida cultural e artística da cidade, na melhoria da qualidade do ensino e prática da música e das artes performativas.

Collegium Musicum

Casa Municipal das Artes – Conservatório de Música de Seia

Casa Municipal das Artes – Conservatório de Música de Seia

A incorporação de talento local ao longo de todo o processo de reabilitação, da solução arquitetónica à qualidade construtiva, levou a um resultado final admirável. Para além do Conservatório, que passa a dispor de um espaço mais moderno e funcional, a reabilitação deste edifício, de valor patrimonial relevante (não classificado) constitui mais um importante passo no processo de regeneração urbana da cidade, que muito contribuirá para a dinamização do centro histórico, onde esta estrutura se insere, gerando impactos na reabilitação urbana dos espaços envolventes e na própria dinâmica cultural da cidade.

Fonte: Câmara Municipal de Seia

Alvoco da Serra, Seia
Património imaterial do Concelho de Seia

Material poético musical

Coletor nascido em Sobral de São Miguel, Covilhã, o Padre Jaime Pinto Pereira publicou em Coimbra, em 1952, o volume I de Alegrias Populares (Cancioneiro folclórico de Alvoco da Serra). Diz Rebelo Bonito nas “Breves Palavras” que acompanham o 2º volume: “Percorrendo com o seu gravador o concelho de Seia, registou o Rev. Padre Jaime Pinto Pereira abundante material músico-poético para o segundo volume do cancioneiro a que pôs o título Alegrias Populares.”

O segundo volume foi publicado 15 anos depois do primeiro.

Alegrias Populares

Alegrias Populares, de Jaime Pinto Pereira

Alegrias Populares, de Jaime Pinto Pereira

Maria Isabel Mendonça, pianista, de Seia
Músicos naturais do Concelho de Seia

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis tem como objetivo aproximar dos munícipes os músicos e a música do Concelho.

  • Almeida Santos (guitarrista, cantor, 1926-2016)
  • Ana Rita Almeida (clarinete)
  • André Maximino (trompa)
  • António Luís de Brito (maestro)
  • Margarida Cardoso (musicóloga)
  • Maria Isabel Mendonça (piano)
  • Mariana Cardoso (clarinete)
  • Ricardo Almeida (trombone)
António Luís de Brito

Natural da vila de Loriga – Seia, António Luís de Brito iniciou os estudos musicais na Sociedade Recreativa e Musical Loriguense (Banda de Loriga), na qualidade de executante, contramestre, e posteriormente maestro de 1969 a 1974. Foi maestro da Banda Sociedade Instrução e Recreio de Paços da Serra – Gouveia, no ano de 1974, e da Banda de Música de Anadia, de 1979 a 1988.

Dirigiu ainda vários coros litúrgicos nas Igrejas de Loriga, Águeda e Recardães, sendo autor de diversas obras musicais.

Participou em vários cursos de aperfeiçoamento de diretores corais, organizados pela SEC – Secretaria de Estado da Cultura, onde se destaca o I e II Curso-Estágio de Direcção Coral, ministrados pelo Maestro José Robert.

É professor de música na Escola da Casa do Povo de Águeda, tendo também a seu cargo, a direção artística da Orquestra Juvenil da Casa do Povo de Águeda, desde 1983.

De 1986 a 1987, foi maestro do Orfeão da Associação Cultural de Recardães, e de 1989 a 1994, dirigiu o Coro Infantil do Orfeão de Águeda. Foi director artístico do Coro Misto do Orfeão de Águeda, desde 1981 a 1999. É maestro principal do Grupo Coral Oásis (Fogueira), desde Setembro de 1998, Maestro Adjunto do Coro Misto do Orfeão de Barrô, desde 2005, e do Coro da Cruz Vermelha Portuguesa de Águeda, desde 2006.

Foi um dos fundadores do Conservatório de Música de Águeda, no qual exerce funções diretivas desde a sua fundação (1999).

Maria Isabel Mendonça

A pianista Maria Isabel Mendonça nasceu em Seia. Iniciou os estudos musicais, em piano e violino, no Conservatório de Música de Seia, que frequentou até ao 6.º grau. A partir de 2010, frequentou o Conservatório Regional de Coimbra, na classe de Tatiana Yakimova, onde concluiu o curso complementar de piano com a classificação final de 20 valores.

Participou, também, no Concurso de Piano do Colégio São Teotónio, em 2011, e no Concurso de Piano Florinda Santos, em 2012, onde obteve o 2.º e 3.º lugar, respetivamente. Como solista, realizou concertos no Centro Cultural de Belém, nos “Dias da Música” dedicados a J. S. Bach, em Lisboa, e no Pavilhão Centro de Portugal, em Coimbra.

Concluiu, com distinção, em 2017, o Mestrado Integrado em Arquitetura, pela Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto. Licenciou-se, em piano, na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, tendo integrado a classe dos professores Madalena Soveral e Luís Filipe Sá. É docente na Escola Profissional da Serra da Estrela, em Seia, desde 2018.

Fontes: Mariana Cardoso enviou a informação relativa a Margarida Cardoso (musicóloga), Ricardo Almeida (trombone), Ana Rita Almeida (clarinete), André Maximino (trompa), Maria Isabel Mendonça (piano) e Jaime Reis (composição).

Mariana Cardoso

Natural de Seia, Mariana Cardoso iniciou os seus estudos musicais aos nove anos na Banda da sua terra natal. Desde então, foi adquirindo grandes experiências a nível de docência e performativos.

É Mestre em Ensino da Música pela Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco (ESART), na classe de Carlos Piçarra Alves. (…)

Leia AQUI a biografia completa.

 

Mariana Cardoso, clarinete, de Seia

Mariana Cardoso, clarinete, de Seia, foto Sara Silva

MÚSICOS FALECIDOS

Almeida Santos

Guitarrista, cantor, detentor de um vasto percurso profissional, cívico e político, António de Almeida Santos nasceu em Cabeça, Concelho de Seia, a 15 de fevereiro de 1926 e morreu em Oeiras, na noite de 18 de janeiro de 2016. Formou-se na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (1945-1952). A partir de 1953 radicou-se em Lourenço Marques (Maputo) onde exerceu advocacia e promoveu a cultura conimbricense na delegação local da Associação dos Antigos Estudantes de Coimbra.

Nos anos de Coimbra integrou organismos culturais estudantis como o Orfeon Académico, deu colaboração à TAUC e foi membro de formações de CC como executante de guitarra de Coimbra e como cantor. Deixou um Ré para guitarra que foi celebrizado num registo/arranjo de Jorge Godinho. Protagonizou alguns registos fonográficos em vinil e em CD, fez presenças radiofónicas nos anos de Coimbra e deixou registos televisivos. Em 9 dezembro de 2007 recebeu a laurea honoris causa pela FD/UC.

FILARMÓNICAS

Banda de Seia

A primeira notícia da criação da mais antiga Filarmónica de Seia reporta-se a 1857, sendo da autoria de José Mendes Dinis Belém. Fundou-a o Dr. José Roque Silva, que foi o seu primeiro regente. Em 1894 a Filarmónica Senense ou Banda Velha, como também foi conhecida, apresentou um fardamento novo. Em 1 de dezembro de 1907 foi criada em Seia a Filarmónica Regeneradora Liberal. Durante algum tempo existiram as duas bandas, com salutar rivalidade, até que esta última se extinguiu. Em 1921, foi criada a Banda 15 de Agosto, por iniciativa de vários senenses, entre os quais o Padre Antero da Silva Pereira, que foi o primeiro regente. Mais tarde foi organizada a Banda dos Bombeiros Voluntários de Seia, com os elementos das antigas Bandas que, entretanto, tinham sido extintas.

A Banda de Seia conta com inúmeras atuações em muitas cidades do País e, ainda, em Espanha e França. Tem no seu ativo mais de 50 executantes jovens, uma Escola de Música e um Grupo de Metais. No dia 3 de julho de 1993 foi-lhe atribuída, pela Câmara Municipal, a medalha de Ouro do Concelho de Seia.