Artigos

Grupo de Danças e Cantares do Concelho de Sobral de Monte Agraço
Folclore em Sobral de Monte Agraço

Grupos etnográficos, tradições e atividades no Concelho

  • Grupo de Danças e Cantares do Concelho de Sobral de Monte Agraço
  • Rancho Folclórico As Cerejeiras de Fetais

Grupo de Danças e Cantares do Concelho de Sobral de Monte Agraço

GDCCSMA

Grupo de Danças e Cantares do Concelho de Sobral de Monte Agraço

Grupo de Danças e Cantares do Concelho de Sobral de Monte Agraço

Rancho Folclórico As Cerejeiras de Fetais

GFCF

Rancho Folclórico As Cerejeiras de Fetais

Rancho Folclórico As Cerejeiras de Fetais

Coreto, Sobral de Monte Agraço
Coretos de Sobral de Monte Agraço

Sugestões de património edificado para uma rota musicoturística no Concelho de Sobral de Monte Agraço

Praça Dr. Eugénio Dias

Coreto

Coreto, Sobral de Monte Agraço

Coreto, Sobral de Monte Agraço

Na Praça Dr. Eugénio Dias 2590- 016 Sobral de Monte Agraço (em homenagem ao médico e republicano sobralense), encontra-se um coreto.

Praça de cariz arquitetónico pombalino foi mandada construir pelo tesoureiro real e primeiro morgado de Sobral de Monte Agraço Joaquim Inácio da Cruz em 1771, com o intuito de promover o desenvolvimento da indústria (dos chapéus e do algodão) e do comércio da vila e de fixar população. A ele se ficou ainda a dever o calcetamento deste rossio e a sua iluminação, com lampiões de vidro. Sob direção do arquiteto Reinaldo dos Santos, nesta praça foram construídos os edifícios mais importantes da vila – a Casa da Câmara e a Cadeia, a Igreja Matriz, o Chafariz, a Casa do Senhorio e dos Condes de Sobral, o Pelourinho (destruído durante a proclamação da I República), o Celeiro comum e, posteriormente, o Coreto.

As alterações à toponímia deste lugar refletem as transformações sociais, comerciais e políticas da própria comunidade. Primeiro designada de Praça Pública passou a chamar-se Praça da Restauração, quando a sede do concelho de Arruda dos Vinhos, que havia anexado o de Sobral de Monte Agraço, foi transferida para esta vila.

Mais de uma década depois foi denominada Praça do Comércio, por ser um espaço de trocas comerciais por excelência. Aqui se realizaram o mercado semanal e mensal e estavam estabelecidas a maioria das casas de pasto, lojas de latoaria e cutelaria, mercearia e barbeiro. Por aqui se cruzavam comerciantes e compradores, plebe e fidalguia. No início do século XX foi renomeada Praça Dr. Eugénio Dias, em homenagem a este médico e republicano sobralense.

Palco de movimentos de luta, manifestações e comemorações, assistiu, entre outros acontecimentos, ao combate de Sobral, ocorrido entre o exército de Napoleão e o exército aliado no decurso da terceira invasão francesa a Portugal. Assistiu também às restaurações do concelho, durante o final do século XIX, à profanação da Igreja Matriz, à implantação da República e aos discursos de congratulação com o Movimento das Forças Armadas do primeiro de Maio de 1974.

Entre os anos 60 e 80 continuou a assumir-se como centro social, com os cafés mais frequentados da vila e cenário privilegiado das festas anuais de Sobral de Monte Agraço.

José Peixoto, guitarrista, de Sobral de Monte Agraço
Músicos naturais de Sobral de Monte Agraço

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

José Peixoto, guitarrista, de Sobral de Monte Agraço

José Peixoto, guitarrista, de Sobral de Monte Agraço

Igreja de São Quintino, Sobral de Monte Agraço
Sobral de Monte Agraço [3]

Igreja de Nossa Senhora da Purificação

Situada na zona leste da povoação de Sapataria, na Rua da Igreja, está localizada a Igreja de Nossa Senhora da Purificação. É uma pequena igreja com fundação no tempo do manuelino, de que conserva o portal, tendo sido muito restaurada e modificada nos séculos seguintes. A fachada é ladeada pela torre sineira e rasgada pela porta principal manuelina encimada por uma rosácea para iluminação do coro. O tímpano triangular, interrompido para rodear a rosácea, é encimado pela cruz. O interior é composto por altar-mor e altares colaterais, com painéis de azulejos pombalinos na capela-mor e azulejos hispano-árabes nos restantes altares. Duas colunas sustentam o coro alto tendo uma pia de água benta em cada. Das outras duas pias de água benta da igreja salienta-se uma com decoração renascentista.

Órgão moderno

Órgão da Igreja de Nossa Senhora da Purificação

Órgão da Igreja de Nossa Senhora da Purificação

No coro alto da igreja está localizado, desde 2009, um órgão moderno Hoffbauer, de um teclado manual. datado de 1973.

Igreja Matriz de Santo Quintino

[ Igreja Paroquial ]

A 40Km a noroeste de Lisboa, a igreja de São Quintino foi construída em estilo manuelino, em 1530, na freguesia do mesmo nome, concelho de Sobral de Monte Agraço. Terão sido os Francos que trouxeram a devoção do São Quintino. Supõe-se que a documentação relativa a São Quintino se terá perdido aquando do terramoto de Lisboa de 1755. A igreja está classificada como Monumento Nacional desde 1910.

Igreja de São Quintino, Sobral de Monte Agraço

Igreja de São Quintino, Sobral de Monte Agraço

No coro alto da igreja está localizado um pequeno órgão moderno Karl Lötzerich, de um manual e pedaleira.

Órgão positivo moderno

Órgão da igreja de São Quintino

Órgão da igreja de São Quintino

Igreja Matriz de Sobral de Monte Agraço

[ Igreja Paroquial ] [ Nossa Senhora da Vida ]

A Igreja de Nossa Senhora da Vida é de uma só nave e capela-mor, separadas pelo arco triunfal. Além do altar-mor contém mais quatro altares e o coro alto. A construção desta igreja foi orientada por Reinaldo Manuel dos Santos, o arquiteto responsável pela reconstrução de Lisboa após o terramoto de 1 de novembro de 1755. Sendo os Condes de Sobral proprietários da igreja, esta foi cedida à paróquia em meados do século XIX. Tal se deveu ao mau estado em que se encontrava a antiga igreja de S. Salvador do Mundo. Posteriormente a igreja foi assaltada e muito danificada já no início do século XX, em 1919, voltando então para a posse dos Condes de Sobral. Quinze anos depois do assalto e destruição que sofreu, e após obras de recuperação, foi reaberta. Na década de 1980 os Condes de Sobral novamente a doaram à paróquia, passando desde então a servir como Igreja Paroquial de Sobral de Monte Agraço.

Igreja de Nossa Senhora da Vida, Sobral de Monte Agraço

Igreja de Nossa Senhora da Vida, Sobral de Monte Agraço

Órgão moderno

Órgão da igreja matriz de Sobral de Monte Agraço

Órgão da matriz de Sobral de Monte Agraço

No coro alto da igreja está localizado um órgão Henning Jenses, datado de 1973. Tem um teclado manual e pedaleira, com acoplamento. É proveniente da Igreja de Tanderup – Dinamarca. Foi desmontado e embalado por Sven Hjort Andersen e instalado na Igreja pela Oficina e Escola de Organaria (Esmoriz), de Pedro Guimarães e Beate von Rohden, em 2003.