Artigos

Rancho Folclórico e Etnográfico de Freixiel
Folclore em Vila Flor

Grupos Etnográficos, Tradições e Atividades no Concelho

  • Trás-os-Montes e Alto Douro (Trás-os-Montes)
  • Distrito: Bragança
  • Concelho: Vila Flor
Rancho Folclórico e Etnográfico de Freixiel

O atual Rancho Folclórico e Etnográfico de Freixiel tem as suas raízes num grupo mais antigo, fundado em 1981 por gente da terra. Ao som de cantares e jogos de roda de finais do século XIX, durante os trabalhos do campo, animou todo o concelho de Vila Flor, assim como o distrito de Bragança, chegando a participar no primeiro Congresso de Folclore do Nordeste Transmontano, realizado em Miranda do Douro, em 1990.

Em 1991 passou por momentos difíceis, ficando inativo até 2006, data em que foi reativado. Começou por animar uma feira de artesanato realizada em Freixiel, onde meia dúzia de pares brilhou, ao cantar e dançar as modas tradicionais. Inclui 46 elementos e tem levado o nome da sua terra e do concelho de Vila Flor a todo o país e estrangeiro.

Rancho Folclórico e Etnográfico de Freixiel

Rancho Folclórico e Etnográfico de Freixiel

Banda Filarmónica da Associação Cultural e Recreativa de Vila Flor

Filarmónicas de Vila Flor

Bandas de música, história e atividades no Concelho

Banda Filarmónica da Associação Cultural e Recreativa de Vila Flor

A Banda Filarmónica da ACRVF é composta, essencialmente, por jovens músicos naturais do Concelho de Vila Flor. Tem como principais objetivos a captação e formação de músicos, dinamizar e promover as competências de carácter musical, lúdico e pessoal, promovendo um crescimento global do músico e do Homem. Sob a direção técnica do Maestro Carlos Sampaio, faz atuações regulares em festas e romarias, encontros de filarmónicas, concertos musicais, comemorações especiais e festas tauromáquicas.

Consta que em 1862 já existia a Philarmónica de Vila Flor, no reinado do Rei D. Luís I, O Popular (1861 -1889). Na mudança do séc. XIX para o XX, terá sido seu regente Custódio de Jesus Marim, um mestre consagrado da Escola Militar, mais tarde substituído pelo amador Bernardino Smith Pires. Em 1910 ainda existiria e em 1913 tentava-se uma reorganização. Manuel Barbosa da Silva, terá sido regente entre 1932 e 1938, com uma gratificação mensal de 300 escudos.

Na década de 1940 e com a intervenção de Salazar, foi obrigada a integrar a Legião Portuguesa para poderem receber novos fardamentos e apoios financeiros, substituindo apenas os Corpos Gerentes por pessoas da confiança da União Nacional. Contudo, na década de 1950, veio a extinguir-se, só reaparecendo em 1981, através da fundação da Associação Cultural e Recreativa de Vila Flor, com a aquisição de um novo instrumental, num valor total de 2.000 contos.

Atualmente, a Banda Filarmónica de Vila Flor é constituída por 44 elementos. Percorre anualmente dezenas de localidades, tanto para concertos, como para arruadas ou procissões, participando também em vários festivais de Bandas Filarmónicas dos Distritos de Vila Real e Bragança, Casa da Música no Porto e comemorações da Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro em Lisboa, entre outros eventos.

Banda da ACRVF

Banda Filarmónica da Associação Cultural e Recreativa de Vila Flor

Banda Filarmónica da Associação Cultural e Recreativa de Vila Flor

Órgão de Tubos do Santuário de Nossa Senhora da Assunção, Vilas Boas, Vila Flor
Órgãos de tubos do concelho de Vila Flor

O Santuário de Nossa Senhora da Assunção, Vilas Boas, Vila Flor, possui um órgão de tubos Walker. Construído em 1964 pelo organeiro alemão Walker para a Igreja Evangélica de Paul – Gerhardt, em Wellesweiler – Neunkirchen (Alemanha), o órgão de tubos é composto por 2 manuais e uma pedaleira com 24 registos e 1786 tubos, com transmissão mecânica. Foi inaugurado a 16 de maio de 2021, com a soprano Rosana Orsini e o organista Marco Brescia.

De acordo com “A Voz de Trás-os-Montes”, a 4 de setembro de 2020 foi oficializada a compra do órgão à Comunidade Evangélica de Neunkirchen com a assinatura do respetivo contrato, entre a Igreja alemã e o Santuário Diocesano da Senhora da Assunção. A 26 de setembro, o órgão, desmontado e embalado, chegou ao Santuário. Foi instalado pela firma JMS Organaria, de Santo Tirso, entre outubro de 2020 e janeiro de 2021. A afinação e harmonização coube ao organeiro espanhol Óscar Laguna, natural de Burgos.

Para o Pe. Delfim Gomes, reitor do Santuário, esta aquisição encaixa-se nos propósitos dos santuários católicos que apostam na “valorização cultural e artística”, de acordo com a “via pulchritudinis” – caminho da beleza –, enquanto modalidade peculiar da evangelização da Igreja.

“Também este Santuário Diocesano de Nossa Senhora da Assunção – espaço sagrado – envereda por este caminho da Nova Evangelização procurando oferecer aos peregrinos este contacto com a arte, a música, o silêncio, a paisagem, de modo a encontrar a beleza e suscitar a admiração. É um caminho que leva à procura de Deus e ao encontro com Cristo, Beleza oferecida por Deus aos homens”, refere o sacerdote.

A compra do órgão, desmontagem, transporte, instalação, afinação e harmonização teve um custo total de €70.327,50. «As despesas foram integralmente suportadas pelo Município de Vila Flor (30.000,00 trinta mil euros) e por dois benfeitores (20.000,00 euros cada um).

Fonte: A Voz de Trás-os-Montes

Órgão de Tubos do Santuário de Nossa Senhora da Assunção, Vilas Boas, Vila Flor

Órgão de Tubos do Santuário de Nossa Senhora da Assunção, Vilas Boas, Vila Flor

Órgão histórico

Órgão de Tubos do Santuário de Nossa Senhora da Assunção

Órgão de Tubos do Santuário de Nossa Senhora da Assunção

Vilas Boas é uma antiga freguesia portuguesa do município de Vila Flor, com 28,57 km² de área que, em 2011, tinha  550 habitantes. Foi unida à freguesia de Vilarinho das Azenhas, formando a União das Freguesias de Vilas Boas e Vilarinho das Azenhas com sede em Vilas Boas. Foi vila e sede de concelho extinto em 1836.

Santuário de Nossa Senhora da Assunção, Vilas Boas, Vila Flor

Santuário de Nossa Senhora da Assunção, Vilas Boas, Vila Flor

Banda Filarmónica da Associação Cultural e Recreativa de Vila Flor
Músicos naturais do Concelho de Vila Flor

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

Júlia d’Almendra

Júlia d'Almendra, musicóloga e pedagoga, de Vila Flor

Júlia d’Almendra, musicóloga e pedagoga, de Vila Flor

Júlia d’Almendra

Júlia d'Almendra, musicóloga e pedagoga, de Vila Flor

Júlia d’Almendra, musicóloga e pedagoga, de Vila Flor