Artigos

Orfeão Nossa Senhora do Rosário
Coros de Lagoa (São Miguel)

História e atividade coral no Concelho

Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz

O Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz foi fundado em 1996 e é composto por 44 elementos, com idades entre os 7 e os 68 anos. A associação nasceu quando um grupo de amigos se juntou para cantar às portas de pessoas conhecidas durante a quadra natalícia.

O principal objetivo do Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz passa por reviver todo um passado musical tradicional açoriano e nacional. As atuações têm acontecido um pouco por toda a ilha de São Miguel e no continente português, em eventos de rua ou de carácter oficial, bem como em inaugurações, festas religiosas e profanas. Deslocou-se ao Algarve, à cidade de Lagoa, para participar na recriação das festas do Espírito Santo, num intercambio entre cidades geminadas.

Já gravou dois CD, o primeiro intitulado “Ilhas de Encanto”, em 2009 e o segundo, intitulado “Germinações”, lançado em 2018, este último após o intercambio e parceria com o Grupo de Cantares Fonte Nova, do Algarve, cuja amizade ficou registada num álbum repartido entre os grupos, por forma a assinalar os 10 anos de geminações entres as cidades. O CD “Germinações” comporta um total de dez temas musicais, sendo cinco de cada um dos grupos, representando, desse modo, ambas as culturas e tradições.

CONTACTOS

Edifício Polivalente de Santa Cruz
Rua Dr. Filomeno da Câmara, 32
9560-014 Lagoa (Santa Cruz)
Tel: 296 960 519
Tlm: 962 513 989

Grupo Musical Novos Criativos

O Grupo Musical Novos Criativos é uma associação lagoense criada em 2011. Nasceu da vontade de um grupo de pais e amigos em apoiar um conjunto de jovens adolescentes com gosto pela música. O grupo musical é constituído por jovens músicos, maioritariamente oriundos do Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz e ex-membros do projeto experimental CTMG – Creative Teen Musical Group, formado aquando da apresentação do CD Ilha de Encanto em 2009. Conta com algumas atuações a nível local e mesmo fora da ilha, destacando-se as atuações em Vila do Porto em 2012 e 2015, e nas Lages do Pico em 2014.

CONTACTOS

Rua Dr. José Pacheco Vieira, 9
9560-096 Lagoa (Santa Cruz)
Corr: geral@novoscriativos.com
Sítio: http://www.novoscriativos.com

Orfeão Nossa Senhora do Rosário

O Orfeão Nossa Senhora do Rosário foi fundado em 1999, por iniciativa de João Leite, pároco da paróquia de Nossa Senhora do Rosário, contando com a colaboração do seu primo José Leite, que assumiu a regência e a direção musical.

É um grupo composto por cerca de 40 elementos, com idades entre os 12 e os 70 anos, repartidos por quatro naipes: sopranos, contraltos, tenores e baixos.

É uma Associação com estatutos próprios. Em 2021 tinha como presidente da Direção Ana Paula Cordeiro, como maestrina Cármen Subica e organista Patrícia Varão. A maestrina contava com a colaboração das ensaiadoras Patrícia Varão e Ermelinda Medeiros.

A sede desta instituição situa-se no edifício da Caixa Geral de Depósitos, na Avenida Infante D. Henrique – Rosário.

O grupo atua e participa em celebrações litúrgicas da paróquia e em concertos diversos, de âmbito sacro e profano, na localidade e em outros concelhos da ilha de São Miguel. Já interpretou peças do cancioneiro tradicional açoriano e português, bem como peças de compositores clássicos, como Vivaldi, Mozart e Gounod (entre outros).

O ONSR tem como objetivos gerais: promover a música coral; ampliar os conhecimentos musicais e de interpretação musical; aumentar o repertório litúrgico, sacro e profano; promover e divulgar a Associação; proporcionar momentos de convívio entre os associados; fomentar a participação cívica e cultural dos associados.

Orfeão Nossa Senhora do Rosário

Orfeão Nossa Senhora do Rosário

Sítio: orfeaonsr.com
Correio eletrónico: onsr@sapo.pt

OUTROS GRUPOS

Associação Musical Nova Geração

O Grupo Musical Nova Geração atua em público desde 2006, com o nome artístico de 7.ª Geração. A Associação foi criada em 2009, por João Frazão.  A primeira atuação, com um total de 5 elementos, foi realizada na praça de Nossa Senhora do Rosário, em 2006. Mais tarde, juntaram-se outros artistas ao Grupo, formando um total de 7 elementos, surgindo, desse modo, o nome 7.ª Geração.

Mariana Rocha, finalista do programa televisivo “Factor X”, foi uma das vocalistas que passou pelo grupo 7.ª Geração. Os 7.ª Geração já atuaram em várias ilhas dos Açores, mais precisamente em São Miguel, Corvo e Santa Maria e fora de Portugal, passaram por Sainte Thérèse, no Canadá. É uma banda de covers, num estilo Pop-Rock, mas consta, no seu reportório, quatro músicas originais, sendo uma delas a “Balada da Lagoa”.

Grupo Folclórico Pauense
Folclore de Lagoa

Grupos Etnográficos, Tradições e Atividades no Concelho

  • Região: Região Autónoma dos Açores
  • Ilha: São Miguel

03 grupos

  • Associação Cultural Grupo Jovem Pauense
  • Associação de Jovens de Lagoa “O GRUJOLA”
  • Grupo Folclórico Pauense
Associação Cultural Grupo Jovem Pauense

A Associação Cultural Grupo Jovem Pauense fundada em 1987, tendo como objetivos a preservação e divulgação da genuinidade das tradições culturais da sua terra.

Esta Associação tem vindo a desenvolver, desde que o início da sua criação, um trabalho minucioso de estudo, levantamento e recolha dos trajes, danças, cantares e instrumentos utilizados pelo povo da freguesia de Água de Pau.

A recolha efetuada teve como fontes de pesquisa peças de vestuário expostas no Museu Carlos Machado de Ponta Delgada, bem como diversas indumentárias guardadas por pessoas que as herdaram dos seus antepassados.

Para além das inúmeras atuações que já realizou em todos os concelhos da ilha de S. Miguel e noutras parcelas açorianas, o grupo orgulha-se de já ter participado em prestigiados festivais de folclore de caráter nacional e internacional no Continente Português.

Grupo Folclórico Pauense

Grupo Folclórico Pauense

Associação de Jovens de Lagoa “O GRUJOLA”

O Grujola, designação abreviada de Grupo de Jovens de Lagoa, foi fundado em 1978 no Concelho de Lagoa por um grupo de jovens, incluindo alguns do anterior grupo de folclore de Nossa Senhora do Rosário.

Desde a sua fundação, o Grujola tem desenvolvido atividades de carácter recreativo, desportivo e cultural, nomeadamente jogos, provas desportivas, teatro e folclore, tendo-se dedicado, nos últimos anos, apenas ao folclore. Fazem parte do grupo cerca de 35 elementos ativos.

Tem realizado diversas atuações em todos os concelhos da ilha de São Miguel, bem como em outras ilhas, em Portugal Continental, Espanha, Madeira, Estados Unidos da América e Canadá.

No ano de 1995, o grupo Grujola preparou uma gravação áudio no antigo C.A.T.E com o grupo infantil (versão cantada e instrumental), com algumas músicas do folclore micaelense para apoio às escolas, tendo participado também, em 1997, no programa “Natal dos Hospitais”. Nesta altura é lançado o 1º número da revista “Reviver”, elaborada e organizada por alguns elementos do grupo, com recolhas de informação, entrevistas e fotografias de aspeto de património local, tais como artes e ofícios do Concelho.

Em 1997, 1998 e 2006, o Grujola promoveu três cursos de instrumentos de corda, nomeadamente viola da terra e violão.

Em 1997, foi inaugurada a sede do grupo folclórico Grujola, sito junto à Piscina Municipal, que resultou da adaptação/ remodelação do antigo edifício do Matadouro Municipal de Lagoa, recuperando todos os elementos arquitetónicos de valor ainda existentes.

CONTACTOS

Rua do Vigário, 1
9560 Lagoa (N. Sra. do Rosário)

 

Filarmónica Fraternidade Rural de Água de Pau

Filarmónicas de Lagoa (São Miguel)

Bandas de Música, História e Atividades no Concelho

Associação Musical de Lagoa

A “Associação Musical de Lagoa” foi constituída em 2007, tendo como principal objetivo divulgar a cultura musical no Concelho de Lagoa através da criação de uma Orquestra Ligeira e de uma Escola de Música. Desde 2013 tem sede no edifício da antiga escola da rua Dr. Clemente Vasconcelos.

CONTACTOS

Rua Eng.º Clemente Vasconcelos
9560-099 Lagoa (N. Sra. do Rosário)
Correio eletrónico: assmusicallagoaacores@iol.pt

Banda Estrela d’Alva

A Sociedade Filarmónica Estrela D’Alva foi fundada em 1887, na freguesia de Santa Cruz. A sua sede situa-se na Rua Dr. Filomeno da Câmara n.º 20, em Santa Cruz. O primeiro Presidente desta Filarmónica foi o Padre João José Tavares. Foi da sua autoria a letra e música do hino que se canta à padroeira desta freguesia – Nossa Senhora da Estrela.

A Sociedade tem vindo a merecer brilhantismo em diversas festividades na ilha de São Miguel e tem participado em digressões às ilhas de Santa Maria e Terceira. No ano de 1999, deslocou-se ao Continente, aos concelhos de Penela e Cantanhede, e no ano seguinte, deslocou-se para participar num Festival de Música, a convite da Associação Filarmónica Progresso Pátria Nova de Coja.

A Banda tem desenvolvido um papel importante na área cultural. Sendo a instituição mais antiga do Concelho, com a sua divulgação musical, contribui para a promoção dos valores culturais deixados pelos seus antepassados.

A Filarmónica, através da sua Escola de Música (que se mantém permanentemente a funcionar), tem conseguido um progressivo aperfeiçoamento artístico. É composta por trinta e oito músicos, com idades entre os dez e os cinquenta anos.

Sociedade Filarmónica Lira do Rosário da Lagoa

A SFLRL foi fundada em 1920, pelo Padre João Furtado Pacheco. É constituída por cerca de três dezenas e meia de músicos com idades entre os 12 e os 45 anos. Efetuou a primeira atuação 1920, nas Festas do Sagrado Coração de Jesus, sob a direção do maestro António Jacinto da Câmara e Silva.

Anima festas religiosas e profanas, bem como atos oficiais. A “Lira do Rosário”, ao longo da sua existência, teve a oportunidade de efetuar numerosas atividades, com destaque para os intercâmbios culturais que efetuou com os E.U.A., Canadá, Portugal Continental, Madeira, bem como com algumas ilhas do arquipélago dos Açores.

Realizou intercâmbios no Seixal, Bombarral, Ançã, Ponta do Sol e Calheta de Nesquim. Atuou em festas religiosas nos EUA, Canadá e ilha de Santa Maria. Participou no Concurso de Bandas no Teatro Micaelense e nos Festivais de Bandas realizados no Nordeste, Fenais da Luz e na Lagoa. Incorporou o conto no seu repertório, facto que serviu de inspiração a outras bandas.

Filarmónica Fraternidade Rural de Água de Pau

A 16 de janeiro de 1859, fundou-se a primeira banda de música na Vila de Água de Pau, designada por “União”. Em 1863, criou-se a segunda banda de música, denominada “Estímulo Artístico”, formada unicamente por artistas. Mais tarde, o nome da banda foi alterado para “Fraternidade Rural”, nome que ainda permanece. A terceira banda fundada em Água de Pau, por Luís Francisco do Couto, era chamada “Aliança”. Em 1883, o Padre Inácio Vieira inaugurou a quarta banda desta freguesia com o nome de “Amor da Pátria”. No entanto, convém salientar que todas estas bandas tiveram um percurso muito curto, desaparecendo com o passar dos anos.

A Banda Sociedade Fraternidade Rural foi a que permaneceu ao longo dos anos. O seu estandarte, de cor branca até meados do ano de 1933, passou para vermelho até 1964. Desta data até o ano de 1983, passou para verde. No entanto, de 1983 até aos dias de hoje é vermelho e foi bordado pelas irmãs de Maria Imaculada, de Vila Franca da Campo. O Hino da Autonomia foi tocado pela banda pela primeira vez no ano de 1981. Desde 1983, utiliza a Bandeira da Autonomia nas suas atuações. Entre os seus regentes contam-se nomes como Osório Augusto Machado, Manuel Resendes, José Eduardo Moniz e, o atual regente, João Resendes.

FFRAP

Filarmónica Fraternidade Rural de Água de Pau

Filarmónica Fraternidade Rural de Água de Pau

Helena Castro Ferreira, soprano, da Lagoa
Músicos naturais do Concelho de Lagoa

(Ilha de São Miguel, Açores)

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

  • Ana Castro Ferreira (flautista)
  • Carina Andrade (soprano)
  • Helena Castro Ferreira (soprano)
  • Tavares Canário (compositor, 1866-1917)
Helena Castro Ferreira

Helena Castro Ferreira é uma soprano lírica com coloratura, natural da Lagoa, Ilha de São Miguel, Açores. Iniciou os estudos em música aos 9 anos e ingressou o Conservatório Regional de Ponta Delgada, em 1996. Em 2005, estreou-se no musical “A Lenda das 7 Cidades”, no papel de princesa. Aquando da sua participação, como figurante, na produção de “L’elisir d’amore” do Teatro Nacional de São Carlos, em 2007, na cidade de Ponta Delgada, decidiu ingressar o ensino superior de canto.

Fez licenciatura em canto e o mestrado em ópera na Hochschule für Musik und Theater, na Alemanha, tendo terminado em 2015. Foi aluna de Canto de Carolyn James e de Cénica de Florian Leibrecht.

Detém o prémio Berenberg Bank 2013, o 3º lugar ex-aequo, em 2013, e o segundo lugar, em 2016, do Concurso de Canto lírico da Fundação Rotária Portuguesa. Em Música de Câmara, venceu o concurso “Live MusicNow – Hamburg”.

Em ópera apresentou-se em variados papéis e fez cursos e classes de aperfeiçoamento com ClaudineAnsermet, Sandra Medeiros, Elisabete Matos, EddaMoser, Reri Grist, Doreen deFeis e James Hooper.

Leciona Canto, Estúdio de Ópera e Arte de Representar no Conservatório Regional de Ponta Delgada.

Helena Castro Ferreira, soprano, da Lagoa

Helena Castro Ferreira, soprano, da Lagoa

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário
Órgãos de tubos do concelho da Lagoa [2]

[ Ilha de São Miguel ]

De acordo com as informações disponíveis, existem órgãos de tubos nas seguintes igrejas do Concelho:

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário

A Igreja de Nossa Senhora do Rosário é edifício de arquitetura religiosa, edificado no séc. XVIII sobre uma antiga ermida, que existia neste local. Apresenta-se como uma volumosa e sólida construção de três naves. Tem um notável conjunto escultórico da autoria do Joaquim Machado de Castro da épica setecentista. Ao longo dos anos o templo recebeu alguns equipamentos que melhoraram a liturgia, como o órgão de tubos, considerado um dos mais notáveis das ilhas dos Açores, e que foi classificado como património móvel de interesse público em 2020.

Órgão histórico da autoria de E. F. Walcker & C.ie n.º 481, 1886, restaurado por Dinarte Machado Atelier Português de Organaria, 1987.

Igreja Matriz da Lagoa

[ Santa Cruz ]

Igreja Matriz da Lagoa

Igreja Matriz da Lagoa

A Igreja Matriz de Santa Cruz da Lagoa é um edifício de arquitetura religiosa. No século XVI, o quadro de eclesiásticos deste templo era numeroso, não faltando nele um organista e um mestre de capela. O púlpito, cujo docel é um trabalho admirável de 1782, veio do Convento de São Francisco de Ponta Delgada. Havia um órgão antigo mas, em 1894, foi substituído por outro construído em Ponta Delgada (sob a direção do padre Joaquim Silvestre Serrão?). O relógio da torre veio de França e começou a funcionar em 1909. A atual frontaria e a sua torre foram levantadas no ano de 1844.

Possui um órgão histórico (da autoria de João Nicolau Ferreira ou Manuel de Sousa?), executado em 1894, restaurado por Dinarte Machado Atelier Português de Organaria, em 1993.

Montra

Órgão da Igreja de Santa Cruz

Órgão da Igreja de Santa Cruz