Artigos

Grupo de Folclore de Ponta do Sol
Folclore na Ponta do Sol

Grupos Etnográficos, Tradições e Atividades no Concelho

  • Região Autónoma da Madeira
  • Ilha: Madeira
  • Concelho: Ponta do Sol
Grupo de Folclore de Ponta do Sol

O Grupo Folclórico da Casa do Povo da Ponta do Sol foi fundado em 1981 para salvaguardar o património cultural em risco de se perder. Tem vindo a recolher, preservar e divulgar, os usos, costumes e tradições da Região Autónoma da Madeira, em particular o concelho da Ponta do Sol.

No grupo estão representados vários trajes usados nos finais do século XIX e início do século XX pelas gentes do concelho, desde a vida rural à pesca, do domingo até aos noivos, da mulher rica às pequenas saloias do Espírito Santo. De tudo isso tem uma representação, com tecidos que vão do rude tear à mais fina cambraia. O traje de noiva, usado no final do século XIX e cujo véu era de cor preta, simboliza a submissão da mulher em relação ao marido através do casamento, ramo e grinalda feito artesanalmente em cera.

Também estão representadas no grupo as saloias – duas meninas que acompanhavam as insígnias do Espírito Santo e respetivos festeiros por ocasião da visita Pascal.

Sobre o cabelo trançado coloca-se uma carapuça enfeitada com colares e prendas de ouro. E, para completar o conjunto, bota chã e rica capa vermelha ornada de flores (perpétua amarela) e muitas prendas de ouro.

Grupo de Folclore de Ponta do Sol

Grupo de Folclore de Ponta do Sol

Banda Municipal da Ponta do Sol
Filarmónicas da Ponta do Sol

Bandas de Música, História e Atividades no Concelho

Banda Municipal da Ponta do Sol

A atividade filarmónica na Ponta do Sol surgiu a 1 de dezembro de 1882, com o apoio de uma família tida como mecenas desta localidade – a dos Wilbrahan.

A Banda começou por se chamar Filarmónica da Restauração, tendo em conta a data da sua criação, e pouco depois, Filarmónica Príncipe d’Ordenburg. Esta designação foi a forma encontrada pelos dirigentes da Filarmónica da Restauração para agradecer a contribuição monetária dada por este príncipe durante a sua estadia em terras madeirenses (entre 1884 e 1885). A designação Príncipe d’Ordenburg prevaleceu até 1944, altura em que foram elaborados os novos estatutos, e desde então a filarmónica pontassolense passou a ser designada como Banda Municipal da Ponta do Sol.

Nos anos 50 a Banda foi desativada devido à falta de executantes em consequência da forte emigração e dificuldades financeiras verificadas neste período. Em 1984, a Banda Municipal da Ponta do Sol foi reativada, continuando até aos nossos dias ininterruptamente. Na década de 90, num dos momentos altos do seu historial, a Banda Municipal da Ponta do Sol faz uma digressão ao Curaçau, Aruba e Venezuela. Desde 2001, a banda organiza o Festival de Música Filarmónica da Ponta do Sol, que acontece por alturas das Festas do Concelho da Ponta do Sol, com a presença de duas bandas convidadas, sendo uma da Ilha da Madeira e uma de fora da ilha. O intercâmbio permitiu que o Concelho da Ponta do Sol fosse representado em diferentes situações e locais como: Abrantes (em 2002), Taveiro (em 2004), Arquipélago dos Açores: Ilhas de S. Miguel e Terceira (em 2006 ), Montemor-o-Novo (em 2010) e em 2012 em Pragança. A Banda conta com cerca de 30 elementos formados na escola de música da coletividade e com colaboradores amigos da instituição. A Banda é dirigida pelo professor Élio Jardim.

Banda Municipal da Ponta do Sol

Banda Municipal da Ponta do Sol

Igreja Matriz dos Canhas
Órgãos de tubos do concelho da Ponta do Sol [2]

De acordo com as informações disponíveis, existem órgãos de tubos nas seguintes igrejas do Concelho:

Igreja Matriz da Ponta do Sol

[ Nossa Senhora da Luz ]

Igreja Matriz da Ponta do Sol

Igreja Matriz da Ponta do Sol

Construída em finais do século XV, a Igreja de Nossa Senhora da Luz é a igreja matriz da Ponta do Sol, Região Autónoma da Madeira. No interior existe uma pequena capela dedicada a Nossa Senhora do Patrocínio, mandada construir por Rodrigues Eanes, o Coxo, em testamento de 1486, onde se encontra, também, a laje tumular de Rodrigues Anes, o Coxo, que apresenta inscrição em letra gótica. A fachada apresenta a data de 1708, ano em que foi demolido o frontispício do templo, com o seu portal manuelino, para avanço do corpo da Matriz. A igreja reúne preciosas alfaias religiosas em prata e diversas imagens, sendo de destacar o teto da capela-mor, em estilo hispano-árabe, e a pia batismal, oferecida pelo rei D. Manuel I, em cerâmica verde, de gosto mudéjar, um exemplar único no país.

Possui um órgão positivo de armário restaurado por Dinarte Machado – Atelier Português de Organaria.

Órgão da Igreja da Ponta do Sol

Órgão da Igreja da Ponta do Sol

Órgão da Igreja da Ponta do Sol

Órgão da Igreja da Ponta do Sol

Órgão da Igreja Matriz da Ponta do Sol

Órgão da Igreja Matriz da Ponta do Sol

Órgão da Igreja da Ponta do Sol

Órgão da Igreja da Ponta do Sol

Igreja Paroquial dos Canhas

[ Nossa Senhora da Piedade ]

Igreja Matriz dos Canhas

Igreja Paroquial dos Canhas

A Igreja de Nossa Senhora da Piedade é a igreja paroquial dos Canhas, Ponta do Sol, na Ilha e Região Autónoma da Madeira. É um edifício de arquitetura religiosa de estilo barroco, de planta longitudinal. Foi construída no século XVIII e remodelada no século XX.